Representation of mothers about the condition of having a child with cancer / Representação de mães sobre a condição de ter um filho com câncer

Main Article Content

Eliane dos Santos Bomfim
https://orcid.org/0000-0002-3994-6384
Bruno Gonçalves de Oliveira
https://orcid.org/0000-0002-2884-9976
Bárbara Santos Ribeiro
https://orcid.org/0000-0002-3950-0374
Eduardo Nagib Boery
Rita Narriman Silva de Oliveira Boery

Resumo

Objetivo: apreender as representações sociais de mães sobre a condição de ter um filho com câncer. Método: pesquisa qualitativa, fundamentado no referencial Teórico das Representações Sociais. Realizada em uma Unidade de Tratamento Oncológico, com 19 mães de criança com diagnóstico de câncer, através da técnica projetiva desenho-estória com Temae a entrevista semiestruturada, em janeiro a março de 2016. Resultados: após análise dos dados oriundos das entrevistas e da técnica de DET, emergiram as seguintes categorias temáticas: Impacto do câncer infantil; e processo de enfrentamentos de mães ao filho com câncer, sendo que esta última categoria se desdobrou em duas subcategorias: A espiritualidade no processo de enfrentamento da doença; e Apoio familiar e social no processo da doença. Conclusão: as representações sociais das mães mostraram que o enfrentamento ao filho com câncer são influenciados pelo processo saúde-doença de seus filhos, mudanças e enfrentamentos que modificam seus universos conceituais e orientam quanto suas condutas.




 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
1.
Bomfim E dos S, Oliveira BG de, Ribeiro BS, Boery EN, Boery RNS de O. Representation of mothers about the condition of having a child with cancer / Representação de mães sobre a condição de ter um filho com câncer. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 24º de setembro de 2021 [citado 17º de maio de 2022];13:1408-14. Disponível em: http://seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/9148
Seção
Research
Biografia do Autor

Eliane dos Santos Bomfim, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Jequié, BA, Brasil.

Nursing Graduate, PhD student enrolled in the Nursing and Health Postgraduate Program at UESB.

Bruno Gonçalves de Oliveira, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Jequié, BA, Brasil.

Nursing Graduate, PhD student enrolled in the Nursing and Health Postgraduate Program at UESB.

Bárbara Santos Ribeiro, Universidade Estadual doSudoeste da Bahia. Jequié-BA-Brasil.

Nursing Graduate, PhD student enrolled in the Nursing and Health Postgraduate Program at UESB.

Eduardo Nagib Boery, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Jequié, BA, Brasil.

Nursing Graduate, PhD, Professor of the Nursing and Health Postgraduate Program at UESB.

Rita Narriman Silva de Oliveira Boery, Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Jequié-BA-Brasil.

Nursing Graduate, PhD, Professor of the Nursing and Health Postgraduate Program at UESB.

Plum Analytics

Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Instituto Nacional do Câncer. Câncer na criança e no adolescente no Brasil: dados dos registros de base populacional e de mortalidade [Internet]. Rio de Janeiro: INCA. 2018.

Brasil. Ministério da Saúde. Ações de enfermagem para o controle do câncer: uma proposta de integração ensino-serviço. 3ª ed. Rio de Janeiro (RJ). 2008.

Batista DRR, Mattos M, Silva SF. Convivendo com o câncer: do diagnóstico ao tratamento. Rev Enferm UFSM. 2015;5(3):499-510. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reufsm/article/view/15709. Acesso em: 14 mar. 2016.

Benedetti GMS, Higarashi IH, Sales CA. Vivências de pais/mães de crianças e adolescentes com câncer: uma abordagem fenomenológico-existencial Heideggeriana. Texto e Contexto – Enfermagem. 2015; 24(2), 554-562. Disponível em: http://www.index-f.com/textocontexto/2015/r24554.php. Acesso em: 14 mar. 2016.

Santos AF, Guedes MS, Tavares RC, Silva JMB, Brandão W, Santana JB et al. Vivências de mães com crianças internadas com diagnóstico de câncer. Enfermería Actual en Costa Rica. 2018; 34:38-52.

Jodelet D. As Representações Sociais. Rio de Janeiro: UFRJ. Eduerj. 2001.

Moscovici S. O fenômeno das representações sociais. In: MOSCOVICI, S. Representações Sociais. Investigações em psicologia social. 7ª ed. Petrópolis: Vozes.2010.

Trinca W. Investigação clínica da personalidade: o desenho livre como estímulo de apercepção temática. Belo Horizonte: Interlivres.2003.

Coutinho MPL, Serefim RCNS. Aplicabilidade do desenho-estória com tema no campo da pesquisa. In: Métodos de pesquisa em Psicologia social perspectivas qualitativas e quantitativas. /Coutinho MPL; Saraiva (org), João pessoa: editora universitária.2011.

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70. 2011.

Minayo MCS. Introdução. In: Minayo, M.C.S, Assis, S.G, Souza, E.R, editors. Avaliação por triangulação de métodos: Abordagem de Programas Sociais. Rio de Janeiro: Fiocruz. 2011.

Jodelet D. Representações sociais: um domínio em expansão. In: Jodelet, D. (org.). As Representações sociais. Rio de Janeiro: Eduerj. 2001.

Moscovici S. Representações sociais: Investigações em Psicologia Social. Rio de Janeiro: Vozes. 2003.

Oliveira MT. Cabelos: da etologia ao imaginário. Revista Brasileira de Psicanálise. 2007; 41(3):135-151.

Colesante MFL, Gomes IP, Morais JD, Collet N. Doença crônica infantil: impacto para mães. Rev enferm UERJ. 2015; 23(4):501-6.

Barbosa RMM, Ferreira JLP, Melo MCB, Costa JM. A espiritualidade como estratégia de enfrentamento para familiares de pacientes adultos em cuidados paliativos. Revista da SBPH.2017;20(1), 165-182.

Minayo MCS. Representações da cura no catolicismo popular. In: Alves PC, Minayo, M.C.S. (Orgs.). Saúde e doença: um olhar antropológico. Rio de Janeiro: Fiocruz. 1994.

Aquino VV, Zago MMF. O significado das crenças religiosas para um grupo de pacientes oncológicos em reabilitação. Rev. Latino-Am. Enfermagem. 2016. 15(1), 42-7. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-11692007000100007&script=sci_abstract&tlng=pt. Acesso em: 14 jan. 2017.

Dantas MSA, Pinho TAM, Silva DA, Pinho TAM, Torquato IMB, Assis WD et al. Estratégias de enfrentamento familiar do diagnóstico de leucemia: aspectos sociais e religiosos. Rev enferm UFPE online. 2015;9(1),137-42.

Coutinho MPL. Depressão infantil e representação social. São Paulo: Universitária.2012.

Ribeiro GS, Campos CS, Anjos ACY. Espiritualidade e religião como recursos para o enfrentamento do câncer de mama. Rev Fun Care Online. 2019; 11(4):849-856.

Zago LRF. (2013). Subjetividade: representação social da família. Revista Eletrônica Gestão Saúde. 2013;4(3),815-28.

Elcigil A, Conk Z. Determining the Burden of Mothers with Children Who Have Cancer. DEUHYO ED. 2010;3(4),175–181.

Molina RCM, Higarashi IH, Marcon SS. Rede social em unidade de terapia intensiva. Esc Anna Nery 2014;18(1):60-67.

Abric JC. A abordagem estrutural das representações sociais. In: Moreira ASP, Oliveira DC. (Org.). Estudos interdisciplinares de representação social. 2. ed. Goiânia: AB Editora.2010.

Jovcheliovitch S. Vivendo a vida com os outros: intersubjetividade, espaço público e representações sociais. In: Guareschi P, Jovchelovitch S, editors. Textos em Representações Sociais. Rio de Janeiro: Vozes.1999.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>