O FUNERAL DE P. CLÓDIO PULCRO (52 A.C.) E A MEMÓRIA CULTURAL NA ROMA TARDO-REPUBLICANA

Autores

  • Jonathan Cruz Moreira Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO

Palavras-chave:

Memória Cultural, Rituais Funerários, Revolta, Roma Antiga

Resumo

A memória tinha extrema relevância na Roma antiga, e a memória cultural da urbs era comemorada e consolidada em monumentos, inscrições, discursos e em rituais, como triunfos e funerais públicos. No período tardo-republicano, o funeral aristocrático apresentava as conquistas da família enlutada por meio de uma sequência intrincada de ritos, articulando a memória da aristocracia à memória cultural de Roma. Rituais públicos como os funerais aristocráticos, ao envolver diversos grupos, criavam referenciais comuns que, em determinadas condições, eram articulados de maneiras diferentes. Este artigo se propõe a refletir sobre a apropriação de elementos do funeral aristocrático e sua conexão a outros referenciais de memória no funeral de P. Clódio Pulcro, em 52 a.C.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2022-10-01

Como Citar

Cruz Moreira, J. (2022). O FUNERAL DE P. CLÓDIO PULCRO (52 A.C.) E A MEMÓRIA CULTURAL NA ROMA TARDO-REPUBLICANA. Humanidades Em Revista, 4(1), 87–103. Recuperado de http://seer.unirio.br/hr/article/view/11531