UTI pediátrica: o significado do cuidar na perspectiva da mãe Pediatric ICU: the meaning of taking care in the mother’s perspective

Main Article Content

Larissa Gramazio Soares
Natalina Maria da Rosa
Rosemere Cristina Moretto Molina
Ieda Harumi Higarashi
Sonia Silva Marcon

Resumo

Objetivo: Compreender o significado da participação materna no cuidado ao filho internado em Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica (UTIP). Método: Estudo descritivo, com abordagem qualitativa. Os dados foram coletados no mês de outubro de 2013, por meio de entrevista semi-estruturada, junto a oito mães. Os relatos foram submetidos à Análise de conteúdo modalidade temática. Resultados: Apresentados em quatro categorias: “Reconhecimento da função materna”; “Cuidado como recurso de enfrentamento”; “O aprender a cuidar se dá observando e cuidando” e “Papel da equipe de enfermagem”. Conclusão: Torna-se imprescindível que os profissionais se sensibilizem ante as necessidades das mães, decorrentes do processo de hospitalização dos filhos,  reforcem os aspectos positivos de sua permanência no contexto assistencial, e ao mesmo tempo, intervenham nos aspectos negativos, proporcionando assim, um cuidado integral, humanizado e qualificado ao binômio no ambiente hospitalar. Descritores: Enfermagem familiar, Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica, Relação mãe-filho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
1.
Soares LG, Rosa NM da, Molina RCM, Higarashi IH, Marcon SS. UTI pediátrica: o significado do cuidar na perspectiva da mãe Pediatric ICU: the meaning of taking care in the mother’s perspective. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 4º de outubro de 2016 [citado 2º de julho de 2022];8(4):4965-71. Disponível em: http://seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/3953
Seção
Research
Biografia do Autor

Larissa Gramazio Soares, Universidade Estadual do Centro- Oeste

Graduada em Enfermagem pela Universidade Estadual do Centro-Oeste/Paraná (2010).Especialização Lato Sensu Urgência e Emergência: atendimento do Pré- Hospitalar à UTI (2012). Mestranda em Enfermagem pela Universidade Estadual de Marindá - UEM.Tem experiência na área de Enfermagem na supervisão de assistência de Enfermagem no HospitalSão Vicente de Paulo e como docente junto à Faculdade Guairacá com as disciplinas Biossegurança,Saúde do trabalhador, Processo de Cuidar I e Processo de Cuidar II. Atualmente é docente daUniversidade Estadual do Centro- Oeste com as disciplinas de Fundamentos Práticos para o Cuidadode Enfermagem e Saúde da Mulher e da Criança. Atuando principalmente nos seguintes temas:enfermagem com ênfase em saúde da criança; neonatologia.

Natalina Maria da Rosa, Universidade Estadual de Maringá

Mestranda em Enfermagem da Universidade Estadual de Maringá. Graduada em enfermagem (2008) pelo Centro Universitário de Maringá; Especialista em Urgência e Emergência Intra-Hospitalar (PUC); Especialista em Viabilidade Tecidual e Tratamento de Feridas (UEM);Membro da comissão de hemovigilancia; Membro do projeto de extensão Toxicovigilância: busca ativa e educação em saúde. Atualmente é técnica em enfermagem no setor UTI pediátrica do Hospital Universitário de Maringá.

Rosemere Cristina Moretto Molina, Universidade Estadual de Maringá

Possui graduação em Enfermagem e Obstetrícia pela Faculdade Estadual de Educação, Ciências e Letras de Paranavaí (1994). Atualmente é docente colaboradora do Curso de Especialização em Urgência e Emergência da Universidade Paranaense e enfermeira da Universidade Estadual de Maringá. Foi docente da Universidade Paranaense no ano letivo de 2005. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Enfermagem, atuando principalmente nos seguintes temas: Paciente-Família, Cuidado humano, UTI adulto e Pediátrica.

Ieda Harumi Higarashi, Universidade Estadual de Maringá

Possui graduação em Enfermagem e Obstetrícia pela Universidade Estadual de Maringá (1986),mestrado em Educação Especial (Educação do Indivíduo Especial) pela Universidade Federal de SãoCarlos (1994) e doutorado em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (2003). Atuoucomo membro suplente e posteriormente, como membro titular da Comissão Nacional de Ética emPesquisa (CONEP) do Ministério da Saúde - gestão 2005/2009. Possui vínculo como ProfessoraEfetiva do Departamento de Enfermagem da Universidade Estadual de Maringá, na área Materno-Infantil, Saúde da Criança, desde 1990. Docente (Professora Associada A) da graduação emenfermagem, na área de saúde da criança, e nos programas de pós-graduação do Centro deCiências da Saúde (2004-2010) e Enfermagem (2009-atual) na área de Metodologia de Ensino eBioética.Foi membro do Comitê Permanente de Ética em Pesquisa envolvendo Seres Humanos daUEM de 2003 a 2012, atuando como presidente do referido comitê por duas gestões, de 2006 a2009, e de 2009 a 2012. Foi Coordenadora Adjunta do Programa de Pós-Graduação emEnfermagem na gestão 2010-2012 e atualmente desenvolve pesquisas na área da saúde da criança,processos educativos em saúde, ética na pesquisa e bioética. É docente permanente do Programade Pós-Graduação em Enfermagem (PSE) da UEM, orientando mestrado e doutorado.

Sonia Silva Marcon, Universidade Estadual de Maringá

Professora Titular do Departamento de Enfermagem da Universidade Estadual de Maringá (disciplina Enfermagem em Saúde Pública com ênfase na saúde da família). Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Estadual de Londrina (1979), mestrado em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Catarina (1989) e doutorado em Filosofia da Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Catarina (1998). É professora da Universidade Estadual de Maringá desde 1983. Atua nos Programas de Pós-Graduação em Enfermagem e Ciências da Saúde, orientando mestrado e doutorado. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Enfermagem de Saúde Pública, atuando principalmente nos seguintes temas: família, doença crônica, cuidado, criança e assistência domiciliar. Pesquisador 1D do CNPq

Plum Analytics

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2