Descobrir, aceitar e assumir a homoafetividade: situações de vulnerabilidade entre jovens / Discovering, accepting and assuming homoaffectivity: situations of vulnerability among young people

Main Article Content

Elisangela Argenta Zanatta
Lucimare Ferraz
Marson Luiz Klein
Lorraine Cichowicz Marques
Lucineia Ferraz

Resumo

Objetivo: identificar situações de vulnerabilidade vivenciadas pelo jovem no decorrer do processo de descobrir-se, aceitar-se e assumir sua orientação sexual. Método: pesquisa qualitativa realizada com 25 jovens homoafetivos por meio de entrevistas. Resultados: os jovens homoafetivos vivenciam vulnerabilidades individuais e sociais. Na dimensão individual, estão expostos aos sentimentos de medo, insegurança e não aceitação. Na dimensão social, destaca-se a exposição à violência, expressa de diversas formas, nos âmbitos familiar e social. Como meio de enfrentamento das vulnerabilidades, a família foi evidenciada como uma entidade importante. Conclusões: as vulnerabilidades presentes na vida do jovem homoafetivo necessitam ser (re) conhecidas e enfrentadas em todas as suas dimensões. É imperativo implementar políticas e programas de prevenção à violência e de promoção à saúde, considerando a sexualidade como parte do projeto de felicidade das pessoas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
1.
Argenta Zanatta E, Ferraz L, Klein ML, Cichowicz Marques L, Ferraz L. Descobrir, aceitar e assumir a homoafetividade: situações de vulnerabilidade entre jovens / Discovering, accepting and assuming homoaffectivity: situations of vulnerability among young people. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 2º de abril de 2018 [citado 17º de janeiro de 2022];10(2):391-8. Disponível em: http://seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/6058
Seção
Research
Biografia do Autor

Elisangela Argenta Zanatta, Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC

Enfermeira, Doutora em Enfermagem pelo Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Docente do Departamento de Enfermagem da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Chapecó, SC, Brasil.  Líder do Grupo de Pesquisa Enfermagem, Cuidado Humano e Processo Saúde-Adoecimento da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC).

Lucimare Ferraz, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Enfermeira, Doutora em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Docente do Departamento de Enfermagem da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Membro do Grupo de Pesquisa Enfermagem, Cuidado Humano e Processo Saúde-Adoecimento da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC).

Marson Luiz Klein, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Enfermeiro, Mestre em Ciências da Saúde pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó (UNOCHAPECÓ). Docente do Departamento de Enfermagem da Universidade do Estado de Santa Catarina

Lorraine Cichowicz Marques, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Enfermeira, no Imperial Hospital de Caridade - Florianópolis - SC. Membro do Grupo de PesquisaEnfermagem, Cuidado Humano e Processo Saúde-Adoecimento da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC).

Lucineia Ferraz, Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Enfermeira, Mestre em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Docente do Departamento de Enfermagem da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC).Membro do Grupo de Pesquisa Enfermagem, Cuidado Humano e Processo Saúde-Adoecimento da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC).

Plum Analytics

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)