Nurses’ feeling facing patient in an intensive care unit / Sentimentos de enfermeiros frente ao paciente em unidade de terapia intensiva

Main Article Content

Wilma Tatiane Sousa Martins Soares
http://orcid.org/0000-0002-8124-4503
Jacqueline Targino Nunes
http://orcid.org/0000-0003-1002-1246
Soraya Maria de Medeiros
http://orcid.org/0000-0003-2833-9762
Rejane Marie Barbosa Davim
http://orcid.org/0000-0002-0399-0113
Kezia Katiane Medeiros da Silva
http://orcid.org/0000-0002-5782-9595
Maria Neyrian de Fátima Fernandes
http://orcid.org/0000-0001-7626-9733

Resumo

Objetivo: identificar os sentimentos dos enfermeiros frente ao paciente sem possibilidades de cura, suas maiores dificuldades e discutir aspectos relevantes ao preparo dos enfermeiros no processo morte/morrer em Unidades de Terapia Intensiva. Método: pesquisa descritiva, qualitativa em três hospitais públicos e privados no interior do Maranhão com 33 enfermeiros atuantes em Unidades de Terapia Intensiva. Dados coletados entre agosto e setembro de 2015 com entrevista semiestruturada e analisados por meio da análise temática. Resultados: organizados em três categorias temáticas principais: Sentimentos que envolvem enfermeiros frente ao óbito do paciente; A morte na rotina de trabalho que influencia na vida pessoal dos enfermeiros e Preparo do enfermeiro da graduação para lidar com o processo de morte. Conclusão: o enfrentamento da morte é um desafio para os enfermeiros visto que nem todas as instituições de ensino oferecem abordagem aprofundada relacionada ao processo de morte/morrer.




 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
1.
Soares WTSM, Nunes JT, Medeiros SM de, Davim RMB, Silva KKM da, Fernandes MN de F. Nurses’ feeling facing patient in an intensive care unit / Sentimentos de enfermeiros frente ao paciente em unidade de terapia intensiva. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 10º de janeiro de 2022 [citado 24º de setembro de 2022];14:e-9794. Disponível em: http://seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/9794
Seção
Research
Biografia do Autor

Wilma Tatiane Sousa Martins Soares, Universidade Federal do Maranhão

Enfermeira graduada pela Universidade Federal do Maranhão, São Luiz, (MA), Brasil.

Jacqueline Targino Nunes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Enfermeira mestranda pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, (RN), Brasil.

Soraya Maria de Medeiros, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Enfermeira. Professora Doutora em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Natal (RN), Brasil

Rejane Marie Barbosa Davim, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Enfermeira Obstetra. Professora Doutora em Ciências da Saúde pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Natal (RN), Brasil

Kezia Katiane Medeiros da Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Enfermeira. Doutoranda pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Brasil.

Maria Neyrian de Fátima Fernandes, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo

Enfermeira. Professora Doutora da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo  (EERP/USP), Brasil.

Plum Analytics

Referências

Santos FS (org). A arte de morrer: visões plurais. São Paulo: Comenius; 2009.

Pinho LMO, Barbosa NA. A relação docente-acadêmico no enfrentamento do morrer. Rev esc enferm USP [Internet]. 2010 [citado 2020 Jan 15]; 44(1):107-12. Disponível em: Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342010000100015

Pinto MH, Cruz MF, Cesarino CB, Pereira APS, Ribeiro RCHM, Beccaria LM. O cuidado de enfermagem ao paciente oncológico fora de possibilidade de cura: percepção de um grupo de profissionais. Cogitare Enferm [Internet]. 2011 [citado 2020 Jan 15];16(4):647-53. Disponível: http://revistas.ufpr.br/cogitare/article/view/25433/17052

Santana JCB, Rigueira ACM, Dutra BS. Distanásia: reflexões sobre até quando prolongar a vida em uma Unidade de Terapia Intensiva na percepção dos enfermeiros. Revista Bioethikos [Internet]. 2010 [citado 2020 Jan 15];4(4):402-11. Disponível em: http://www.saocamilo-sp.br/pdf/bioethikos/80/Bioethikos_402-411_.pdf

Bandeira D, Cogo SB, Hildebrandt LM, Badke MR. A morte e o morrer no processo de formação de enfermeiros sob a ótica de docentes de enfermagem. Texto Contexto Enferm [Internet]. 2014 [citado 2020 Jan 15];23(2):400-7. Disponível em: Doi: http://dx.doi.org/10.1590/0104-07072014000660013

Sousa ATO, França JRFS, Santos MFO, Costa SFG, Souto CMRM. Cuidados paliativos com pacientes terminais: um enfoque na bioética. Rev Cub Enferm [Internet]. 2010 [citado 2020 Jan 20];2(3):123-35. Disponível em: http://bvs.sld.cu/revistas/enf/vol26_3_10/enf05310.htm

Gaudencio D, Messeder O. Dilemas sobre o fim-da-vida: informações sobre a prática médica nas UTIs. Ciênc saúde coletiva. [Internet]. 2011 [citado 2020 Jan 20];16(Supl.1):813-20. Disponível em: Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232011000700012

Barros NCB, Oliveira CDB, Alves ERP, França ISX, Nascimento RM, Freire MEM. Cuidados paliativos na UTI: compreensão, limites e possibilidades por enfermeiros. Rev Enferm UFSM. [Internet]. 2012 [citado 2020 Jan 20];2(3):630-40. Disponível em: Doi: http://dx.doi.org/10.5902/217976925857

Furtado AMO, Souza SROS, Ramos JS, Ferreira MCA. O enfermeiro frente ao paciente fora de possibilidade terapêutica: dignidade e qualidade no processo do morrer. Rev Enfermería Global. [Internet]. 2011 [citado 2020 Jan 20];(22):1-8. Disponível em: http://scielo.isciii.es/pdf/eg/v10n22/pt_administracion6.pdf

Lima MGR, Nietsche EA, Teixeira JA. Reflexos da formação acadêmica na percepção do morrer e da morte por enfermeiros. Rev Eletr Enf [Internet]. 2012 [citado 2020 Jan 20]; 14(1):181-8. Disponível em: http://www.fen.ufg.br/revista/v14/n1/pdf/v14n1a21.pdf

Rochembach JV, Casarin ST, Siqueira HCH. Morte pediátrica no cotidiano do enfermeiro: sentimentos e estratégias de enfrentamento. Rev Rene [Internet]. 2010 [citado 2020 Jan 20];11(2):63-71. Disponível em: http://periodicos.ufc.br/rene/article/view/4525/3411

Gil AN. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6ª ed. São Paulo: Atlas; 2010.

Bardin L. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70; 2011.

Bousso RS. A complexidade e a simplicidade da experiência do luto. Acta paul enferm. [Internet]. 2011 [citado 2020 Jan 20];24(3):VII-VIII. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002011000300001

Farinasso ALC, Labate RC. Luto, religiosidade e espiritualidade: um estudo clínico-qualitativo com viúvas idosas. Rev Eletr Enf. [Internet]. 2012 [citado 2020 Jan 20];14(3):588-98. Disponível em: http://www.fen.ufg.br/fen_revista/v14/n3/pdf/v14n3a15.pdf

Kuster DK, Bisogno SBC. A Percepção do enfermeiro diante da morte dos pacientes. Disc Scientia [Internet]. 2010 [citado 2020 Jan 20];11(1):9-24. Disponível em: http://www.periodicos.unifra.br/index.php/disciplinarumS/article/view/91

Mota MS, Gomes GC, Coelho MF, Lunardi Filho WD, Sousa LD. Reações e sentimentos de profissionais da enfermagem frente à morte dos pacientes sob seus cuidados. Rev Gaúcha Enferm. [Internet]. 2011[citado 2020 Jan 22];32(1):139-25. Disponível em: Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1983-14472011000100017

Machado WCA, Leite JL. Eros e thanatos: a morte sob a óptica da enfermagem. São Paulo: Yendes; 2006.

Bousso RS, Poles K, Serafim TS, Miranda MG. Crenças religiosas, doença e morte: perspectiva da família na experiência de doença. Rev. Esc. Enferm USP [Internet]. 2010 [citado 2020 Jan 22];45(2):397-403. Disponível em: Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342011000200014

Kubler-Ross E. Sobre a morte e o morrer. São Paulo: Martins Fontes; 2008.

Martins JT, Robazzi MLCC. O trabalho do enfermeiro em unidade de terapia intensiva: sentimentos de sofrimento. Rev Latino-Americana de Enferm [Internet]. 2009 [citado 2020 Jan 22];17(1):52-8. Disponível em: Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-11692009000100009

Machado DA, Louro TQ, Figueiredo NMA, Vianna LMA. O esgotamento dos profissionais de enfermagem: uma revisão integrativa sobre a síndrome de Burnout em UTI. R pesq cui fund online [Internet]. 2012 [citado 2020 Jan 22];4(4):2765-75. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=505750895039

Baggio MA, Formaggio FM. Trabalho, cotidiano e o profissional de enfermagem: o significado do descuidado de si. Cogitare Enferm [Internet]. 2008 [citado 2020 Jan 22];13(1):67-74. Disponível em: http://revistas.ufpr.br/cogitare/article/view/11954

Faria CA, Alves HVD, Charchat-Fichman H. The most frequently used tests for assessing executive functions in aging. Dement Neuropsychol [Internet]. 2015 [citado 2020 Jan 22];9(2):149-55. Disponível em: http://www.demneuropsy.com.br/imageBank/PDF/v9n2a09.pdf

Ribeiro DB, Fortes RC. A morte e o morrer na perspectiva de estudantes de enfermagem. Revisa [Internet]. 2012 [citado 2020 Jan 22];1(1):32-9. Disponível em: http://revistafacesa.senaaires.com.br/index.php/revisa/article/view/10

Lima MGR, Nietsche EA, Teixeira JA. Reflexos da formação acadêmica na percepção do morrer e da morte por enfermeiros. Rev Eletr Enf [Internet]. 2012 [citado 2020 Jan 22];14(1):181-8. Disponível em: https://www.fen.ufg.br/fen_revista/v14/n1/pdf/v14n1a21.pdf

Jaccobsen J, Jackson VA. A communication approach for oncologists: understanding patient coping and communicating about bad news, palliative care, and hospice. J Natl Compr Canc Netw [Internet]. 2009 [citado 2020 Jan 22];7(4):475-80. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19406044

Araújo MMT, Silva MJP. Estratégias de comunicação utilizadas por profissionais de saúde na atenção à pacientes sob cuidados paliativos. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2012 [citado 2020 Jan 20];46(3):626-32. Disponível em: Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342012000300014

Both JE, Leite MT, Hildebrandt LM, Spies J, Silva LAA, Beuter M. O morrer e a morte de idosos hospitalizados na ótica de profissionais de enfermagem. Ciênc Cuid Saúde [Internet]. 2013 [citado 2020 Jan 23]; 12(3):558-65. Disponível em: http://www. periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/view/18302/pdf_47 30. Souza LPS, Mota JR, Barbosa RR, Oliveira CSS, Barbosa DA. A morte e o processo de morrer: sentimentos manifestados por enfermeiros. Enfermería global. [Internet]. 2013 [citado 2020 Jan 23]; 12(32):239-7. Disponível em: http://scielo.isciii.es/pdf/eg/v12n32/pt_administracion4.pdf

Martins JT, Robazzi MLCC. O trabalho do enfermeiro em unidade de terapia intensiva: sentimentos de sofrimento. Rev Latino-am Enfermagem. [Internet]. 2009 [citado 2020 Jan 25]; 17(1):48-55. Disponível em:

http://www.scielo.br/pdf/rlae/v17n1/pt_09.pdf

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)