Hemotransfusion under the perspective of nursing care / A hemotransfusão sob a perspectiva do cuidado de enfermagem

Main Article Content

Leila Xavier dos Santos
Cristina Célia de Almeida Pereira Santana
Arlene de Souza Barcelos Oliveira

Resumo

Objetivo: verificar a atuação da equipe de enfermagem durante a assistência em terapêutica transfusional. Método: pesquisa descritiva e exploratória, com abordagem quanti-qualitativa. Participaram do estudo 31 membros da equipe de enfermagem lotados em um hospital público e de ensino, habilitado como unidade de alta complexidade em oncologia. Os dados foram coletados entre setembro e dezembro de 2017 em duas etapas: por intermédio de entrevistas semiestruturadas e de um checklist para observação. Os dados foram agrupados, dispostos em tabelas e apresentados em frequência simples e valores absolutos e avaliados por análise temática. Resultados: a maioria dos profissionais referiu não se sentir apta a prestar a assistência transfusional. Observou-se não conformidade em aplicar normas de biossegurança, uma ineficaz monitoração do paciente e ausência do registro de informações sobre a assistência prestada. Conclusão: destaca-se a importância da capacitação contínua dos profissionais e a implementação de instrumentos que possam assegurar a assistência transfusional segura.



Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
1.
dos Santos LX, de Almeida Pereira Santana CC, Barcelos Oliveira A de S. Hemotransfusion under the perspective of nursing care / A hemotransfusão sob a perspectiva do cuidado de enfermagem. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 1º de junho de 2021 [citado 29º de novembro de 2021];13:65-71. Disponível em: http://seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/7458
Seção
Research
Biografia do Autor

Leila Xavier dos Santos, Hospital da Clínicas da Universidade Federal de Goiás/EBSERH

Enfermeira, Residência Multiprofissional, Departamento de Hematologia e Hemoterapia.

Cristina Célia de Almeida Pereira Santana, Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás/EBSERH

Enfermeira Investigadora de Riscos Assistenciais. Setor de Vigilância em Saúde e Segurança do Paciente.

Arlene de Souza Barcelos Oliveira, Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás/EBSERH

Enfermeira. Setor de Vigilância em Saúde e Segurança do Paciente.

Plum Analytics

Referências

Olsson ML, Irshaid NM, Hosseini-Maaf B, Helberg A, Moulds MK, Sareneva H, Chesser A. Genomic analysis of clinical samples with serologic ABO blood grouping discrepancies: identification of 15 novel A and B subgroup alleles. Blood. 2001 Sep 1;98(5):1585-93.

Barbosa SM, Torres CA, Gubert FA, Pinheiro PNDC, Vieira NFC. Enfermagem e a prática hemoterápica no Brasil: revisão integrativa. Acta Paul Enferm. 2011 set.;24(1):132-6.

Carneiro D, Chaves JM, Borges TS. Assistência de enfermagem na coleta de sangue do doador e na hemotransfusão ambulatorial. Cadernos Hemominas. 2004;6:32p.

Silva KFN, Soares S, Iwamoto HH. A prática transfusional e a formação dos profissionais de saúde. Rev. Bras. Hematol Hemoter. 2009;31(6):421-6.

Brasil. Resolução Nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Define as recomendações para realização de pesquisas que envolvem seres humanos no Brasil. Brasília, DF: Ministério da Saúde, CNS; 2012.

Mota EC, Barbosa DA, Silveira BRMD, Rabelo TA, Silva MN, Silva PLND, et al. Higienização das mãos: uma avaliação da adesão e da prática dos profissionais de saúde no controle das infecções hospitalares. Rev Epidemiol Control Infect. 2014 jan./mar.;1(4):12-7.

Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Segurança do Paciente em Serviços de Saúde: Higienização das Mãos. Brasília: Anvisa; 2009.

Souza LMd, Ramos MF, Becker ESDS, Meirelles LCDS, Monteiro SAO. Adesão dos profissionais de terapia intensiva aos cinco momentos da higienização das mãos. Rev. Gaúcha Enferm. 2015 dez.;36(4):21-8.

Vasconcelos BM, Reis ALRD, Vieira MS. Uso de equipamentos de proteção individual pela equipa de enfermagem de um hospital do município de Coronel Fabriciano. Revista Enfermagem Integrada. 2008 nov./dez.;1(1):99-11.

Brasil. Ministério da Saúde. Biossegurança em saúde: prioridades e estratégias de ação (Série B. Textos Básicos de Saúde). Brasília: Ministério da Saúde; 2010: 242p.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Exposição a materiais biológicos (Série A. Normas e Manuais Técnicos - Saúde do Trabalhador). Brasília: Editora do Ministério da Saúde; 2006: 76p.

Molento FHB. Biossegurança e a prática baseada em evidências. Rev Pan-Amaz Saúde. 2017;8(1):7-8.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 2.095, de 24 de setembro de 2013. Aprova os Protocolos de Segurança do Paciente [Internet]. Brasília, DF; 2013. [acesso em 2018 jan. 18]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2013/prt2095_24_09_2013.html.

Mattia DD, Andrade SRD. Cuidados de enfermagem na transfusão de sangue: um instrumento para monitorização do paciente. Texto Contexto Enferm [Internet]. 2016 [acesso em 2018 jan. 4]; 25(2). Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tce/v25n2/pt_0104-0707-tce-25-02-2600015.pdf.

Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Marco Conceitual e Operacional de Hemovigilância: Guia para a Hemovigilância no Brasil. Brasília, DF: 2015; 77p.

Stout L, Joseph, S. Blood transfusion: patient identification and empowerment. Br J Nurs. 2016;25(3):138-3.

Ministério S. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Resolução da Diretoria Colegiada – RDC n° 34, de 11 de junho de 2014. Dispõe sobre as Boas Práticas no Ciclo do Sangue. Brasília, DF: DOU n° 113. 2014 jun. 16.

Conselho federal de enfermagem (COFEN). Resolução nº 0511/2016. Dispõe sobre a atuação dos Enfermeiros e Técnicos de enfermagem em Hemoterapia. Brasília, DF: 2016.

Santos SP, Tanaka LH, Gusmão A, Abreu RGS, Carneiro IA, Carmagnani MIS. Avaliação dos registros de enfermagem em hemoterapia de um hospital geral. Av Enfermería. 2013;31(1):103-12.