Analysis of completing the syphilis investigation form acquired from a regional health superintendence / Análise do preenchimento das fichas de investigação da sífilis adquirida de uma superintendência regional de saúde

Main Article Content

Grazielle Miranda Freitas
http://orcid.org/0000-0001-6206-7452
Murilo César do Nascimento
http://orcid.org/0000-0002-3436-2654
Edilaine Assunção Caetano de Loyola
http://orcid.org/0000-0002-4441-1229
Denismar Alves Nogueira
http://orcid.org/0000-0003-2285-8764
Fábio de Souza Terra
http://orcid.org/0000-0001-8322-3039

Resumo

RESUMO


Objetivo: analisar o preenchimento das fichas de investigação de sífilis adquirida em uma Superintendência Regional de Saúde do Sul de Minas Gerais. Método: estudo descritivo-analítico, transversal, quantitativo, dos casos sífilis adquirida notificados no período de janeiro de 2010 a junho de 2017. Utilizou-se um instrumento para coletar os dados, mediante os critérios: campos não preenchidos, preenchimento do campo ignorado e incoerências de informações. Estes foram analisados no Statistical Package for the Social Science, mediante estatística descritiva, com apresentação de valores percentuais. Resultados: constatou-se 62,2% com variável sem preenchimento, sendo a função do profissional responsável pelo preenchimento a mais predominante (100,0%). 31,3% assinalaram o preenchimento do campo ignorado, sendo os antecedentes de sífilis o mais frequente (37,0%). 66,3% apresentaram alguma incoerência de informações, destacando-se o resultado do teste treponêmico/classificação final do caso (54,9%). Conclusão: a confiabilidade desta notificação depende da capacidade dos profissionais em diagnosticar e notificar corretamente esses agravos.




 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
1.
Freitas GM, do Nascimento MC, de Loyola EAC, Nogueira DA, Terra F de S. Analysis of completing the syphilis investigation form acquired from a regional health superintendence / Análise do preenchimento das fichas de investigação da sífilis adquirida de uma superintendência regional de saúde. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 26º de outubro de 2021 [citado 29º de novembro de 2021];13:1512-8. Disponível em: http://seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/10259
Seção
Research
Biografia do Autor

Grazielle Miranda Freitas, Universidade Federal de Alfenas – UNIFAL-MG

Possui graduação em ENFERMAGEM pela Universidade José do Rosário Vellano (2011). Possui especialidade pela Universidade José do Rosário Vellano (2013). Possui mestrado pela Universidade Federal de Alfenas (2018). Atualmente é professor da Universidade José do Rosário Vellano. Tem experiência na área de Medicina e Enfermagem, com ênfase em Saúde Materno-Infantil e Saúde Pública.

Murilo César do Nascimento, Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG

Bacharel em Enfermagem pela Universidade Federal de Alfenas - UNIFAL-MG (2007). Mestre (2011) e Doutor (2016) em Ciências, na área de Saúde na Comunidade pelo Departamento de Medicina Social da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - Universidade de São Paulo, USP. Atua como docente da Universidade Federal de Alfenas, Unifal-MG, nas áreas de Epidemiologia e Políticas/Práticas de Saúde. Interesse em: Saúde Coletiva, Epidemiologia, Análise Espacial em Saúde, Dengue, Discurso do Sujeito Coletivo, Atenção Primária à Saúde.

Edilaine Assunção Caetano de Loyola, Universidade José do Rosário Vellano - UNIFENAS.

Doutora (2017) e Mestra em Ciências (2012) pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (EERP/USP). Bacharel em Enfermagem pela Universidade Federal de Alfenas (2008). Especialização em Cuidados Pré-Natais pela Universidade Federal de São Paulo (2011) e Especialização em Formação em Educação Profissional Técnica na área da Saúde pela Fundação Oswaldo Cruz/Escola Nacional de Saúde Pública (2012). Atua principalmente nos temas: enfermagem médico-cirúrgica; saúde da mulher; reabilitação; câncer de mama; gestão de serviços de saúde e ensino. Atualmente é docente na Universidade José do Rosário Vellano - UNIFENAS.

Denismar Alves Nogueira, Universidade Federal de Alfenas- Unifal

Possui graduação em Zootecnia pela Universidade Federal de Lavras (2001) e mestrado em Estatística e Experimentação Agropecuária pela Universidade Federal de Lavras (2004) e Doutorando também em Estatística e Experimentação Agropecuária pela Universidade Federal de Lavras (2008). Atualmente é - Professor da Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL-MG) lotado no Departamento de Estatística do Instituto de Ciências Exatas (DEst) lecionando na graduação e na pós-graduação em Estatística Aplicada e Biometria desta instituição. Tem experiência na área de Probabilidade e Estatística, com ênfase em Probabilidade e Estatística Aplicadas, atuando principalmente nos seguintes temas: Inferência Bayesiana, Estatística Espacial, Estatística Experimental, Melhoramento Genético, Epidemiologia, Modelos Longitudinais e Mistos e Séries Temporais.

 

Fábio de Souza Terra, Universidade Federal de Alfenas- Unifal

Possui Graduação em Enfermagem pela Universidade Federal de Alfenas (2004), bolsista de Iniciação Científica do Programa de Educação Tutorial (PET/SESu - Enfermagem) pela Universidade Federal de Alfenas (2002 - 2004). Doutor em Ciências, Área Enfermagem Fundamental, pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (EERP/USP) (2011). Mestre em Saúde pela Universidade José do Rosário Vellano (2007). Especialista em Meio Ambiente e Engenharia Sanitária pela Universidade José do Rosário Vellano (2017). Atualmente é Professor Associado da Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL-MG), no curso de Graduação em Enfermagem e na Pós-graduação, Mestrado em Enfermagem e Programas de Residências. Membro de Grupos de Pesquisa na UNIFAL-MG e EERP/USP. Tem experiência na área de Enfermagem, atuando principalmente nos seguintes temas: Enfermagem, Enfermagem Saúde Ambiental, Saúde Pública, Saúde do Trabalhador, Qualidade de Vida, Saúde Mental, Ansiedade, Depressão, Autoestima, Estresse, Álcool e outras drogas, e Epidemiologia

Plum Analytics

Referências

REFERÊNCIAS

Bittencourt MJS, Nascimento BAM, Drago MG. Nodular tertiary syphilis in an immunocompetent patient. An Bras Dermatol. 2016 [citado em 2018 set. 23]; 91(4):528-30. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/abd1806-4841.20163837

Noriega L, Di Chiacchio NG, Rezende FC, Di Chiacchio N. Periungual Lesion due to Secondary Syphilis. Skin Appendage Disord. 2016 [citado em 2018 set. 28]; 2(3-4):116-9. Disponível em: https://doi.org/10.1159/000449418

Luz TCB, Pedrosa ML. A subnotificação de casos de Doenças Sexualmente Transmissíveis: a situação do estado do Rio de Janeiro. DST – J bras Doenças Sex Transm. 2005 [citado em 2018 out. 03]; 17(2):111-6. Disponível em: http://www.dst.uff.br/revista17-2-2005/4-a%20subnotificacao.pdf

Segurado AC, Cassenote AJ, Luna EA. Saúde nas metrópoles - Doenças infecciosas. Estud Av. 2016 [citado em 2018 out. 23]; 30(86):29-49. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142016.00100003

Silva Júnior SHA, Mota JC, Silva RS, Campos MR, Schramm JMA. Descrição dos registros repetidos no Sistema de Informação de Agravos de Notificação, Brasil, 2008-2009. Epidemiol Serv Saude. 2016 [citado em 2018 nov. 02]; 25(3):487-98. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ress/v25n3/2237-9622-ress-25-03-00487.pdf

Assis VC, Amaral MPH, Mendonça AE. Análise da qualidade das notificações de dengue informadas no sistema de informação de agravos de notificação, na epidemia de 2010, em uma cidade polo da zona da mata do estado de Minas Gerais. Rev APS. 2014 [citado em 2018 nov. 13]; 17(4):429-37, 2014. Disponível em: https://aps.ufjf.emnuvens.com.br/aps

Silva GA, Oliveira CMG. O registro das doenças de notificação compulsória: a participação dos profissionais da saúde e da comunidade. Rev Epidemiol Control Infect. 2014 [citado em 2018 nov. 25]; 4(3):215-20. Disponível em: http://dx.doi.org/10.17058/reci.v4i3.4578

Brasil. Ministério da Saúde (MS). Sistema de Informação de Agravos de Notificação – SINAN: normas e rotinas. Brasília: MS; 2007 [citado em 2018 nov. 29]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/07_0098_M.pdf

Brasil. Ministério da Saúde (MS). SINAN: Sistema de Informação de Agravos de Notificação – ficha de investigação sífilis adquirida. Alfenas: Vigilância Epidemiológica; 2010 [citado em 2018 dez. 05]. Disponível em: http://epidemiologia.alfenas.mg.gov.br/news/arquivos/sifilis_adquirida.pdf

Brasil. Ministério da Saúde (MS). Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Atenção Integral às Pessoas com Infecções Sexualmente Transmissíveis. Brasília: MS; 2015 [citado em 2018 dez. 16]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/protocolo_clinico_diretrizes_terapeutica_atencao_integral_pessoas_infeccoes_sexualmente_transmissiveis.pdf

Brasil. Ministério da Saúde (MS). Manual técnico para diagnóstico da sífilis. Brasília: MS; 2016 [citado em 2018 dez. 27]. Disponível em: file:///C:/Users/grazi/Downloads/manual_sifilis_10_2016_pdf_23637.pdf

Oliveira SIM. Notificações de sífilis gestacional e congênita: uma análise epidemiológica. [dissertação]. Natal (RN): Universidade Federal do Rio Grande do Norte; 2016 [citado em 2019 jan. 08]. Disponível em: https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/22613/1/SamaraIsabelaMaiaDeOliveira_DISSERT.pdf

Oliveira MEP, Soares MRAL, Costa MCN, Mota ELA. Avaliação da completitude dos registros de febre tifóide notificados no SINAN pela Bahia. Epidemiol Serv Saude. 2009 [citado em 2019 jan. 15]; 18(3):219-26. Disponível em: http://scielo.iec.gov.br/pdf/ess/v18n3/v18n3a04.pdf

Gomes SCS, Caldas AJM. Qualidade dos dados do sistema de informação sobre acidentes de trabalho com exposição a material biológico no Brasil, 2010 a 2015. Rev Bras Med Trab. 2017 [citado em 2019 jan. 30]; 15(3):200-8. Disponível em: https://doi.org/10.5327/Z1679443520170036

Santos ACS, Morais MTM. Perfil epidemiológico e sociodemográfico dos portadores de Hepatite B de um município do sudoeste baiano. Rev. Saúde. Com. 2017 [citado em 2019 fev. 02]; 14(1):1073-80. Disponível em: https://doi.org/10.22481/rsc.v14i1.537

Galdino A, Santana VS, Ferrite S. Qualidade do registro de dados sobre acidentes de trabalho fatais no Brasil. Rev Saude Publica. 2017 [citado em 2019 fev. 12]; 51(4):1-10. Disponível em: https://doi.org/10.11606/S1518-8787.2017051000064

Bovendorp ACC, Oliveira MB, Saleme PS, Lyon S, Bastos M. Qualidade de registros de hanseníase em centro de referência no estado de Minas Gerais, no período de 2006 a 2010. Rev Med Minas Gerais. 2014 [citado em 2019 fev. 22]; 24(6):61-5. Disponível em: http://www.dx.doi.org/10.5935/2238-3182.20140087

Brasil. Ministério da Saúde (MS). Nota Informativa nº 02-SEI/2017 - DIAHV/SVS/MS. Altera os critérios de definição de casos para notificação de sífilis adquirida, sífilis em gestantes e sífilis congênita. Brasília: MS; 2017 [citado em 2019 mar. 11]. Disponível em: http://www.aids.gov.br/pt-br/legislacao/nota-informativa-no-02-sei2017-diahvsvsms

Brasil. Ministério da Saúde (MS). Boletim Epidemiológico Sífilis. 2016; V(35):1-32 [citado em 2019 mar. 13]. Disponível em: http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2016/boletim-epidemiologico-de-sifilis-2016

Brasil. Ministério da Saúde (MS). Boletim Epidemiológico Sífilis. 2017; VI(36):1-44 [citado em 2019 mar. 21]. Disponível em: http://www.aids.gov.br/pt-br/pub/2017/boletim-epidemiologico-de-sifilis-2017

Brasil. Ministério da Saúde (MS). Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Atenção Integral às Pessoas com Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST). 2018 [citado em 2019 abr. 14]; I(01):1-245. Disponível em: http://conitec.gov.br/images/Consultas/2018/Relatorio_PCDT_IST_CP34_2018.pdf

Vaulet LG, Morando N, Casco R, Melgar A, Silva N, Fermepin MR, Pando MA. Evaluation of the utility of a rapid test for syphilis at a sexually transmitted disease clinic in Buenos Aires, Argentina. Scientific Reports. 2018 [citado em 2019 abr. 19] ; 8(5):7542-7. Disponível em: https://doi.org/10.1038/s41598-018-25941-4

Silva LS, Mendes DRG. Completude do sistema de informação de agravos de notificação de dengue em Valparaíso de Goiás, 2012-2015. Rev Cient. Sena Aires. 2016 [citado em 2017 abr. 23]; 5(2):105-116. Disponível em: http://revistafacesa.senaaires.com.br/index.php/revisa/article/view/262/135

Muguande OF, Ferraz ML, França E, Gontijo ED. Avaliação da qualidade do Sistema de Vigilância Epidemiológica de Doença de Chagas Aguda em Minas Gerais, 2005-2008. Epidemiol Serv Saude. 2011 [citado em 2019 abr. 27]; 20(3):317-25. Disponível em: http://scielo.iec.gov.br/pdf/ess/v20n3/v20n3a06.pdf

Santos TO, Pereira LP, Silveira DT. Implantação de sistemas informatizados na saúde: uma revisão sistemática. Rev Eletron Comum Inf Inov Saude. 2017 [citado em 2019 maio 01]; 11(3):1-11. Disponível em: http://dx.doi.org/10.29397/reciis.v11i3.1064

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)