Risk factors for the abandonment of tuberculosis treatment in an amazonian priority municipality / Fatores de risco para o abandono do tratamento da tuberculose em um município prioritário amazônico

Main Article Content

Melisane Regina Lima Ferreira
http://orcid.org/0000-0003-1694-5124
Rafaele Oliveira Bonfim
http://orcid.org/0000-0001-8157-2323
Tatiane Cabral Siqueira
http://orcid.org/0000-0002-3860-1261
Nathalia Halax Orfão
http://orcid.org/0000-0002-8734-3393

Resumo

Objetivo: Analisar os fatores de risco para o abandono do tratamento da tuberculose no município de Porto Velho – RO, no período de 2010 a 2015. Método: Estudo descritivo, transversal e quantitativo dos dados coletados no Sistema de Notificação de Agravos Nacional de todos os portadores de tuberculose que abandonaram o tratamento no município. Análise foi realizada através de distribuição de frequência, após atender os preceitos éticos. Resultados: Pertencer ao sexo masculino (73,6%), média de idade de 34,8 anos, cor/raça parda (70,2%), baixa escolaridade (35,1%), desemprego (8,9%), caso novo (64,3%), forma clínica pulmonar (87,4%), raio-x suspeito (75%), baciloscopia de escarro positiva (62,5%), exames de controle mensal não realizados/ em branco, aproximadamente quatro meses de tratamento e não ser acompanhado pelo regime do Tratamento Diretamente Observado, constituíram como fatores de risco para o abandono. Conclusão: Evidencia-se a necessidade de ações sobre estes fatores, para fornecer subsídios para o controle da doença.



Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
1.
Ferreira MRL, Bonfim RO, Siqueira TC, Orfão NH. Risk factors for the abandonment of tuberculosis treatment in an amazonian priority municipality / Fatores de risco para o abandono do tratamento da tuberculose em um município prioritário amazônico. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 1º de junho de 2021 [citado 29º de novembro de 2021];13:185-91. Disponível em: http://seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/8133
Seção
Research
Biografia do Autor

Melisane Regina Lima Ferreira, Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

Enfermeira graduada pela Universidade Federal de Rondônia (UNIR), Especialista em Saúde Pública pela UNIR, Membro do Grupo de Pesquisa: Grupo de Estudos em Tuberculose (GET).

Rafaele Oliveira Bonfim, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (EERP/USP)

Enfermeira graduada pela Universidade Federal de Rondônia (UNIR), Mestre em Ciências da Saúde pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem em Saúde Pública da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (EERP/USP), Membro do Grupo de Pesquisa: Grupo de Estudos em Tuberculose (GET).

Tatiane Cabral Siqueira, Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

Enfermeira graduada pela Universidade Federal de Rondônia (UNIR), Especialista em Saúde Pública pela UNIR, Membro do Grupo de Pesquisa: Grupo de Estudos em Tuberculose (GET).

Nathalia Halax Orfão, Fundação Universidade Federal de Rondônia (UNIR)

Enfermeira graduada pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (EERP/USP), Doutora em Ciências da Saúde pela EERP/USP, Professora do Curso de Medicina da Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Líder do Grupo de Pesquisa: Grupo de Estudos em Tuberculose (GET)

Plum Analytics

Referências

World Health Organization. Global tuberculosis report 2017. Geneva: World Health Organization, 2017.

Ministério da Saúde (BR). Boletim Epidemiológico Tuberculose. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2017.

Ministério da Saúde (BR). Manual de Recomendações para o Controle da Tuberculose no Brasil. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 2018.

Silva PF, Moura GS, Caldas AJM. Fatores associados ao abandono do tratamento da tuberculose pulmonar no Maranhão, Brasil, no período de 2001 a 2010. Cad Saúde Pública. 2014;30(8):1745-1754.

Souza EP, Barbosa ECS, Rodrigues ILA, et al. Prevenção e controle da tuberculose: revisão integrativa da literatura. Rev Cuid. 2015;6(2):1094-102.

Soares MLM, Amaral NAC, Zacarias ACP, Ribeiro LKNP. Aspectos sociodemográficos e clínico-epidemiológicos do abandono do tratamento de tuberculose em Pernambuco, Brasil, 2001-2014. Epidemiol Serv Saúde. 2017;26(2):369-378.

Fearnside PM. As barragens e as inundações no rio Madeira. Ciência Hoje. 2014;53(314):56-57.

Cavalcante EFO, Silva DMGV. Perfil de pessoas acometidas por tuberculose. Rev Rene. 2013;14(4):720-729.

Abreu GRF, Figueiredo MAA. Abandono do Tratamento da Tuberculose em Salvador, Bahia, 2005-2009. Revista Baiana de Saúde Pública. 2013;37(2):407-422.

Monteiro NLS, Neto RTL, Tavares NBF, et al. Abandono do tratamento da tuberculose: uma análise epidemiológica dos seus fatores de risco. Cad Cult Ciênc. 2015;13(2):Ano IX.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística [internet]. Porto Velho (RO): IBGE; 2017 [acesso em 2017 maio 12]. Available at: http://cidades.ibge.gov.br/xtras/temas.php?lang=&codmun=110020&idtema=16&search=rondonia|porto-velho|sintese-das-informacoes

Orfão NH, Andrade RLP, Beraldo AA, et al. Adesão terapêutica ao tratamento da tuberculose em um município do estado de São Paulo. Cienc Cuid Saúde. 2015;14(4):1453-1461.

Furlan MCR, Oliveira SP, Marcon SS. Fatores associados ao abandono do tratamento de tuberculose no estado do Paraná. Acta Paul Enferm. 2012;25(N Esp. 1):108-114.

Orofino RL, Brasil PEA, Trajman A, et al. Preditores dos desfechos do tratamento da tuberculose. J Bras Pneumol. 2012;38(1):88-97.

Braga JU, Pinheiro JS, Matsuda JS, et al. Fatores associados ao abandono do tratamento da tuberculose nos serviços de atenção básica em dois municípios brasileiros, Manaus e Fortaleza, 2006 a 2008. Cad Saúde Colet. 2012;20(2):225-233.

Belo EN, Orellana JDY, Levino A, et al. Tuberculose nos municípios amazonenses da fronteira Brasil-Colômbio-Peru-Venezuela: situação epidemiológica e fatores associados ao abandono. Rev Panam Salud Publica. 2013;34(5):321-329.

Chirinos NEC, Meirelles BHS, Bousfield ABS. A relação das representações sociais dos profissionais da saúde e das pessoas com tuberculose com o abandono do tratamento. Texto Contexto Enferm. 2017;26(1):e5650015.

Couto DS, Carvalho RN, Azevedo EB, et al. Fatores determinantes para o abandono do tratamento da tuberculose: representações dos usuários de um hospital público. Saúde Debate. 2014;38(102):572-581.

Santos Júnior GM, Santos DO, Gibaut MAM, Bispo TCF. Tuberculose: adesão ao tratamento e os fatores que desencadeiam em abandono. Revista Enfermagem Contemporânea. 2016;5(2):284-292.

Wysocki AD, Villa TCS, Arakawa T, et al. Latent Tuberculosis Infection Diagnostic and Treatment Cascade among Contacts in Primary Health Care in a City of Sao Paulo State, Brazil: Cross-Sectional Study. PLoS ONE. 2016;11(6):e0155348.

Ferreira MRL, Bonfim RO, Siqueira TC, Orfão NH. Abandono do tratamento da tuberculose: uma revisão integrativa. Rev Enferm Contemp. 2018;7(1):63-71.

Siqueira TC, Bonfim RO, Ferreira MRL, Orfão NH. Mortalidade entre os portadores de tuberculose em Porto Velho-RO. Revista Saúde e Pesquisa. 2018;11(3):441-450.