Epidemiological behavior of some parasitic diseases in the federative republic of Brazil / Comportamento epidemiológico de algumas doenças parasitárias na república federativa do Brasil

Main Article Content

Edison Vitório de Souza Júnior
Diego Pires Cruz
http://orcid.org/0000-0001-9151-9294
Sávio Luiz Ferreira Moreira
http://orcid.org/0000-0001-8170-1180
Randson Souza Rosa
http://orcid.org/0000-0001-7093-0578
Rita Narriman Silva de Oliveira Boery
http://orcid.org/0000-0002-7823-9498
Eduardo Nagib Boery
http://orcid.org/0000-0001-7624-4405

Resumo

Objetivo: Descrever o comportamento epidemiológico de algumas doenças parasitárias no Brasil entre 2013 e 2017. Métodos: Estudo ecológico e descritivo realizado com dados do Sistema de Informações Hospitalares. Coletou-se as variáveis: regiões brasileiras, faixa etária, sexo e raça/cor. Resultados: Encontrou-se cinco doenças: amebíase, esquistossomose, leishmaniose, malária e tripanossomíase. Registrou-se 33.285 internações e 951 óbitos por tais doenças, representando mortalidade de 2,86%. A região com maior morbidade, óbitos e mortalidade foi a norte (38,42%), nordeste (50,47%) e sudeste (4,68%), respectivamente. A leishmaniose obteve maior morbidade (43,19%) e óbitos (59,41%), já a tripanossomíase evidenciou maior mortalidade (10,81%). A maior mortalidade ocorreu em homens (2,97), em pessoas autodeclaradas brancas e pretas de igual modo (3,85) e com idade ≥ 80 anos (9,64). Conclusão: Evidenciou-se nesse estudo comportamento crescente nos óbitos e mortalidade pelas doenças parasitárias no Brasil, tornando necessário o fortalecimento de medidas sanitárias especialmente na região sudeste, por apresentar maior mortalidade.



Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
1.
Souza Júnior EV de, Cruz DP, Moreira SLF, Rosa RS, Boery RNS de O, Boery EN. Epidemiological behavior of some parasitic diseases in the federative republic of Brazil / Comportamento epidemiológico de algumas doenças parasitárias na república federativa do Brasil. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 1º de junho de 2021 [citado 24º de janeiro de 2022];13:421-7. Disponível em: http://seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/8062
Seção
Research
Biografia do Autor

Edison Vitório de Souza Júnior, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Jequié - Bahia -Brasil.

Graduando em Enfermagem pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Jequié - Bahia -Brasil

Diego Pires Cruz, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Jequié - Bahia -Brasil.

Enfermeiro. Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e Saúde da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/PPGES/UESB. Jequié - Bahia - Brasil.

Sávio Luiz Ferreira Moreira, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Jequié - Bahia -Brasil.

Graduando em Enfermagem pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Jequié - Bahia -Brasil.

Randson Souza Rosa, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/UESB. Jequié - Bahia - Brasil.

Enfermeiro. Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e Saúde da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/PPGES/UESB. Jequié - Bahia - Brasil. 

Rita Narriman Silva de Oliveira Boery, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Jequié - Bahia - Brasil.

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Docente do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e Saúde da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/PPGES/UESB. Jequié - Bahia - Brasil.

Eduardo Nagib Boery, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Jequié - Bahia - Brasil.

Enfermeiro. Doutor em Enfermagem. Docente do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem e Saúde da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia/PPGES/UESB. Jequié - Bahia - Brasil.

Plum Analytics

Referências

Maia CVA, Hassum IC. Parasitoses intestinais e aspectos sociossanitários no nordeste brasileiro no século XXI: uma revisão de literatura. Hygeia [internet]. 2016 [citado em 2018 June 22];12(23): 20-30. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/hygeia/article/view/34865

Vasconcelos CS, Almeida MB, Brito RG, Guimarães AO, Boaventura RF, Brito AMG. Enteroparasitoses humanas em Aracaju, SE. RBAC. 2016;48(4):356-62. DOI: http://dx.doi.org/10.21877/2448-3877.201600233

Estancial CS, Marini DC Avaliação da frequência de parasitose Intestinal em indivíduos atendidos em um laboratório de análises clínicas na região central de Mogi Guaçu. Foco [internet]. 2014 [citado em 2018 June 27] ;(7):31 40. Disponível em: http://www.revistafoco.inf.br/index.php/FocoFimi/article/view/55/53

Santos CS, Souza PSA, Frizzo MN, Mallet EKV, Pedroso D. Prevalência de enteroparasitoses e sua relação com eosinofilia e anemia em pacientes do município de Santo Ângelo, Rio Grande do Sul, Brasil. Saúde Integr (Online). [internet]. 2013 [citado em 2018 June 30]; 6(11): 293 307. Disponível em: http://local.cnecsan.edu.br/revista/index.php/saude/issue/view/22/showToc

Edrissian G, Rokni MB, Mohebali M, Nateghpour M, Mowlavi G, Bahadori M. History of Medical Parasitology and Parasitic Infections in Iran. Arch Iran Med. 2016; 19(8): 601-07. DOI: http://dx.doi.org/0161908/AIM.0014

Bahmani M, Saki K, Kopaei MR, Karamati SA, Eftekhari Z, Jelodari M. The most common herbal medicines affecting Sarcomastigophora branches: a review study. Asian Pac J Trop Med. 2014; 7(1): S14-S21. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/S1995-7645(14)60198-X

Santos PHS, Barros RCS, Gomes KVG, Nery AA, Casotti CA. Prevalência de parasitoses intestinais e fatores associados em idosos. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2017; 20(2): 244-54. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1981-22562017020.160137

Silva AMB, Bouth RC, Costa KS, Carvalho DC, Hirai KE, Prado RR et al. Ocorrência de enteroparasitoses em comunidades ribeirinhas do Município de Igarapé Miri, Estado do Pará, Brasil. Rev Pan-Amaz Saude. 2014 ; 5(4):45-51. DOI: http://dx.doi.org/10.5123/S2176-62232014000400006

Pedraza DF, Queiroz D, Sales MC. Doenças infecciosas em crianças pré-escolares brasileiras assistidas em creches. Ciênc saúde coletiva. 2014; 19(2): 511-28. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232014192.09592012

Busato MA, Antoniolli MA, Teo CRPA, Ferraz L, Poli G. Tonini P. Relação de parasitoses intestinais com as condições de saneamento básico. Cienc Cuid Saude. 2014; 13(2):357-63. DOI: http://dx.doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v13i2.18371

Lacerda JS, Jardim CML. Estudo da prevalência de parasitoses intestinais em pacientes de um laboratório privado de Araçatuba-SP. Rev Saude UniToledo [internet]. 2017 [citado em 2019 Jan 8]; 1(1): 107-20. Disponível em: http://ojs.toledo.br/index.php/saude/article/viewFile/2441/106

Costa JML. Epidemiologia das Leishmanioses no Brasil. Gaz méd Bahia [internet]. 2005 [citado em 2018 Aug 26];75:1(Jan-Jun):3-17. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/bitstream/icict/9808/2/Costa%20JML%20Epidemiologia%20das%20leishmanioses....pdf

Mota JC, Campos MR, Schramm JMA, Costa MFS. Estimativa de taxa de mortalidade e taxa de incidência de sequelas cardíacas e digestivas por doença de Chagas no Brasil, 2008. Epidemiol Serv Saúde. 2014; 23(4): 711-20. DOI: http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742014000400013

Dias JCP, Ramos Junior AN, Gontijo ED, Luquetti A, Shikanai-Yasuda MA, Coura JR et al. II Consenso Brasileiro em Doença de Chagas, 2015. Epidemiol Serv Saúde. 2016; 25(esp): 7-86. DOI: http://dx.doi.org/10.5123/s1679-49742016000500002

Ribeiro SA, Morais JO, Monteiro SA, Costa AFN, Targino MVP. nálise dos aspectos epidemiológicos e históricos do controle da doença de chagas. Temas em saúde [internet]. 2017 [citado em 2019 Mar 18]; 17(1):387-402. Disponível em: http://temasemsaude.com/wp-content/uploads/2017/05/17120.pdf

Universidade Federal de Santa Catarina. Atenção Integral à Saúde da Mulher [internet]. 2013 [citado em 2018 Mar 14]. Disponível em: https://unasus2.moodle.ufsc.br/pluginfile.php/20580/mod_resource/content/2/AtencaoBasica_10Saude_Mulher.pdf

Bragagnollo GR, Godoy PCGT, Santos TS, Ribeiro VS, Morero JAP, Ferreira BR. Intervenção educacional sobre enteroparasitoses: um estudo quase experimental. Rev Cuid. 2018; 9(1): 2030-44. DOI: http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v9i1.486

Carlos Junior EAC. Saúde e povos indígenas no Brasil: reflexões a partir do I Inquérito Nacional de Saúde e Nutrição Indígena. Cad Saúde Pública. 2014; 30(4): 855-9. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0102-311X00031214

Paes NA, Silva LAA. Doenças infecciosas e parasitárias no Brasil: uma década de transição. Rev Panam Salud Publica [internet]. 1999 [citado em 2018 Mar 14]; 6(2): 99-709. Disponível em: http://iris.paho.org/xmlui/bitstream/handle/123456789/8912/a4.pdf?sequence=1

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>