http://seer.unirio.br/hr/issue/feed Humanidades em Revista 2021-08-04T10:12:48-03:00 Humanidades em Revista humanidadesemrevista@unirio.br Open Journal Systems <p><span style="font-family: arial, sans-serif;">"Humanidades em Revista” - ISSN 2674-6468. Revista eletrônica discente do Centro de Ciências Humanas e Sociais, com trabalhos de discentes das Escolas e Programas de Pós-Graduação em Humanidades e áreas afins da UNIRIO e de outras instituições acadêmicas voltadas para o ensino e pesquisa. Destina-se a público aberto e tem como proposta viabilizar e apoiar a divulgação de trabalhos em que os discentes sejam os protagonistas</span></p> <p><span style="font-family: arial, sans-serif;">O periódico tem caráter interdisciplinar e multidisciplinar compreendendo as Ciências Humanas e áreas afins às Humanidades ou demais áreas de conhecimento que proponham temas com interface com as Humanidades. Por exemplo: Ciências da Linguagem, Letras e Artes, História, História das Ciências puras e aplicadas, Saúde, Direito, Arqueologia, Memória social, Museologia e Patrimônio, Turismo, Psicologia e Psicanálise, Pedagogia, Sociologia, Filosofias pura e aplicada, Geografia Humana, Economia, Biblioteconomia, Arquivologia etc.</span></p> http://seer.unirio.br/hr/article/view/11140 O LADO OBSCURO DE AQUÁRIO 2021-06-15T14:08:10-03:00 AFRANIO SANTIAGO afranio.sntg@gmail.com <p>Na passagem do século XX para o século XXI, as novas tecnologias de informação e um ambiente de trabalho controlado por computadores substituíram o antigo modelo fabril pelo modelo empresarial. Neste contexto de metamorfose do capitalismo, com a ideologia neoliberal na proa da mudanças, multiplicaram-se as capacidades de extração de mais-valor. Tanto o tempo quanto o cotidiano dos trabalhadores foram completamente colonizados pelas exigência do capital. Não existem mais limites para o tempo de trabalho não pago, em uma sociedade continuamente iluminada pela conectividade e incessantes demandas de trabalho ininterrupto. Jonathan Crary e Shoshana Zuboff estudam, respectivamente, o tempo de trabalho incessante (24/7) e o meio pelo qual as novas empresas estabelecem, com o mínimo de recursos humanos, o máximo de lucratividade (Big Data).</p> 2021-08-17T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 AFRANIO SANTIAGO http://seer.unirio.br/hr/article/view/11239 UM OLHAR LEGISLATIVO SOBRE AS ARTES VISUAIS NO ENSINO PÚBLICO BRASILEIRO 2021-07-21T11:34:55-03:00 Bernardo Nort nortbernardo@gmail.com <p>&nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp; &nbsp;O ensino de Artes Visuais na Educação Básica brasileira permanece sendo um tema obscuro, para muitos, em relação às garantias legais que sustentam tal disciplina. Com a intenção de contribuir para o conhecimento geral e explicitar incongruências encontradas entre apontamentos contidos nos documentos oficiais investigados, o presente trabalho busca uma caracterização enquanto à “universalização do atendimento escolar”, garantida pelo Artigo 214 da Constituição Federal, diante desta matéria obrigatória.</p> 2021-08-17T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Bernardo Nort http://seer.unirio.br/hr/article/view/11263 SUMÁRIO - DOSSIÊ ATUAÇÃO CÊNICA CONTEMPORANEA BRASILEIRA & VARIA 2021-08-04T10:12:48-03:00 Humanidades em Revista humanidadesemrevista@unirio.br <p><strong>HUMANIDADES EM REVISTA - Volume 3. Número 1. 2021-1</strong></p> <p><strong>SUMÁRIO: </strong><strong>DOSSIÊ:</strong> <strong><em>ATUAÇÃO CÊNICA CONTEMPORÂNEA BRASILEIRA</em></strong></p> <p><strong> </strong>APRESENTAÇÃO – BUSCANDO NO ESCURO DOS TEMPOS O BRILHO DOS VAGALUMES: EXPERIÊNCIAS CONTEMPORÂNEAS NAS ARTES VIVAS. <em>André Carreira</em> ....................................................................................................... 1</p> <p>ATUAÇÃO CONTEMPORÂNEA E O CINEMA DE GARAGEM: CORPOS DE <em>INFERNINHO</em> NAS BORDAS DO FICCIONAL. <em>André de Souza Macedo; Pietra Paola Garcia; Suelen Grimes</em> ...................................................................... 6</p> <p>KINTSUGI - 100 MEMÓRIAS: REFLEXÕES SOBRE UMA ATUAÇÃO CONTEMPORÂNEA. <em>Jônata Gonçalves da Silva; Luciellem dos Santos; Marlon Almeida Spilhere ......................................................................................................</em> 27</p> <p>FABULAÇÕES CARNIFICADAS: ESPECULAÇÕES SOBRE AS AÇÕES PERFORMÁTICAS DE RODRIGO BRAGA. <em>Mateus Scota e Vinicius Huggy</em> .... 40</p> <p>UM CAMINHO PELAS SOMBRAS: INDÍCIOS DE UMA CENA CONTEMPORÂNEA EM <em>MATA TEU PAI</em> E <em>DELÍRIOS, SOMBRAS DO INCONSCIENTE. </em><em>Daidrê Thomas de Amorim; Suzana Morelo Vergara Martins Costa; Welerson Freitas Filho </em>..................................................................... 58</p> <p>REDISCUTINDO O TEATRO: ATUAÇÃO DO CORPO NEGRO EM CENA. <em>Marco Antonio Duarte; Rafael L O Pedretti; Sidney Michael Dietrich ......................</em> 73</p> <p>ÂNUS SOLAR DE MAIKON K: UMA REFLEXÃO ACERCA DAS RELAÇÕES ENTRE VIOLÊNCIA E ATUAÇÃO NA ELABORAÇÃO DE UMA TÉCNICA DA SINGULARIDADE <em>André Francisco Pereira Oliveira Santos; Emanoel Aparecido de Faria; Marcos Roberto Klann .............................................................................</em> 89</p> <p>POEMA EM QUEDA-LIVE: UMA POSSIBILIDADE DE PRESENÇA CÊNICO-DIGITAL NA CONTEMPORANEIDADE AGAMBENIANA <em>Gednilson de Freitas Lima, Railson Gomes Almeida ................................................................................</em> 102</p> <p><strong>VARIA:</strong></p> <p>O LADO OBSCURO DE AQUÁRIO: CAPITALISMO PÓS-INDUSTRIAL E A DUPLA RAPINAGEM <em>Afrânio Duarte Barbosa Santiago </em>...................................... 115</p> <p>UM OLHAR LEGISLATIVO SOBRE AS ARTES VISUAIS NO ENSINO PÚBLICO BRASILEIRO. <em>Bernardo Nort</em> <em>Teixeira Campos ................................................</em> 125</p> 2021-08-17T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Patricia Horvat http://seer.unirio.br/hr/article/view/11262 DOSSIÊ ATUAÇÃO CÊNICA CONTEMPORANEA BRASILEIRA & VARIA 2021-08-03T14:48:38-03:00 Humanidades em Revista humanidadesemrevista@unirio.br <p>DOSSIÊ ATUAÇÃO CÊNICA CONTEMPORANEA BRASILEIRA &amp; VARIA</p> <p>O dossiê discute o papel do ator na encenação teatral contemporânea brasileira a partir de apresentações de viés vanguardista e da cultura popular.</p> <p>O artigo filosófico tece uma análise do "tempo de trabalho incessante" no contexto do Neoliberalismo.</p> <p>O artigo em Educação questiona a legislação brasileira concernente ao ensino de Artes nas escolas.</p> <p> </p> 2021-08-17T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Patricia Horvat; Maria Eichler Sant`'Angelo, Sonia Terezinha Oliveira http://seer.unirio.br/hr/article/view/11212 Apresentação do Dossiê ATUAÇÃO CÊNICA CONTEMPORÂNEA BRASILEIRA 2021-07-15T06:28:17-03:00 André Carreira carreira@udesc.br <p>Apresentação do Dossiê resultado de atividade de ensino de pós-graduação dedicada a refletir sobre práticas criativas contemporâneas no território das Artes Vivas. Os textos aqui reunidos utilizam a ideia do olhar contemporâneo segundo Giorgio Agamben e trabalham com a noção de acontecimento.</p> 2021-08-17T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 André Carreira http://seer.unirio.br/hr/article/view/11195 ATUAÇÃO CONTEMPORÂNEA E O CINEMA DE GARAGEM 2021-07-11T17:49:00-03:00 Pietra Paola Garcia comunicacao.pietra@gmail.com André de Souza Macedo andremacedo.arte@gmail.com Suelen Grimes suelengrimes@live.com <p>Propomos neste artigo uma discussão que leva em consideração as contaminações entre teatro e cinema, com um olhar voltado à atuação, ao acontecimento e ao processo criativo que desloca a ênfase da autoria única para praticar um tipo de composição que se dá no plural. Para isso, investigamos essas relações a partir do contexto de realização do filme <em>Inferninho</em> (2018, Ceará – Brasil), trabalho resultante da amizade e encantamento entre o coletivo de cinema Alumbramento e o Grupo Bagaceira de Teatro. A proposta reflexiva partiu de mapeamento conceitual a fim de levantar questionamentos sobre a atuação contemporânea; de nossa percepção como espectadoras e espectador do filme em questão; além de entrevista com a equipe de produção. Consideramos as noções de cinema de garagem e <em>brodagem</em> (Marcelo Ikeda), amizade e contemporâneo (Giorgio Agamben) como estímulos para a discussão.</p> 2021-08-17T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Pietra Paola Garcia, André de Souza Macedo, Suelen Grimes http://seer.unirio.br/hr/article/view/11194 o KINTSUGI - 100 MEMÓRIAS 2021-07-11T14:38:58-03:00 Jônata Gonçalves da Silva jonatagoncalvess@gmail.com Luciellem dos Santos luciellemproducao@gmail.com Marlon Almeida Spilhere marlonspilhere@gmail.com <p>O presente artigo visa a elaborar um pensamento analítico sobre o espetáculo <em>Kintsugi - 100 memórias</em> do Lume Teatro, da cidade de Barão Geraldo (SP), e refletir sobre a atuação a partir do conceito de contemporâneo proposto por Giorgio Agamben. São abordados uma visão de teatro de grupo pautada nas singularidades dos corpos que compõem o coletivo; o mapeamento das transformações do treinamento de atores do grupo em questão; e a intimidade como forma de possibilitar a cumplicidade entre atores e espectadores.</p> 2021-08-17T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Jônata Gonçalves da Silva, Luciellem dos Santos, Marlon Almeida Spilhere http://seer.unirio.br/hr/article/view/11200 FABULAÇÕES CARNIFICADAS: 2021-07-11T20:33:14-03:00 Mateus Scota mateus_scota@yahoo.com Vinicius Huggy viniciushuggy@gmail.com <p><span style="font-weight: 400;">Este artigo propõe uma discussão sobre a produção de sensações nas ações performáticas de Rodrigo Braga, refletindo como seu trabalho pode contribuir para pensar as práticas de atuação no campo das artes vivas. A partir de um retorno sobre as obras </span><em><span style="font-weight: 400;">Fantasia da Compensação</span></em><span style="font-weight: 400;"> (2004), </span><em><span style="font-weight: 400;">Comunhão</span></em><span style="font-weight: 400;"> (2006), </span><em><span style="font-weight: 400;">Da alegoria perecível</span></em><span style="font-weight: 400;"> (2006), </span><em><span style="font-weight: 400;">Tônus</span></em><span style="font-weight: 400;"> (2012), </span><em><span style="font-weight: 400;">Tombo</span></em><span style="font-weight: 400;"> (2015) e </span><em><span style="font-weight: 400;">Mar Interior</span></em><span style="font-weight: 400;"> (2016), buscamos pontos de experimentação com os conceitos de </span><em><span style="font-weight: 400;">acontecimento</span></em><span style="font-weight: 400;"> e </span><em><span style="font-weight: 400;">território</span></em><span style="font-weight: 400;"> para tecer uma especulação teórica sobre suas performances no que tange o problema da representação na perspectiva de uma poética da atuação contemporânea. As imagens discutidas aqui perpassam pela noção de fabulação por modos de tornar-se </span><em><span style="font-weight: 400;">outro </span></em><span style="font-weight: 400;">em que os monumentos de sensações do acontecimento atravessam enquanto carnificam.</span></p> 2021-08-17T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Mateus Scota, Vinicius Huggy http://seer.unirio.br/hr/article/view/11198 UM CAMINHO PELAS SOMBRAS 2021-07-11T20:55:47-03:00 Welerson Freitas Filho werso.ufu@gmail.com Daidrê Thomas de Amorim daidre.thomas@gmail.com Suzana Morelo Vergara Martins Costa suzanavergara10@gmail.com <p>No contexto de pandemia da Covid-19 e isolamento social do ano de 2020, um grande número de experiências das artes da cena – adaptadas ou não – foram compartilhadas por meios digitais. Em algumas destas obras vislumbram-se indícios que apontam para uma possível cena contemporânea, entendendo o contemporâneo não como uma modalidade estética definida e seletiva, mas como práticas que tendem a romper com um ambiente de homogeneidade e de certezas. Neste texto, analisam-se dois espetáculos compartilhados em plataformas digitais durante a pandemia: <em>Delírios: sombras do inconsciente</em> da Cia. Quase Cinema e <em>Mata teu Pai </em>com dramaturgia de Grace Passô e atuação de Debora Lamm, a fim de refletir sobre possíveis caminhos da cena contemporânea e sobre seu diálogo com a noção de acontecimento e com uma certa ideia de sombra.</p> 2021-08-17T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Welerson Freitas Filho, Daidrê Thomas de Amorim, Suzana Morelo Vergara Martins Costa http://seer.unirio.br/hr/article/view/11202 REDISCUTINDO O TEATRO: ATUAÇÃO DO CORPO NEGRO EM CENA 2021-07-11T23:47:49-03:00 Marco Antônio Duarte Silva mad.silva@edu.udesc.br Rafael L O Pedretti rafapedretti@yahoo.com.br Sidney Michael Dietrich sidneyteatro@gmail.com <p>Este artigo busca estruturar um breve resumo sobre os conceitos que englobam os Teatros Negros no território brasileiro, traçando resumidamente uma espiral histórica sobre a participação do Teatro Negro na história do Brasil e como houve diversas tentativas por parte da classe artística branca em apagar a cultura negra nas artes cênicas. Após discorrer sobre determinados conceitos de Teatro Negro, tendo como base a tese da pesquisadora Evani Tavares Lima e o livro de Leda Maria Martins e da ideia do que é contemporâneo do filósofo italiano Giorgio Agamben, pretende-se criar diálogo destes conceitos com duas montagens teatrais realizadas: “Poesia e Melodia” com o ator negro Samuel de Assis e, “Isto Não é Uma Mulata” com a atriz e dramaturgista negra Mônica Santana. As montagens serão abordadas resumidamente como ponto de partida para refletir sobre o corpo preto em cena e quais implicações subjetivas e meios técnicos resultam nas suas atuações.</p> 2021-08-17T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Marco Antônio Duarte Silva, Rafael L O Pedretti, Sidney Michael Dietrich http://seer.unirio.br/hr/article/view/11191 ANUS SOLAR DE MAIKON K - 2021-07-10T17:03:17-03:00 Marcos Roberto Klann marcosklann@gmail.com André Francisco Pereira Oliveira Santos afposantos@gmail.com Emanoel Aparecido de Faria emmanuelfaria13@hotmail.com <p><span style="font-weight: 400;">A atuação na contemporaneidade se apresenta como espectro amplo, em que a partir de experiências anteriores na cena, se deflagram novas possibilidades e modos para ela. A partir da atuação do ator Maikon K. no espetáculo </span><em><span style="font-weight: 400;">Ânus Solar</span></em><span style="font-weight: 400;"> (2017), o presente texto propõe uma reflexão sobre a construção de uma técnica enquanto singularidade, que parte da violência como processo de desconstrução do sujeito social ocidental. Essa prática é pensada como uma atitude ontológica do atuante que experimenta e compartilha uma experiência de desvendamento, do fazer.&nbsp;</span></p> <p><br><strong>Palavras-chave</strong><span style="font-weight: 400;">: Atuação, singularidade, violência, teatro, Maikon K.</span></p> 2021-08-17T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Marcos Roberto Klann, André Francisco Pereira Oliveira Santos, Emanoel Aparecido de Faria http://seer.unirio.br/hr/article/view/11203 POEMA EM QUEDA-LIVE: 2021-07-12T13:46:13-03:00 Gednilson de Freitas Lima gednilson18@hotmail.com Railson Gomes Almeida railsonga04@gmail.com <p>O presente artigo intenta dialogar sobre os conceitos de Presença Cênica e sua aplicabilidade com as pesquisas em teatro digital no contexto brasileiro, a partir de sua&nbsp; contemporaneidade “agambeniana”. Para tanto estudamos o caso do espetáculo Poema em Queda-Live da Cia. Mungunzá de Teatro do estado de São Paulo, Brasil. Criando pontes com os trabalhos de Presença cênica e Zona de Turbulência do pesquisador Renato Ferracini (Lume/Unicamp), bem como o Contemporâneo de Girgi Agamben. Ao final do percurso apontamos que se mantidas as relações de comunicação extra-ficcinional, ou seja, a interlocução artista-público para além da ficção, no momento do evento artístico, tais conceitos podem ser chaves de análise do espetáculo contemporâneo em meio virtual.</p> 2021-08-17T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2021 Gednilson de Freitas Lima, Railson Gomes Almeida