The person’s perception about its condition as a chronic renal patient in hemodialysis / A percepção da pessoa sobre sua condição enquanto doente renal crônico em hemodiálise

Main Article Content

Giane Lúcia Cunha Santos
Thaís Fávero Alves
http://orcid.org/0000-0003-3246-8014
Daniela Cristina Rático de Quadros
Maria Denise Mesadri Giorgi
Dagoberto Mior de Paula

Resumo

Objetivo: Conhecer a percepção da pessoa sobre sua condição enquanto doente renal crônico em hemodiálise. Método: Estudo qualitativo do tipo exploratório, realizado por meio de entrevistas em uma associação filantrópica especializada, na região do Vale do Itajaí, estado de Santa Catarina. A análise de dados foi embasada na Análise Temática, que se desdobrou em três etapas interdependentes. Resultados: Foram realizadas 10 entrevistas, sendo que da análise dos dados emergiram duas categorias temáticas intituladas ‘Itinerário nos serviços de saúde’ e ‘O misto de sentimentos’. Conclusão: Observou-se a importância da rede formal de saúde para estes sujeitos, sendo a maioria portador de comorbidades como hipertensão arterial sistêmica e diabetes mellitus. Em relação aos sentimentos vivenciados, a negação apareceu de modo recorrente, junto a outros sentimentos de conotação negativa, como medo e ansiedade, sendo fundamental a oferta de apoio e acolhimento por parte dos profissionais da saúde no enfrentamento e tratamento da doença.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
1.
Cunha Santos GL, Fávero Alves T, Rático de Quadros DC, Mesadri Giorgi MD, Mior de Paula D. The person’s perception about its condition as a chronic renal patient in hemodialysis / A percepção da pessoa sobre sua condição enquanto doente renal crônico em hemodiálise. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 1º de maio de 2021 [citado 25º de janeiro de 2022];12:636-41. Disponível em: http://seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/9086
Seção
Research
Biografia do Autor

Thaís Fávero Alves, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutoranda em Enfermagem pela Universidade Federal de Santa Catarina.

Plum Analytics

Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Especializada e Temática. Diretrizes Clínicas para o Cuidado ao paciente com Doença Renal Crônica – DRC no Sistema Único de Saúde/ Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Especializada e Temática. – Brasília: Ministério da Saúde, 2014. p.: 37.

Morsch C, Veronese FJV. Doença renal crônica: definição e complicações. Revista HCPA. Porto Alegre. Vol. 31, no. 1 (2011), p. 114-115, 2011.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria n. 1.168/GM, de 7 de abril de 2004. Institui a Política Nacional de Atenção ao Portador de Doença Renal Crônica os Serviços de Nefrologia. Brasília: Ministério da Saúde; 2004.

Souza AM et al. Transplante renal: vivência de homens em hemodiálise inscritos na lista de espera. Rev. RENE, v. 16, n. 1, p. 11-20, 2015.

Silva AS et al. Percepções e mudanças na qualidade de vida de pacientes submetidos à hemodiálise. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 64, n. 5, 2011.

Borges DCS et al. A rede e apoio social do transplantado renal. Revista Gaúcha de Enfermagem, v. 37, n. 4. 2016.

Pessoa NRC, Linhares FMP. Pacientes em hemodiálise com fístula arteriovenosa: conhecimento, atitude e prática. Esc Anna Nery [Internet]. v. 19, n. 1, p. 73-9, 2015.

Marchesan M et al. Percepção de pacientes em hemodiálise sobre os benefícios e as modificações no comportamento sedentário após a participação em um programa de exercícios físicos. Revista Brasileira de Ciências do Esporte, v. 39, n. 3, p. 314-321, 2017.

Minayo MCS. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Editora Vozes Limitada, 2011.

Franco CM, Franco TB. Linhas do cuidado integral: uma proposta de organização da rede de saúde. Secretaria de Estado de Saúde de São Paulo [Internet], São Paulo: 2012.

Pena PFA et al. Cuidado ao paciente com Doença Renal Crônica no nível primário: pensando a integralidade e o matriciamento. Ciência & Saúde Coletiva, v. 17, p. 3135-3144, 2012.

Pinho NA, Silva GV, Pierin AMG. Prevalência e fatores associados à doença renal crônica em pacientes internados em um hospital universitário na cidade de São Paulo, SP, Brasil. Jornal Brasileiro de Nefrologia, v. 37, n. 1, p. 91-97, 2015.

França AKTC et al. Filtração glomerular e fatores associados em hipertensos atendidos na atenção básica. Arquivos brasileiros de cardiologia. Vol. 94, n. 6 (ju. 2010), p. 779-787, 2009.

Ibiapina ARS et al. Aspectos psicossociais do paciente renal crônico em terapia hemodialítica. SANARE-Revista de Políticas Públicas, v. 15, n. 1, 2016.

Silva RAR et al. Estratégias de enfrentamento utilizadas por pacientes renais crônicos em tratamento hemodialítico. Escola Anna Nery, v. 20, n. 1, p. 147-154, 2016.

Rudnicki T. Doença renal crônica: vivência do paciente em tratamento de hemodiálise. Contextos Clínicos, v. 7, n. 1, p. 105-116, 2014.Disponívem em:< http://pepsic.bvsalud.org/scielo> Acesso em: 13 de junho de 2019.

Pereira LP, Guedes MVC. Hemodiálise: a percepção do portador renal crônico. Cogitare Enfermagem, v. 14, n. 4, 2009.

Lira ALBC et al. Características psicológicas e cognitivas relacionadas aos aspectos clínicos e socioeconômicos dos pacientes em hemodiálise. Revista Cubana de Enfermería, v. 33, n. 3, 2017.

Silva AR et al. Perdas Físicas e Emocionais de Pacientes Renais Crônicos Durante o Tratamento Hemodialítico. Revista Brasileira de Saúde Funcional, v. 1, n. 2, p. 52, 2014.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)