The Motherhood Experience of Women Crack Users: Experiences Shared Between Children and Mothers / A Experiência da Maternidade em Mulheres Usuárias de Crack: Vivência Entre Mãe e Filho

Main Article Content

Paola de Oliveira Camargo
http://orcid.org/0000-0002-9169-7602
Michele Madagará de Oliveira
http://orcid.org/0000-0002-7914-9339
Lieni Fredo Herreira
http://orcid.org/0000-0003-2069-3839
Josiane Santos Palma
http://orcid.org/0000-0002-1275-4972
Maria de Fátima Duarte Martins
http://orcid.org/0000-0001-9762-5952
Vanda Maria da Rosa Jardim
http://orcid.org/0000-0001-8320-4321

Resumo

Objetivo: conhecer a visão da mulher usuária de crack em relação a experiência da maternidade. Método: estudo qualitativo, com cinco mulheres que utilizaram crack na gestação. Dados coletados entre maio e agosto de 2014, através da observação participante, construção de diário de campo e entrevistas semiestruturadas. A análise seguiu o Interpretativismo, de Clifford Geertz. Resultados: o uso de crack não é fator fundamental no processo de maternidade das mulheres usuárias, alguns fatores podem influenciar na relação entre mãe e filho e na experiência da mulher neste processo, como o desejo de ser mãe, planejamento da gravidez e contexto familiar. Conclusão: deve-se pensar em políticas públicas de saúde intersetoriais, visando atender as usuárias de forma integral, diminuindo a desigualdade social e propondo uma abordagem que destaque as possibilidades, especificidade e singularidade do indivíduo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
1.
Camargo P de O, de Oliveira MM, Herreira LF, Palma JS, Martins M de FD, Jardim VM da R. The Motherhood Experience of Women Crack Users: Experiences Shared Between Children and Mothers / A Experiência da Maternidade em Mulheres Usuárias de Crack: Vivência Entre Mãe e Filho. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 4º de outubro de 2019 [citado 17º de maio de 2022];11(5):1272-7. Disponível em: http://seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/7496
Seção
Research
Biografia do Autor

Paola de Oliveira Camargo, Universidade Federal de Pelotas

Pedagoga, Psicopedagoga Clínica e Institucional, Especialista em Educação Infantil, Mestre em Ciências, Doutoranda do Programa de Pós-Graduação da Universidade Federal de Pelotas. Membro do grupo de Pesquisa em Saúde Mental e Coletiva e do Grupo de Estudos em Substâncias Psicoativas.

Michele Madagará de Oliveira, Universidade Federal de Pelotas

Enfermeira. Universidade Federal de Pelotas, Faculdade de Enfermagem, Docente do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem

Lieni Fredo Herreira, Universidade Federal de Pelotas

Enfermeira. Universidade Federal de Pelotas, Faculdade de Enfermagem, Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem.

Josiane Santos Palma, Santa Casa de Pelotas

Enfermeira, Doutora em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de Pelotas

Maria de Fátima Duarte Martins, Universidade Federal de Pelotas

Psicóloga. Universidade Federal de Pelotas, Faculdade de Educação, Docente do Departamento de Fundamentos da Educação.

Vanda Maria da Rosa Jardim, Universidade Federal de Pelotas

Enfermeira. Universidade Federal de Pelotas, Faculdade de Enfermagem, Docente do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem.

Plum Analytics

Referências

Botelho APM, Rocha RC, Melo VH. Uso e dependência de cocaína/crack na gestação, parto e puerpério. Femina. 2013 jan; 49 (1):23-32.

Macedo FS, Roso A, Lara MP. Mulheres, saúde e uso de crack: a reprodução do novo racismo na/pela mídia televisiva. Saúde soc. 2015; 21(4):1285-98.

https://doi.org/10.1590/S0104-12902015138833

Wronski J, Pavelski T, Guimarães NA, Zanotelli SS, Schneider JF, Bonilha ALL. Uso do crack na gestação: vivências de mulheres usuárias. Revista de Enfermagem UFPE. 2016 abr; 10(4):1231-39.

Kassada SD, Marcon SS, Waidman MAP. Percepções e práticas de gestantes atendidas na atenção primária frente ao uso de drogas. Esc. Anna Nery. 2014 set; 18(3):428-34.

https://doi.org/10.5935/1414-8145.20140061

Souza MRR, Oliveira JF, Nascimento ER. A saúde de mulheres e o fenômeno das drogas em revistas brasileiras. Texto Contexto Enferm. 2014; 23(1):92-100.

https://doi.org/10.1590/S0104-07072014000100011

Nogueira ATB. Introdução ao pensamento antropológico. São Paulo: Editora Sol, 2011.

Correia MJ. Sobre a Maternidade. Análise Psicológica. 1998; 16(3):365-71.

Brasil. Conselho Nacional de Saúde. Comitê Nacional de Ética em Pesquisa em Seres Humanos. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 1996. Dispõe sobre as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Brasília: Ministério da Saúde; 2012.

Geertz C. Uma descrição densa: por uma Teoria Interpretativa da cultura. In: GEERTZ, C. A Interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 2008. p. 3-21.

Moura LNB, Gomes KRO. Planejamento familiar: uso dos serviços de saúde por jovens com experiência de gravidez. Ciência & Saúde Coletiva. 2014; 19(3):853-63.

https://doi.org/10.1590/1413-81232014193.10902013

PMid:24714899

Dantas ALB, Carvalho JG, Silva MMH. Planejamento familiar: percepção de mulheres que desejam ter filhos. Revista Interdisciplinar. 2013; 6(4):51-69.

Bittar DB, Nakano AMS. Violência intrafamiliar: análise da história de vida de mães agressoras e toxicodependentes no contexto da família de origem. Texto Contexto Enferm. 2011; 20(1):17-24.

https://doi.org/10.1590/S0104-07072011000100002

Silva EAA avaliação do funcionamento de famílias com dependentes de drogas por meio da Family Assessment Measure - III (FAM - III). [dissertação]. São Paulo: Doutorado em Ciências - Faculdade de Medicina, Universidade Federal de São Paulo; 2011.

Marangoni SR, Oliveira MLF. Fatores desencadeantes do uso de drogas de abuso em mulheres. Texto Contexto Enferm. 2013; 22(3):662-70.

https://doi.org/10.1590/S0104-07072013000300012

Oliveira MM, Kantorski LP, Coimbra VCC, Ferreira RZ, Ferreira GB, Cruz VD. Consequências relacionadas ao consumo de crack entre mulheres e motivações para o abandono da droga. Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool e Drogas SMAD. 2014; 10(3): 119-25.

https://doi.org/10.11606/issn.1806-6976.v10i3p119-125

Taborda JA, Silva FC, Ulbricht L, Neves EB. Consequências da gravidez na adolescência para meninas considerando-se as diferenças socioeconômicas entre elas. Cad. saúde colet. 2014; 22(1), p. 16-24.

https://doi.org/10.1590/1414-462X201400010004

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)