Between glimpses, uncertainties and expectations: marcos in building collaborative identity of nurse / Entre vislumbres, incertezas e expectativas: marcos colaborativos na construção da identidade do enfermeiro

Main Article Content

Karolline Giovannda de Sousa Viana
http://orcid.org/0000-0002-3207-1335
Maria da Conceição Coelho Brito
http://orcid.org/0000-0002-3484-9876
Marina Pereira Moita
http://orcid.org/0000-0002-1920-480X
Maria Adelane Monteiro da Silva
http://orcid.org/0000-0001-9660-106X
Francisca Alanny Rocha Aguiar
http://orcid.org/0000-0002-6281-4523

Resumo

Objetivo: compreender o processo formativo do estudante de Enfermagem, mediante marcos considerados colaborativos à construção da identidade profissional do enfermeiro. Método: Estudo exploratório-descritivo, qualitativo, com 26 estudantes de enfermagem mediante entrevista semiestruturada e questionário. A coleta de informações ocorreu em maio e junho de 2015. Os achados foram submetidos a Análise de Conteúdo e sustentada nos conceitos de Claude Dubar. Resultados: Os achados trazem a escolha do curso pela vocação, influências e aproximação com a medicina, caracterizando a identidade herdada. As identidades visada e virtual foram influenciadas por frustrações durante a formação. Ademais, a permanência no curso resulta da necessidade por um reconhecimento ao concluir um educação superior e do entendimento de um dever moral. Conclusão: O estudo trouxe a reflexão de marcos importantes na constituição da identidade. Entendendo a identidade como uma constituição multifacetada, reconhece-se a necessidade de realização de outros estudos para explorar esse fenômeno em outros contextos.



Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
1.
Viana KG de S, Brito M da CC, Moita MP, Silva MAM da, Aguiar FAR. Between glimpses, uncertainties and expectations: marcos in building collaborative identity of nurse / Entre vislumbres, incertezas e expectativas: marcos colaborativos na construção da identidade do enfermeiro. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 1º de junho de 2021 [citado 29º de novembro de 2021];13:553-9. Disponível em: http://seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/9306
Seção
Research
Biografia do Autor

Karolline Giovannda de Sousa Viana, Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA).

Enfermeira. Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA).

Maria da Conceição Coelho Brito, Universidade Estadual do Ceará (UECE)

Enfermeira. Doutoranda em Cuidados Clínicos em Enfermagem e Saúde. Universidade Estadual do Ceará (UECE).

Marina Pereira Moita, Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA)

Acadêmica de Enfermagem da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA)

Maria Adelane Monteiro da Silva, Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA)

Enfermeira. Doutorado em Enfermagem. Docente do curso de enfermagem da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA).

Francisca Alanny Rocha Aguiar, Centro UNINTA.

Enfermeira. Docente do Curso de Enfermagem do Centro UNINTA.

Plum Analytics

Referências

Fernandes JD, Silva RMO, Teixeira GA, Florencio RMS, Silva LS, Rebouças LCC. Aderência de Cursos de Graduação em Enfermagem às Diretrizes Curriculares Nacionais na Perspectiva do Sistema único de Saúde. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2013; 17(1): 82-9.

Carrijo AR. Ensino de História da Enfermagem: Formação Inicial e Identidade Profissional [Tese]. São Paulo (SP): Universidade de São Paulo; 2012.

Miró-Bonet M, Bover-Bover A, Moreno-Mulet C, Miró-Bonet R, Zaforteza-Lallemand C. Genealogy as a critical toolbox: deconstructing the professional identity of nurses. J adv nurs. 2014; 70(4):768-76.

Dubar C, Tripier P, Boussard V. Sociologie des professions. Paris: Armand Colin; 2011.

Dubar C. A crise das identidades: a interpretação de uma mutação. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2009.

Bardin L. Análise do conteúdo. São Paulo: Edições 70; 2011.

Ministério da Saúde (BR). Resolução Nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Conselho Nacional de Saúde. Brasília; 2012.

Oliveira BM, Minine VA, Felli VEA. Qualidade de vida de graduandos de enfermagem. Rev bras enferm. 2011; 64(1): 130-5.

Souza LL, Peres WS, Araújo DB. Problematizações de gêneros no campo da enfermagem: diálogos com feminismos e a teoria Queer. Rev NUPEM., Campo Mourão. 2015; 7(13).

Pereira CA, Miranda LCS, Passos JP. O estresse e seus fatores determinantes na concepção dos estudantes de enfermagem. Rev min enferm. 2010 abr-jun; 14(2):204-9.

Lima JRN, Pereira AKAM, Nascimento EGC, Alchieri JC. Percepção do acadêmico de enfermagem sobre o seu processo de saúde/doença durante a graduação. Saúde transform soc. 2013; 4 (4):54-62.

Moraes AGE, Belluzzo W. O diferencial de desempenho escolar entre escolas públicas e privadas no Brasil. Nova econ [periódico na internet]. 2014 [acesso em 12 mar 2019]; 4 (2): 409-430. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/neco/v24n2/0103-6351-neco-24-02-00409.pdf

Andrade LMSA enfermagem enquanto profissão: reflexões sobre as concepções dos acadêmicos quanto ao trabalho e sua precarização. [Dissertação de mestrado na internet]. Cuiabá: Universidade Federal de Mato Grosso; 2013 [acesso em 12 mar 2019]. Disponível em: https://www1.ufmt.br/ufmt/unidade/userfiles/publicacoes/e78cbd7085ac64a0383eb7c5b2db521c.pdf

Souza RV, Alves LC, Barra LLLB, Fernandes LM, Salgado PO, Viegas SMF. Imagem do enfermeiro sob a ótica do acadêmico de enfermagem. Enferm foco [periódico na internet]. 2017 [acesso em 01 julh 2019]; 8 (1): 47-51. Disponível em: http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/763/363

Teodosio SSC, Padilha MI. "Ser enfermeiro": escolha profissional e a construção dos processos identitários (anos 1970). Rev bras enferm. 2016; 69(3): 428-34.

Bonfada SM, Pinno C, Camponogara S. Potencialidades e limites da autonomia do enfermeiro em ambiente hospitalar. Rev enferm UFPE. 2018; 12(8): 2235-46.

Menegaz JC, Shubert VMB, Medina JL, Prado ML, Canever BP. Práticas pedagógicas de bons professores de enfermagem, medicina e odontologia na percepção dos estudantes. Texto & contexto enferm. 2015; 24(3): 629-36.

Pires AS, Souza NVDO, Penna LHG, Tavares KFA, D’Oliveira CAFB, Almeida CM. A formação de enfermagem na graduação: uma revisão integrativa da literatura. Rev enferm UERJ. 2014; 22(5): 705-11.

Santo MCBE. A mobilização de conhecimentos por docentes no ensino superior privado: análise à luz da complexidade. [Dissertação]. Cuiabá: Universidade Federal de Mato Grosso; 2014.

Andrade JB, Cavalcante MB, Apostólico MR. Marketing pessoal e enfermagem: projeção para visibilidade social do enfermeiro. Enferm foco [periódico na internet]. 2017 [acesso em 12 mar 2019]; 8 (1): 82- 86. Disponível em: http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/946/356

Avila LI, Silveira RS, Lunardi VL, Fernandes GFM, Mancia JR, Silveira JT. Implicações da visibilidade da enfermagem no exercício profissional. Rev gaúch enferm. 2013; 34(3): 102-9.

Leal LA, Camelo SHH, Soares MI, Santos FC, Correa R, Chaves LDP. Competências profissionais para enfermeiros: a visão de discentes de graduação em enfermagem. Rev baiana enferm. 2016; 30(3): 1-12.

Souza LPS, Silva WSS, Mota ÉC, Santana JMF, Siqueira LG, Silva CSO, Barbosa DA. Os desafios do recém-graduado em Enfermagem no mundo do trabalho. Rev cuba enferm [periódico na internet]. 2015 [acesso em 12 mar 2019]; 30(1). Disponível em: http://www.revenfermeria.sld.cu/index.php/enf/article/view/127

Merighi MAB, Jesus MCP, Domingos SRF, Oliveira DM, Ito TN. Ensinar e aprender no campo clínico: perspectiva de docentes, enfermeiras e estudantes de enfermagem. Rev bras enferm. 2014; 67(4): 505-11.

Andrigue KCK, Trindade LL, Amestoy SC. Formação acadêmica e educação permanente: influências nos estilos de liderança de enfermeiros. Rev pesqui cuid fundam (Online) [periódico na internet]. 2017 [acesso em 09 jul 2019]; 9(4): 971-977. Disponível em: https://docs.google.com/viewerng/viewer?url=http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/viewFile/5534/pdf_1

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)