Work process and disposal of stress between teachers of biological sciences and health / Processo de trabalho e disposição ao estresse entre docentes de ciências biológicas e da saúde

Main Article Content

Cristina Berger Fadel
Makielle Tadei Flores
Sabrina Brigola
Camila Zanesco
Danielle Bordin
Alessandra de Souza Martins

Resumo

OBJETIVO: Explorar a relação entre disposição ao estresse e processo de trabalho junto a docentes universitários. MÉTODOS: Pesquisa quanti-qualitativa, realizada com docentes das Ciências Biológicas e da Saúde, utilizando instrumentos auto-aplicáveis. RESULTADOS: A prevalência do estresse entre os docentes foi de 35%. Considerando os diferentes aspectos investigados do processo de trabalho: curso de graduação e pós-graduação, regime de trabalho, carga horária, atividade administrativa; nenhuma condição apresentou relação significativa com o estresse, suas fases de evolução e sintomatologia. Grande parte dos docentes atribui a determinação do estresse a questões administrativas inerentes ao trabalho e ao atrito com estudantes e colegas de trabalho. Para o enfrentamento do estresse, os docentes manifestam com frequência a prática de atividades físicas e de atividades de lazer, a busca pelo contato com amigos e familiares e o aprimoramento de habilidades pessoais. CONCLUSÃO: O estresse esteve significativamente presente no meio docente, independente do processo de trabalho exercido.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
1.
Fadel CB, Tadei Flores M, Brigola S, Zanesco C, Bordin D, de Souza Martins A. Work process and disposal of stress between teachers of biological sciences and health / Processo de trabalho e disposição ao estresse entre docentes de ciências biológicas e da saúde. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 1º de julho de 2019 [citado 24º de janeiro de 2022];11(4):836-41. Disponível em: http://seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/6666
Seção
Research
Biografia do Autor

Cristina Berger Fadel, UEPG

Doutora em Odontologia Social e Preventiva. Faculdade de Odontologia de Araçatuba - Universidade Estadual Paulista (UNESP). Docente Adjunto, Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG, Paraná.

Makielle Tadei Flores, UEPG

Graduada em  Odontologia pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Paraná, Brasil.

Sabrina Brigola, UEPG

Curso de Graduação em Odontologia pela Universidade Estadual de Ponta Grossa. Residente em Intensivismo no Hospital Universitário Regional Wallace Thadeu de Mello e Silva.

Camila Zanesco, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Enfermeira. Mestranda em ciências da saúde na área interdisciplinar. Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), Paraná, Brasil.

Danielle Bordin

Doutora em Odontologia Social e Preventiva. Faculdade de Odontologia de Araçatuba - Universidade Estadual Paulista (UNESP), São Paulo, Brasil. Docente colaboradora, Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG, Paraná.

Alessandra de Souza Martins, UEPG

Curso de Graduação em odontologia pela Universidade Estadual de Ponta Grossa. Mestrado e doutorado em odontologia social e preventiva pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Docente colaboradora, Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG, Paraná.

Plum Analytics

Referências

Santos AMS. Estresse e qualidade de vida no ambiente de trabalho. RACI. 2014; 8 (18): 32 – 39. 2. Silva MG da, Barros BP de. Percepção de estresse de servidores na atenção básica de saúde de dourados-ms. Saúde em Redes. 2015; 1 (4): 35 – 52. 3. Zille LP, Cremonezi AM. Estresse no trabalho: estudo com professores da rede pública estadual de minas gerais. REUNA. 2013; 18 (4): 111-128. 4. Santos JAA dos, CallesAC do N. A avaliação do nível de estresse e a consequência sobre a variabilidade da frequência cardíaca em docentes. Ciências Biológicas e da Saúde. 2016; 3 (3): 215-226. 5. Souza CC de, Guimarães AC de A, Araujo C da CR de A. Estresse no trabalho em docentes universitários. Revista Brasileira de Ciências da Saúde. 2013; 11 (35): 1-8.

Received in: 26/07/2017 Required revisions: did not have Approved in: 11/09/2017 Published in: 01/07/2019

Corresponding author Camila Zanesco Address: Rua Valério Ronchi, nº 160, Bairro Uvaranas, Paraná, Brazil Zip Code: 84.830-000 E-mail address: camila_zanesco@hotmail.com Telephone number: +55 (49) 2049-2946

Disclosure: The authors claim

to have no conflict of interest.

Diehl L, Marin AH. Adoecimento mental em docentes brasileiros: revisão sistemática da literatura. Estudos Interdisciplinares em Psicologia. 2016; 7 (2): 64-85. 7. Cortez PA, Souza MVR, Amaral LO, Silva LCA. A saúde docente no trabalho: apontamentos a partir da literatura recente. Cad. Saúde Colet. 2017; 25 (1): 113-122. 8. Vale PCS do, Aguillera F. O estresse dos professores de ensino fundamental em escolas públicas: uma revisão de literatura. Revista Psicologia, Diversidade e Saúde. 2016; 5 (1): 86-94. 9. Petto J, Santos GM, Nonato JB, Santiago MV, Mota V da S, Nascimento WLC do, et al. Percepção de estresse em docentes do ensino superior. Revista Diálogos Possíveis. 2016; 15 (1): 70-84. 10. Lipp MEN. Manual do inventário de sintomas de stress para adultos de Lipp. São Paulo, SP: Casa do psicólogo,2000. 11. Bardin L. Análise de Conteúdo. Lisboa, Portugal; Edições 70, LDA; 2009. 12. Silveira KA, Enumo SRF, Paula KMP de, Batista EP. Estresse e enfrentamento em professores: uma análise da literatura. Educação em Revista. 2014; 30 (4): 15-36. 13. Gasparini SM, Barreto SM, Assunção AA. O professor, as condições de trabalho e os efeitos sobre sua saúde. Educação e Pesquisa. 2015; 31 (2): 189-199. 14. Carvalho L, Malagris LEN. Avaliação do nível de stress em profissionais da saúde. Estudos e Pesquisas em Psicologia. 2007; 7 (3): 570-582. 15. Cruz RM, Lemos JC, Welter MM, Guisso L. Saúde docente, condições e carga de trabalho. Revista Electrónica de Investigación y Docencia . 2010; 4 (1): 147-160. 16. Margis R, Picon P, Cosner AF, Silveira R de O. Relação entre estressores, estresse e ansiedade. Revista de Psiquiatria do Rio Grande do Sul. 2003; 25 (1): 65-74. 17. Camelo SHH, Angerami ELS. Riscos psicossociais no trabalho que podem levar ao estresse: uma análise da literatura. Ciência, Cuidado e Saúde. 2008; 7 (2): 234-240. 18. Yaegashi SFR, Benevides-Pereira AMT, Alves ICB, Lara S de. Estresse e prática docente: a qualidade de vida dos educadores em questão. VIII Congresso Nacional de Educação da PUCPR (EDUCERE) – Edição Internacional e IIIi Congresso Ibero – Americano Sobre Violências Nas Escolas – “Formação de Professores”. ANAIS 2008. [acesso em: 25 jun 2017]; 3339-3349. Available at: http://www.pucpr.br/eventos/ educere/educere2008/anais/pdf/847_899.pdf. 19. Carlotto M. Burnout e o trabalho docente: considerações sobre a intervenção. Revista Eletrônica Interação Psy. 2003; 1 (1): 12-18. 20. Cooper CL, Payne R. Causes, coping and consequences of stress at work. Edited by Cary. 1989; 33 (4): 414- 525.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)