Hospital morbidity and financial impacts for urolithiasis in bahia, brazil / Morbidade hospitalar e impactos financeiros por urolitíase na Bahia, Brasil

Main Article Content

Edison Vitório de Souza Júnior
http://orcid.org/0000-0003-0457-0513
Sávio Luiz Ferreira Moreira
http://orcid.org/0000-0001-8170-1180
Randson Souza Rosa
Diego Pires Cruz
http://orcid.org/0000-0001-9151-9294
Rita Narriman Silva de Oliveira Boery
http://orcid.org/0000-0002-7823-9498
Eduardo Nagib Boery
http://orcid.org/0000-0001-7624-4405

Resumo

Objetivo: Descrever os casos de morbidade hospitalar e impactos financeiros por urolitíase no estado da Bahia, Brasil no período de 2012 a 2016. Métodos: Trata-se de um estudo epidemiológico, descritivo e transversal baseado no banco de dados secundários do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde. As variáveis coletadas foram: sexo, faixa etária, custos e raça/cor notificados no período citado. Resultados: Foram registrados 15.171 casos de morbidade hospitalar por urolitíase, o que corresponde a 0,46% do total das internações. A maior prevalência ocorreu na macrorregião leste (n=6.920), entre o sexo masculino (n=7.815), em idade entre 35 e 39 anos (n=1.877) e cor/raça ignorada (n=8.031). A urolitíase gerou um impacto financeiro superior a 5,5 milhões de reais ao Sistema Único de Saúde. Conclusão: De acordo com os resultados, observa-se a necessidade de tornar a macrorregião leste como prioritária para as ações de controle e prevenção da patologia.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
1.
Souza Júnior EV de, Moreira SLF, Rosa RS, Cruz DP, Boery RNS de O, Boery EN. Hospital morbidity and financial impacts for urolithiasis in bahia, brazil / Morbidade hospitalar e impactos financeiros por urolitíase na Bahia, Brasil. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 1º de maio de 2021 [citado 29º de novembro de 2021];13:50-6. Disponível em: http://seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/7167
Seção
Research
Biografia do Autor

Edison Vitório de Souza Júnior, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Jequié (BA), Brasil.

Graduando em Enfermagem pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Jequié (BA), Brasil.

Sávio Luiz Ferreira Moreira, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Jequié (BA), Brasil.

Graduando em Enfermagem pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Jequié (BA), Brasil.

Randson Souza Rosa, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Jequié (BA), Brasil.

Enfermeiro. Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e Saúde da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/PPGES/UESB. Jequié (BA), Brasil.

Diego Pires Cruz, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Jequié (BA), Brasil

Enfermeiro. Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e Saúde da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/PPGES/UESB. Jequié (BA), Brasil.

Rita Narriman Silva de Oliveira Boery, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Jequié (BA), Brasil.

Enfermeira. Pós-doutora. Docente do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e Saúde da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/PPGES/UESB. Jequié (BA), Brasil.

Eduardo Nagib Boery, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Jequié (BA), Brasil.

Enfermeiro. Doutor. Docente do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e Saúde da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/PPGES/UESB. Jequié (BA), Brasil.

Plum Analytics

Referências

Ferraz RRN, Aquino S. Litíase urinária em trabalhadores da construção civil como indicador para a gestão em saúde e melhoria na gestão de pessoas. Ciência & Saúde Coletiva. 2014; 19(12):4759-66. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1413-812320141912.16322013

Silva GRN, Maciel LC. Epidemiologia dos atendimentos por urolitíase no Vale do Paraíba. Rev. Col. Bras. Cir. 2016; 43(6): 410-15. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0100-69912016006001

Camilo G, Bouças RI, Achar RAN, Achar E. Os principais tratamentos para a litíase renal. Science in Health. 2015; 6(3): 174-9.

Ramos AP, Vitello RLL, Pimentel LC. Prevenção de litíase renal através de mudanças de hábitos de vida e dietéticos. Braz J Health [internet]. 2012 [acesso em 2017 set 20]; 3(2): 22-31. Available at: http://inseer.ibict.br/bjh/index.php/bjh/article/viewFile/121/126

torricelli FCM, Mazzucchi E, Danilovic A, Coelho RF, Srougi M. Tratamento cirúrgico da litíase vesical: revisão de literatura. Rev. Col. Bras. Cir [internet]. 2012 [acesso em 2017 set 20]; 40(3): 227-33. Available at: http://www.scielo.br/pdf/rcbc/v40n3/11.pdf

Cook J, Lamb BW, Lettin JE, Graham SJ. The Epidemiology of Urolithiasis in an Ethnically Diverse Population Living in The Same Area. Urol J. 2016; 13(4):2754-8. PubMed; PMID 27576881

Eaton SH, Cashy J, Pearl JA, Stein DM, Perry K, Nadler RB. Admission rates and costs associated with emer¬gency presentation of urolithiasis: analysis of the Na-tionwide Emergency Department Sample 2006-2009. J Endourol. 2013; 27(12):1535-8.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Bahia [internet] 2017. [citado 2017 abr 14] Available at: http://cidades.ibge.gov.br/xtras/uf.php?lang=&coduf=29&search=bahia

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Projeção da população das unidades da federação por sexo e grupos de idade: 2000-2030 [internet] 2017. [acesso em 2017 abr 14] Available at: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?ibge/cnv/projpopuf.def

Organização Mundial da Saúde. Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde -10ª Revisão. São Paulo: CBCD/EDUSP; 1995.

Silva JDRP. Nefrolitíase induzida por fármacos [tese] [internet]. Portugal: Universidade do Porto; 2015. [acesso em 2017 nov 10]. Available at: https://sigarra.up.pt/ffup/pt/pub_geral.show_file?pi_gdoc_id=611643

Asplin JR. Nephrolithiasis: Introduction. Seminars in Nephrology. 2008; 28(2):97-98. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.semnephrol.2008.02.001

Pachaly MA, Baena CP, Carvalho M. Tratamento da nefrolitíase: onde está a evidência dos ensaios clínicos?. J Bras Nefrol. 2016;38(1):99-106. DOI: DOI: http://dx.doi.org/10.5935/0101-2800.20160015

Gusson DG, Malagutti W, Deus RB, Rodrigues FSM, Ferraz RRN. Prevalência e recorrência de litíase urinária em uma população de estudantes universitários da grande São Paulo. ConScientiae Saúde [internet]. 2009 [acesso em 2017 nov 20]; 8(4):621-26. Available at: http://udg.redalyc.org/articulo.oa?id=92912706012

Sebben S, Brum SPB. Urolitíase e fatores associados. Arquivos Catarinenses de Medicina [internet]. 2007 [acesso em 2017 nov 20]; 36(2):99-106. Available at: http://www.acm.org.br/acm/revista/pdf/artigos/494.pdf

Sociedade Brasileira de Urologia. Litíase Urinária em Criança. 2006. 10 p. Available at: https://diretrizes.amb.org.br/_BibliotecaAntiga/litiase-urinaria-em-crian%C3%A7a.pdf

Araujo FO. Hipertensão arterial sistêmica, diabetes mellitus ou ambas, em pacientes com nefrolitíase em um hospital universitário de Salvador (Bahia) [monografia] [internet]. Salvador: Universidade Federal da Bahia; 2013. [acesso em 2017 nov 12]. Available at: https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/13971/1/Fernanda%20Oliveira%20Ara%C3%BAjo.pdf

Seitz C, Fajkovic H. Epidemiological gender-specific aspects in urolithiasis. World J Urol. 2013;31(5):1087-92. DOI: http://dx.doi.org/10.1007/s00345-013-1140-1

Lessa I, Magalhães L, Araújo MJ, Almeida Filho N, Aquino E, Oliveira MMC. Arterial hypertension in the adult population of Salvador (BA) - Brazil. Arq Bras Cardiol. 2006;87(6):747-56. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0066-782X2006001900011

Ferreira SRG, Moura EC, Malta DC, Sarno F. Frequência de hipertensão arterial e fatores associados: Brasil, 2006. Rev Saúde Pública. 2009;43 Supl. 2:98-106. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102009000900013

Bezerra VM, Andrade ACS, César CC, Caiaffa WT. Comunidades quilombolas de Vitória da Conquista, Bahia, Brasil: hipertensão arterial e fatores associados. Cad Saúde Pública. 2013;29(9):1889-902. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0102-311X00164912

Gatti MFZ, Ferraz MB, Leão ER, Bussotti EA, Caliman RAM. Hospital costs of renal colic diagnosis and management in a Brazilian private emergency service. Rev. dor. 2013; 14(1):12-16. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1806-00132013000100004

Barreto GS. Litíase Renal. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. 2017; 1(2):192-219.

Pearle MS, Calhoun EA, Curhan GC. Urologic diseases in America project: urolithiasis. J urol. 2005;173(3):848–57. DOI: http://dx.doi.org/10.1097/01.ju.0000152082.14384.d7

Scales CD, Curtis LH, Norris RD, Springhart WP, Sur RL, Schulman KA, et al. Changing gender prevalence of stone disease. J urol. 2007;177(3):979–82. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.juro.2006.10.069

Ogden CL, Carroll MD, Curtin LR, McDowell MA, Tabak CJ, Flegal KM. Prevalence of overweight and obesity in the United States, 1999-2004. JAMA. 2006; 295(13):1549–55. DOI: http://dx.doi.org/10.1001/jama.295.13.1549

Korkes F, Silva II JL, Heilberg IP. Custo do tratamento hospitalar da litíase urinária para o Sistema Único de Saúde brasileiro. Einstein [internet]. 2011 [acesso em 28 nov 2017]; 9(4 Pt 1):518-22. Available at: http://www.scielo.br/pdf/eins/v9n4/pt_1679-4508-eins-9-4-0518.pdf.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>