Factors contributing to the incident occurrence of security related to drug use in intensive care / Fatores que contribuem para a ocorrência de incidentes relacionados à terapia medicamentosa em terapia intensiva

Main Article Content

Éder Luís Arboit
http://orcid.org/0000-0001-8929-5228
Silviamar Camponogara
http://orcid.org/0000-0001-9342-3683
Tânia Bosi de Souza Magnago
http://orcid.org/0000-0002-5308-1604
Janete de Souza Urbanetto
http://orcid.org/0000-0002-4697-1641
Carmem Lúcia Colomé Beck
http://orcid.org/0000-0001-9060-1923
Luiz Anido Anacleto da Silva
http://orcid.org/0000-0003-0651-7804

Resumo

Objetivo: identificar os fatores que contribuem para a ocorrência de incidentes relacionados à terapia medicamentosa em terapia intensiva, sob a ótica dos trabalhadores de enfermagem. Métodos: pesquisa descritivo-exploratória, com abordagem qualitativa realizada em um hospital do Sul do Brasil. Os participantes foram quinze trabalhadores de enfermagem. A coleta de dados ocorreu entre fevereiro e março de 2014, por meio de entrevista semiestruturada, sendo os dados analisados por meio de Análise de Conteúdo. Resultados: os dados foram agrupados em duas categorias: Incidentes de segurança relacionados aos fatores institucionais/organizacionais, que evidencia aspectos ligados à organização e processo de trabalho e, Incidentes de segurança relacionados aos fatores humanos, apontando aspectos relativos a assistência de enfermagem. Conclusão: vários fatores institucionais/organizacionais e humanos contribuem para a ocorrência de incidentes de segurança relacionados à terapia medicamentosa, devendo, tanto os trabalhador quanto as instituições, implementar estratégias para minimizar tais eventos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
1.
Arboit Éder L, Camponogara S, Magnago TB de S, Urbanetto J de S, Beck CLC, Silva LAA da. Factors contributing to the incident occurrence of security related to drug use in intensive care / Fatores que contribuem para a ocorrência de incidentes relacionados à terapia medicamentosa em terapia intensiva. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 1º de maio de 2021 [citado 16º de maio de 2022];12:1030-6. Disponível em: http://seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/7456
Seção
Research
Biografia do Autor

Éder Luís Arboit, Universidade de Cruz Alta - UNIcruz.

Enfermeiro, Mestre em Enfermagem, docente do Curso de Enfermagem da Universidade de cruz Alta - Unicruz.

Silviamar Camponogara, Universidade Federal de Santa Maria - UFSM.

Enfermeira, Doutora em Enfermagem; Docente do Departamento e Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Santa Maria.

Tânia Bosi de Souza Magnago, Universidade Federal de Santa Maria - UFSM.

Enfermeira, Doutora em Enfermagem; Docente do Departamento e Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Santa Maria – UFSM.

Janete de Souza Urbanetto, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS.

Enfermeira, Doutora em Ciências da Saúde. Docente no Curso de Enfermagem da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS.

Carmem Lúcia Colomé Beck, Universidade Federal de Santa Maria - UFSM.

Enfermeira, Doutora em Enfermagem, Docente do Departamento de Enfermagem e do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Santa Maria – UFSM.

Luiz Anido Anacleto da Silva, Universidade Federal de Santa Maria, Campus de Palmeira das Missões.

Enfermeiro, Doutor em Enfermagem PEN/UFSC. Docente do Curso de Enfermagem, Departamento de ciências da Saúde de Universidade Federal de Santa Maria, Campus de Palmeira das Missões.

Plum Analytics

Referências

Santos MN, Rosa VPP, Vargas RC, Medeiros RM. Segurança do paciente e as melhores práticas na enfermagem. IN: SANTOS, M.N.; MEDEIROS, R.M.; SOARES, O.M. Emergência e Cuidados críticos para Enfermagem: conhecimentos, habilidades - atitudes. Porto Alegre: Moriá, 2018.

Choo J, Hutchinson UM, Bucknall T. Nurses’ role in medication safety. J Nurs Manag. 2010; 18(7):853–861. DOI: 10.1111 / j.1365-2834.2010.01164.x.

Harada MJCS. A prevenção do erro humano. In: Harada MJCS, Pedreira MLG, Organizadores. O erro humano e a segurança do paciente. São Paulo: Atheneu; 2006.

Golle L, Ciotti D, Herr GEG, et al., Cultura de segurança do paciente em hospital privado. Rev Fund Care Online. 2018; 10(1):85-89. DOI: 10.9789/2175-5361.2018.v10i1.85-89

Brasil. ANVISA. Manual Segurança do Paciente e Qualidade em Serviços de Saúde: Uma Reflexão Teórica Aplicada à Prática. Brasília, DF, 2013.

Silva LD. Segurança do paciente no contexto da terapia intensiva. IN: Santos LCG, Dias ALP. Gerenciamento e Sistematização do cuidado de enfermagem em terapia intensiva. São Paulo: Phorte, 2013.

Oliveira RM, Leitão IMTA, Silva LMS, Figueiredo SV, Sampaio RL, Gondim MM. Strategies for promoting patient safety: from the identification of the risks to the evidence-based practices. Esc Anna Nery. 2014; 18(1):122-129. DOI: 10.5935/1414-8145.20140018

Ferreira MMM, Alves FS, Jacobina FMB. O profissional de enfermagem e a administração segura de medicamentos. Revista Enfermagem Contemporânea. 2014; 3(1):61-69.

Fontanella BJB, Luchesi BM, Saidel MGB, Ricas J, Turato EB, Melo DG. Amostragem em pesquisas qualitativas: proposta de procedimentos para constatar saturação teórica. Cad. saúde publ. 2011; 27(2):389-94. DOI: 10.1590/S0102-311X2011000200020

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 14ª.ed. São Paulo: Hucitec, 2014.

Ministério da Saúde (BR), Conselho Nacional de Saúde. Resolução 466 de 12 de dezembro de 2012: diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília: Ministério da Saúde, 2012.

Luiz FF, Caregnato RCA, Costa MR. Humanization in the Intensive Care: perception of family and healthcare professionals. Rev. bras. enferm. 2017; 70(5):1095-103. DOI: 10.1590/0034-7167-2016-0281

Brasil. COFEN. Resolução Cofen-293/2004 - Fixa e estabelece parâmetros para o dimensionamento do quadro de profissionais de enfermagem nas unidades assistenciais das instituições de saúde. Brasília, DF, 2004.

Brasil. ANVISA. Resolução 7/20110 - Dispõe sobre os requisitos mínimos para funcionamento de Unidades de Terapia Intensiva e dá outras providências. Brasília, DF, 2010.

Kakushi LE, Évora YDM. Direct and indirect nursing care time in an intensive care unit. Rev. Latino-Am. Enfermagem. 2014; 22(1):150-7. DOI: 10.1590/0104-1169.3032.2381

Brasil. ANVISA. Resolução 26/2012 - Altera a Resolução RDC nº. 07, de 24 de fevereiro de 2010, que dispõe sobre os requisitos mínimos para funcionamento de Unidades de Terapia Intensiva e dá outras providências. Brasília, DF, 2012.

Cavalcante AKCB, Rocha RC, Nogueira LT, Avelino FVSDA; Rocha SS. Cuidado seguro ao paciente: contribuições da enfermagem. Revista Cubana de Enfermería. 2015; 31(4).

Dias JD, Mekako KS, Tibes CMS, Zem-Mascarenhas, SH. the nurses’ understanding about patient safety and medication errors. Rev Min Enferm. 2014; 18(4):874-880. DOI: 10.5935/1415-2762.20140064

Figueiredo ML, Oliveira e Silva CS, Brito MFSF, D’Innocenzo M. Analysis of incidents notified in a general hospital. Rev Bras Enferm. 2018; 71(1):111-9. DOI: 10.1590/0034-7167-2016-0574

Santos DS, Souza OV, Nascimento ALS, Pereira JS, Santos MJC, Alves MC et al., Segurança do paciente: fatores causais de eventos adversos a medicamentos pela equipe de enfermagem. Ciências Biológicas e da Saúde, 2014; 2(2):19-30.

Oliveira FBM, Costa ACAL, Alves DL, França JS, Macedo MF, Santos RD. Relationship between work overload and medication administration errors in hospital care. ReonFacema. 2016; 2(2):325-334.

Pazokian M, Zagheri Tafreshi M, Rassouli M. Iranian nurses’ perspective on factors influencing medication errors. International Nursing Review. 2014 June; 61(2):246-254. DOI: 10.1111/inr.12086. Epub 2014.

Paranaguá TTB, Bezerra ALQ, Camargo e Silva AEB, Azevedo Filho FM. Prevalence of no harm incidents and adverse events in a surgical clinic. Acta Paul Enferm. 2013; 26(3):256-62. DOI: 10.1590/S0103-21002013000300009

Minuzzi AP, Salum NC, Locks MOH, Amante LN, Matos E. Contributions of healthcare staff to promote patient safety in intensive care. Esc Anna Nery. 2016; 20(1):121-129. DOI: 10.5935/1414-8145.20160017

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>