Qualification of multiprofessional residence in health: critical opinions of preceptors / Qualificação da residência multiprofissional em saúde: opiniões críticas de preceptores

Main Article Content

Jessyca Twany Demogalski
http://orcid.org/0000-0003-3182-2368
Fabiana Bucholdz Teixeira Alves
http://orcid.org/0000-0001-9955-1811
Luciane Patrícia Andreani Cabral
http://orcid.org/0000-0001-9424-7431
Clóris Regina Blanski Grden
http://orcid.org/0000-0001-6169-8826
Danielle Bordin
http://orcid.org/0000-0001-7861-0384
Cristina Berger Fadel
http://orcid.org/0000-0002-7303-5429

Resumo

Objetivo: realizar reflexão sobre a percepção de preceptores quanto ao aprimoramento de programas de Residência Multiprofissional em Saúde, em nível hospitalar. Método: estudo qualitativo, realizado por meio de entrevista individual com profissionais da saúde (preceptores) (n=34), junto a residentes multiprofissionais de um hospital universitário do Estado do Paraná, Brasil. As informações foram angariadas por meio de questionário e analisadas. Resultados: os preceptores investigados vislumbram pela melhoria na qualificação do programa e pelo fortalecimento de estratégias, sobre dois prismas. O primeiro refere-se ao capital humano, englobando reforços na consolidação das relações interpessoais e de habilidades de comunicação. O outro considera a gestão do trabalho, com vistas a potencializar de forma mais efetiva a organização do processo de trabalho. Conclusão: sugere-se que gestores de hospitais invistam na capacitação de seus agentes formadores, também no que tange a importância do processo avaliativo institucional, com vistas a angariar e regular a qualidade das residências.



Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
1.
Demogalski JT, Alves FBT, Cabral LPA, Grden CRB, Bordin D, Fadel CB. Qualification of multiprofessional residence in health: critical opinions of preceptors / Qualificação da residência multiprofissional em saúde: opiniões críticas de preceptores. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 1º de junho de 2021 [citado 29º de novembro de 2021];13:136-43. Disponível em: http://seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/7974
Seção
Research
Biografia do Autor

Jessyca Twany Demogalski, Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG

Cirurgiã-dentista. Residente. Residência Multiprofissional em neonatal. Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais - HURCG, Ponta Grossa-PR-Brasil.

Fabiana Bucholdz Teixeira Alves, Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG

Cirurgiã-dentista. Doutora em Odontopediatria. Professora Adjunta do Departamento de Odontologia da Universidade Estadual de Ponta Grossa – UEPG. Coordenadora da Residência Multiprofissional em Neonatologia - HURCG, Ponta Grossa–PR-Brasil.

Luciane Patrícia Andreani Cabral, Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG

Enfermeira. Mestre em Tecnologia em Saúde. Professora Colaboradora do Departamento de Enfermagem e Saúde Pública - UEPG. Coordenadora geral das residências multiprofissionais em saúde - HURCG. Ponta Grossa – PR - Brasil.

Clóris Regina Blanski Grden, Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora Adjunta do Departamento de Enfermagem e Saúde Pública - UEPG. Coordenadora da Residência Multiprofissional em Saúde do Idoso -HURCG. Ponta Grossa – PR - Brasil.

Danielle Bordin, Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG

Cirurgiã-dentista. Doutora em Odontologia Preventiva e Social. Professora Colaboradora do Departamento de Enfermagem e Saúde Pública – UEPG. Professora das residências multiprofissionais em saúde - HURCG.   Ponta Grossa – PR - Brasil.

Cristina Berger Fadel, Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG

Cirurgiã-dentista. Doutora em Odontologia Preventiva e Social. Professora Associada do Departamento de Odontologia da UEPG. Professora das residências multiprofissionais em saúde - HURCG. Ponta Grossa – PR - Brasil.

Plum Analytics

Referências

Brasil. Ministério da Saúde.Residência Multiprofissional em saúde: experiências, avanços e desafios. Brasília: Ministério da Saúde, 2006.

Bezerra TCA, Falcao MLP, Goes PSA, Felisberto E. Avaliação de programas de formação profissional em saúde: construção e validação de indicadores. Trab. educ. saúde [internet] 2016 [acesso em 18 dez 2018]; 14(2):445-472. Available at: http://dx.doi.org/10.1590/1981-7746-sip00111.

Autonomo FROM, Hortale VA, Santos GB, Botti SHO. A Preceptoria na formação médica e multiprofissional com ênfase na atenção primária – Análise das Publicações Brasileiras. Rev Bras Educ Med [internet] 2015 [Acesso em 18 jun. 2018]; 39(2):316-27. Available at: http://www.scielo.br/pdf/rbem/v39n2/1981-5271-rbem-39-2-0316.pdf

Ribeiro KRB, Prado ML. A prática educativa dos preceptores nas residências em saúde: um estudo de reflexão. Rev Gaucha Enferm [internet] 2013[Acesso em 18 jun. 2018];34(4):161-5. Available at: http://seer.ufrgs.br/index.php/RevistaGauchadeEnfermagem/article/view/43731

Peixoto LS, Tavares CMM, Queiroz PP. Research about the knowledge and teaching practice of the preceptor: a test pilot. J Nurs UFPE [internet] 2014 [Acesso em 18 jun. 2018]; 8(7):2038-46. Available at: http://dx.doi.org/10.5205/reuol.5963-51246-1-RV.0807201426

Campos GWS. Saúde pública e saúde coletiva: campo e núcleo de saberes e práticas. Cienc Saude Coletiva [internet] 2000 [Acesso em 18 jun. 2018]; 5(2):219-30. Available at: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-81232000000200002&script=sci_abstract&tlng=pt

Bardin, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011, 229 p.

Chiavenato I. Iniciação à Teoria das organizações. 1ª ed. São Paulo: Manole; 2010.

Pasban M, Nojedeh SH. A Review of the Role of Human Capital in the Organization. Procedia- Social and Behavioral Sciences [internet] 2016 [Acesso em 18 dez 2018]; 230:249–253. Available at: https://doi.org/10.1016/j.sbspro.2016.09.032

Carvalho MCN. Relacionamento Interpessoal: como preservar o sujeito coletivo. Rio de Janeiro: LTC; 2009.

Peduzzi M. Equipe multiprofissional de saúde: conceito e tipologia. Rev Saúde Pública [internet] 2001 [Acesso em 18 dez 2018]; 35(1):103-9. Available at: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v35n1/4144.pdf

Albuquerque VS. A integração ensino-serviço no contexto dos processos de mudança na formação superior dos profissionais da saúde. Rev. bras. educ. med [internet] 2008 [Acesso em 18 dez 2018]; 32(3):356-362. Available at: http://www.scielo.br/pdf/rbem/v32n3/v32n3a10

Ceccim RB. Educação permanente em saúde: desafio ambicioso e necessário. Interface-Comunic. Saúde Educ [internet] 2005 [Acesso em 18 dez 2018]; 9(16):161-168. Available at: http://www.scielo.br/pdf/icse/v9n16/v9n16a13.pdf

Silva CT, et al. Residência Multiprofissional como espaço intercessor para a educação permanente em saúde. Porto Alegre: Texto Contexto Enferm [internet] 2015 [Acesso em 18 jun 2018] ;25(1). Available at: http://www.scielo.br/pdf/tce/v25n1/0104-0707-tce-25-01-2760014.pdf

Batista KBC, Goncalves OSJ. Formação dos profissionais de saúde para o SUS: significado e cuidado. Saude soc [internet] 2011[Acesso em 18 jun 2018]; 20(4):884-9. Available at: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-12902011000400007&script=sci_abstract&tlng=pt

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria Interministerial nº 2.117, de 3 de novembro de 2005. Institui no âmbito dos Ministérios da Saúde e da Educação a Residência Multiprofissional em Saúde e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, Ministério da Saúde, 2005.

Botti SHO, Rego STA. Docente-clínico: o complexo papel do preceptor na residência médica. Physis Revista de Saúde Coletiva [internet] 2011 [Acesso em 18 jun 2018];21(1):65-85, 2011. Available at: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-73312011000100005

Lima VV. Projetos de Apoio ao SUS. Processos educacionais na saúde: aperfeiçoamento com ênfase na preceptoria de programas de residência em saúde. São Paulo: Ministério da Saúde; Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa, 2017. 58p.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)