REFLETINDO SOBRE AS CRIANÇAS E A ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO GEOGRÁFICO NA ESCOLA

Andressa Farias Vidal, Vanessa Manhães Gomes, Marcio da Costa Berbat

Resumo


O presente trabalho é parte de uma pesquisa (em andamento) de Iniciação Científica do curso de Pedagogia - modalidade a distância- intitulada “Territorialidades de crianças nas Instituições de Educação Infantil”. O foco está no novo campo da Geografia da Infância. Esta pesquisa vem sendo desenvolvida em uma Unidade Municipal de
Educação Infantil (UMEI) de Niterói/RJ e busca determinar como a criança de cinco anos de idade apropria-se do espaço geográfico, e, a partir de sua vivência, ressignifica-o, evidenciando subjetividades e interpretações do espaço ofertado.
Além disso, considerando que infância se situa como categoria nas estruturas sociais, este trabalho objetiva compreender as relações que as crianças estabelecem com os espaços, na medida em que estes são mediados por suas interações culturais e sociais. Dessa forma, visando observar e interpretar a vivência das referidas crianças, esta pesquisa busca estudar as relações estabelecidas por elas a partir da tríade sociedade, infância e escola, a fim de entender a construção social da infância atual, e o papel que a escola vem desempenhando na modernidade.
Assim, esta pesquisa pretende identificar como as categorias de análise da Geografia emergem no contexto das brincadeiras e ações das crianças, ou melhor, nos espaços-tempo da Educação Infantil, possibilitando, no âmbito do processo de investigação e interpretação dos dados qualitativos, erigir parâmetros de entendimento do ser-estar das crianças no espaço imediato
da educação, e na sua mediação com o mundo.Ciências Ambientais. Inicialmente, foi oferecida para 26 alunos apenas, o que equivalia a metade do total de alunos inscritos na disciplina. Nos semestres seguintes, a oferta foi feita exclusivamente no modo semi-presencial.
Na ocasião em que foi oferecida concomitantemente com o ensino presencial, a turma de ensino a distância teve uma taxa de reprovação bem inferior em relação à turma presencial, independentemente do curso. Esse resultado é animador para o oferecimento da disciplina no modo semi-presencial.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2179-1430.2014.v2i2.4-12