Educational actions developed by nurses to adolescents in family health strategies / Ações educativas desenvolvidas por enfermeiros aos adolescentes nas estratégias de saúde da família

Main Article Content

Elisabeta Albertina Nietsche
Larice Gonçalves Terra
Cléton Salbego
Silvana Bastos Cogo
Tierle Kosloski Ramos
Joseph Wrague da Conceição

Resumo

Objetivo: conhecer como são desenvolvidas as ações educativas voltadas aos adolescentes no contexto de trabalho do enfermeiro nas Estratégias de Saúde da Família. Método: Pesquisa qualitativa, descritiva exploratória desenvolvida com 10 enfermeiros de Estratégias Saúde da Família. A coleta dos dados ocorreu no mês de maio de 2015, por meio de entrevista semiestruturada. Os dados foram analisados a luz da análise de conteúdo. Resultados: Duas categorias emergiram para análise, sendo: ações educativas aos adolescentes na perspectiva dos enfermeiros e características das ações educativas desenvolvidas com adolescentes. Conclusão: O estudo possibilitou perceber que as ações educativas são desenvolvidas em coletividade, desde o planejamento e execução, na maioria das Estratégias Saúde da Família, e nos locais onde isso não ocorre, os enfermeiros compreendem a necessidade de iniciar um trabalho em equipe. O enfermeiro é percebido como responsável por coordenar a equipe, e orientar o processo de preparação das ações educativas. 



Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
1.
Nietsche EA, Terra LG, Salbego C, Cogo SB, Ramos TK, da Conceição JW. Educational actions developed by nurses to adolescents in family health strategies / Ações educativas desenvolvidas por enfermeiros aos adolescentes nas estratégias de saúde da família. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 1º de junho de 2021 [citado 24º de janeiro de 2022];13:575-80. Disponível em: http://seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/9324
Seção
Research
Biografia do Autor

Cléton Salbego, Universidade Federal de Santa Maria

Universidade Federal de Santa Maria. Enfermeiro, Mestre em Enfermagem do Programa de Pós-graduação em Enfermagem. Santa Maria-RS-Brasil.

Plum Analytics

Referências

World Health Organization (WHO). Nutrition in adolescence – Issues and Challenges for the Health Sector: Issues in Adolescent Health and Development. Geneva: WHO; 2005.

Estatuto da Criança e do Adolescente. Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, nº 8.069, (13-07-1990).

Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF). Dados UNICEF- Canção Nova. Relatório da UNICEF apresenta a situação das crianças no mundo. Cerca de 15 % dos menores são forçados ao trabalho e não têm acesso à escola. 2014.

Organização das Nações Unidas (ONU). Fundação ABRINQ. Cenário da infância e adolescência no Brasil. Brasil: ONU; 2016.

Padilha AP, Borba KP, Clapis MJ, Baratieri T, Borba E. O Conhecimento de Adolescentes sobre Doenças Sexualmente Transmissíveis. Rev Eletr Gestão & Saúde [Internet]. 2015 [citado: 13 de setembro de2017]; 6 (Suppl. 3): 2249-2260. Disponível em: http://periodicos.unb.br/index.php/rgs/article/view/3106

Ribeiro VCS, Nogueira DL, Assunção RS, Silva FMR, Quadros KAN. Papel do enfermeiro da estratégia de saúde da família na prevenção da gravidez na adolescência. Rev. enferm Cent-Oeste Min [Internet]. 2016 [citado: 12 de janeiro de 2018]; 1 (6): 1957-75. Disponível em: http://www.seer.ufsj.edu.br/index.php/recom/article/view/881

Backes DS, Backes MS, Erdmann AL, Büscher A. O papel profissional do enfermeiro no Sistema Único de Saúde: da saúde comunitária à estratégia de saúde da família. Ciênc Saúde Colet [Internet]. 2012 [citado: 04 de janeiro de 2018]; 17 (1): 223-30. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-81232012000100024&script=sci_abstract&tlng=pt

Dias ESM, Rodrigues ILA, Miranda HR, Corrêa JA. Roda de conversa como estratégia de educação em saúde para a enfermagem. Rev Pesqui (Univ. Fed. Estado Rio J., Online) [Internet]. 2018 [citado: 11 de outubro de 2018]; 10(2): 379-84. Disponível em: http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/6053

Zeitoune RCG, Ferreira VS, Silveira HS, Domingos AM, Maia AC. O conhecimento de adolescentes sobre drogas lícitas e ilícitas: uma contribuição para a enfermagem comunitária. Esc Anna Nery Rev Enferm [Internet]. 2012 [citado: 29 de janeiro de 2018]; 16 (1): 57-63. Disponível em: http://eean.edu.br/detalhe_artigo.asp?id=724

Magalhães JM, Monteiro CFS, Figueiredo MLF. Concepção de adolescentes sobre a prevenção do uso de crack. Rev Pesqui (Univ. Fed. Estado Rio J., Online) [Internet]. 2013 [citado: 14 de fevereiro de 2018]; 5 (6): 28-35. Disponível em: https://revistainterdisciplinar.uninovafapi.edu.br/index.php/revinter/article/view/526/pdf_15

Bardin L. Análise de conteúdo. 3ª reimpressão da 1ª edição de 2016. São Paulo: Edições 70, 2016. 280 p.

Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Resolução n. 466, de 12 de dezembro de 2012. Conselho Nacional de Saúde, (12-12-2012).

Vieira RP, Gomes SHP, Machado MFAS, Bezerra IMP, Machado CA. Participação de adolescentes na Estratégia Saúde da Família a partir da Estrutura Teórico-Metodológica de uma Participação Habilitadora. Rev latinoam enf [Internet]. 2014 [citado: 11 de dezembro de 2017]; 22 (2): 309-16. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v22n2/pt_0104-1169-rlae-22-02-00309.pdf

Ferronato VFO. A Importância da Família na Formação Social do Adolescente. Rev Educ [Internet]. 2015 [citado: 25 de janeiro de 2018]; 18 (24): 3-9. Disponível em: https://revista.pgsskroton.com.br/index.php/educ/article/view/3341

Roecker S, Budó MLD, Marcon SS. Trabalho educativo do enfermeiro na Estratégia Saúde da Família: dificuldades e perspectivas de mudança. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2012 [citado: 23 de setembro de 2017]; 46 (3): 641-49. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/reeusp/article/view/40992

Moura LKM, Lima CHR, Sousa FDL, Honorato DZS, Rocha Neta AS, Costa KRF. O profissional enfermeiro como educador: um olhar para atenção primária à saúde e o NASF. R Interd [Internet]. 2015 [citado: 18 de janeiro de 2018]; 8 (1): 211-19. Disponível em: https://revistainterdisciplinar.uninovafapi.edu.br/index.php/revinter/article/view/602

Silva LSR, Correia NS, Cordeiro EL, Silva TT, Costa LTO, Maia PCVS. Anjos da enfermagem: o lúdico como instrumento de cidadania e humanização na saúde. Rev Enferm UFPE on line [Internet]. 2017 [citado em 16 de outubro de 2017]; 11 (5): 2294-2301. Disponível em: https://www.semanticscholar.org/paper/Anjos-da-enfermagem%3A-o-l%C3%BAdico-como-instrumento-de-e-Cordeiro-Correia/cf00497090b4c223469dc530af05c1d3c551aa7b

Campos ACV, Lucas SD, Vargas AMD, Gomes VE, Werneck MAF, Ferreira EF. Quality of life among brazilian adolescent apprentices: a quantitative and qualitative study. Rev enferm UFPE on line [Internet]. 2014 [citado: 10 de outubro de 2017]; 8 (3): 709-18. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/viewFile/9729/9822

Silva DAA. Educação e ludicidade: um diálogo com a Pedagogia Waldorf. Educar em Revista [Internet]. 2015 [citado: 28 de novembro de 2017]; 31 (56): 101-13. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/educar/article/view/41463

Coelho MMF, Miranda KCL, Gomes AMT, Silveira LC. Condições de produção do discurso de enfermeiros na prática educativa com adolescentes. Rev enferm UERJ [Internet]. 2015 [citado: 18 de novembro de 2017]; 23 (1) 9-14. Disponível em: www.facenf.uerj.br/v23n1/v23n1a02.pdf

Salum GB, Monteiro LAS. Educação em saúde para adolescentes na escola: um relato de experiência. REME rev min enferm [Internet]. 2015 [citado: 12 de dezembro de 2017]; 19 (2): 246-51. Disponível em: http://www.reme.org.br/artigo/detalhes/1019

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)