JOSÉ RODRIGUES DOMINGUES DE MEIRELES, LEONARDO VINCI, JOHANN CHRISTIAN BACH: POR UMA INTERPRETAÇÃO VOCAL.

Autores

  • Katya Beatriz de Oliveira UNIRIO

Palavras-chave:

Música brasileira – música mineira – música sacra – Interpretação vocal – música historicamente informada – Domingues de Meireles.

Resumo

Na busca da sonoridade histórica e estilisticamente embasada para a interpretação vocal da música sacra mineira da segunda metade do século XVIII e início do XIX, torna-se necessário um paralelo com a música européia de mesmo estilo, uma vez que a música mineira setecentista situa-se entre as correntes do barroco e do clássico europeu. Neste artigo pretendemos investigar as similaridades estilísticas entre a música do compositor brasileiro José Rodrigues Domingues de Meireles, particularmente na obra O Lingua Benedicta, com uma obra de Leonardo Vinci, compositor europeu do período barroco, e outra de Johann Christian Bach, europeu do pré-clássico, tentando chegar a uma interpretação vocal baseada em tratados históricos de canto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Katya Beatriz de Oliveira, UNIRIO

Katya Oliveira Mestranda em práticas interpretativas na UNIRIO desde 2009. Graduação em Música (Canto) pela UFMG (1994). Ganhadora da bolsa virtuose do Ministério da Cultura em 1997, para realização de aperfeiçoamento nos Estados Unidos por um ano, se especializando em ópera. Membro integrante do Coral Lírico do Palácio das Artes em Belo Horizonte, MG, nos anos de 1992 e 93. Nesta ocasião, atuou na gravação do CD Maracatu do Chico Rei com a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais e Coral Lírico, sob a regência do Maestro David Machado. De 1995 a 97 foi professora de canto na Escola de Música do ES, atual FAMES. Realizou curso de Canto em Santiago de Compostela, na Espanha, com bolsa do governo espanhol. Estudou com o Prof. Carmo Barbosa em São Paulo, capital, de novembro de 1999 a maio de 2009. Como solista atuou frente à diferentes orquestras em Minas Gerais, Paraná e Espírito Santo. Foi solista na obra O Amor e o Humor na Música Brasileira dos Séculos XVIII e XIX montada em 1997 e na ópera Dido e Enéias de H. Purcell, montada em Vitória no ano de 1998. Também solista na montagem, em forma de concerto, no papel de Violetta, da ópera La traviata de Verdi em 2008, e na montagem da opera O elixir do amor de Donizetti, em 2009, no papel de Adina, sob a regência do Maestro italiano Sérgio Oliva. Atuação como solista na gravação do Cd 10º Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga, em Juiz de Fora, em 1999, do CD do grupo capixaba Ensemble Cum Sancto Spiritus em 1997, e no CD Cantigas de Roda, produzido por Rogério Coimbra em 2006. É membro integrante do grupo Coro e Orquestra Domine Maris, realizando edições e interpretações de obras brasileiras e estrangeiras dos séculos XVIII e XIX, muitas delas sendo primeira audição em tempos modernos. Participou como solista no CD Creator Alme do mesmo grupo em 2005. Em 2008 atuou como tradutor, diretora artística e solista (Serpina) na montagem da ópera La serva padrona de Pergolesi em turnê pelo estado do Espírito Santo. Ainda em 2008 publicou 4 edições de manuscritos musicais no livro A música sacra em Viçosa. Realização de aperfeiçoamento interpretativo da ópera O Elixir do amor em 2009, na Itália.

Downloads

Publicado

2010-03-09

Como Citar

Oliveira, K. B. de. (2010). JOSÉ RODRIGUES DOMINGUES DE MEIRELES, LEONARDO VINCI, JOHANN CHRISTIAN BACH: POR UMA INTERPRETAÇÃO VOCAL. Cadernos Do Colóquio, 10(1). Recuperado de http://seer.unirio.br/coloquio/article/view/454

Edição

Seção

Teoria e prática da interpretação