REFLEXÕES ACERCA DOS ADOLESCENTES APREENDIDOS NO DEGASE

Elizabeth Cunha Sussekind, Igor de Macedo Lira

Resumo


 

RESUMO

A pesquisa analisa possíveis violações dos Direitos Humanos na Escola João Luiz Alves, uma das unidades de internação de adolescentes do Departamento Geral de Ações Socioeducativas (DEGASE), e descreve brevemente a história da unidade. Analisa a aplicação de normas como o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), a Declaração Universal dos Direitos Humanos e o Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo nas unidades de internação do DEGASE. Discorre sobre os adolescentes infratores da unidade de internação, a superlotação e as queixas sobre maus tratos e tortura que sofrem. Compara o sistema socioeducativo e sua aplicação, sobretudo se há ressocialização e reintegração desses jovens quando no convívio sociofamiliar. Conclui que, embora ainda haja normas que protegem os direitos humanos do adolescente apreendido, a aplicação delas no cotidiano do sistema de custódia é falha, necessitando de controle e de medidas alternativas.


Palavras-chave


adolescente infrator; DEGASE; Direitos Humanos; Escola João Luiz Alves; Estatuto da Criança e do Adolescente; reincidência.

Texto completo:

PDF

Referências


ABDALLA, Janaina de Fatima Silva; SILVA; Saturnina Pereira. Ações socioeducativas, saberes e práticas: formação dos operadores do sistema socioeducativo de estado do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: DEGASE, 2013. Disponível em: http://www.degase.rj.gov.br/documentos/AcoesSocioeducativasSaberesePraticas(2013).pdf. Acesso em: 12 mar. 2019.

ALERJ. Relatório Anual do Mecanismo Estadual de Prevenção e Combate à Tortura do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: ALERJ, 2017. Disponível em: https://drive.google.com/drive/folders/0B6vJLFtpN6eBcmwyOWtoazhOLTA. Acesso em: 20 mar. 2019.

BARRA, Maria Beatriz. A clínica psicanalítica em um ambulatório para adolescente em conflito com a lei. Revista Estudos e Pesquisas em Psicologia, Rio de Janeiro, 2007. Disponível em: http://www.revispsi.uerj.br/v7n3/artigos/html/v7n3a06.htm. Acesso em: 12 mar. 2019.

BARROSO, Alícia. Escola João Luiz Alves ganha módulo de internação provisória. Governo do Estado do Rio de Janeiro, 4 jun. 2012. Disponível em: http://rj.gov.br/web/seeduc/exibeconteudo?article-id=954143. Acesso em: 24 mar. 2019.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, [2016]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/ Constituiçao.htm. Acesso em: 15 jan. 2019.

BRASIL. Decreto nº 17.943-A, de 12 de outubro de 1927. Consolida as leis de assistência e proteção aos menores. Rio de janeiro, 1927. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1910-1929/D17943A.htm. Acesso em: 27 fev. 2019.

BRASIL. Decreto nº 99.710, de 21 de novembro de 1990. Promulga a Convenção sobre os direitos da criança. Diário Oficial, 22 nov. 1990. Acesso em: 23 fev. 2019

BRASIL. Lei nº 6.697, de 10 de outubro de 1979. Institui o Código de Menores. Brasília, 10 de outubro de 1979. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/1970-1979/L6697.htm. Acesso em: 24 fev. 2019.

BRASIL. Lei nº 8.069 de 13 de julho de 1990. Dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente e dá providências. Brasília: Casa Civil, 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8069.htm. Acesso em: 18 jan. 2019.

BRASIL, Lei nº 12.594, de 18 de janeiro de 2012. Institui o Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (SINASE), regulamenta a execução das medidas socioeducativas destinadas a adolescente que pratique ato infracional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 2012. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2012/Lei/L12594.htm. Acesso em: 10 mar. 2019.

BRASIL. Ministério dos Direitos Humanos. Levantamento anual SINASE - 2016. Brasília: MDH, 2018. Disponível em: https://www.mdh.gov.br/todas-as-noticias/2018/marco/Levantamento_2016Final.pdf. Acesso em: 23 mar. 2019.

BRASIL. Presidência da República. Secretaria Especial dos Direitos Humanos. Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente. Sistema Nacional De Atendimento Socioeducativo – SINASE. Brasília-DF: CONANDA, 2006. Disponível em: http://www.conselhodacrianca.al.gov.br/sala-de-imprensa/publicacoes/sinase.pdf. Acesso em: 12 fev. 2019.

CARTA CAPITAL. Como o Brasil lida com os direitos Humanos? São Paulo, 26 ago. 2018. Disponível em: https://www.cartacapital.com.br/sociedade/como-o-brasil-lida-com-os-direitos-humanos/. Acesso em: 12 mar. 2019.

CIDH. Relatório nº 40/07. Petição 665-05. Admissibilidade. Brasil, 23 jul. 2007. Disponível em: https://cidh.oas.org/annualrep/2007port/Brasil665.05port.htm. Acesso em: 23 mar. 2019.

FONSECA, Júlia Brito. Código de Menores e o Estatuto da Criança e do Adolescente. Revista JusBrasil, 2015. Disponível em: https://juliabr.jusbrasil.com.br/artigos/155146196/ codigo-de-menores-e-o-estatuto-da-crianca-e-do-adolescente. Acesso em: 23 fev. 2018.

GALVÃO, Roberto Carlos Simões. História dos direitos humanos e seu problema fundamental. Rev. Âmbito Jurídico, Rio Grande, v. 8, n. 23, out. 2005. Disponível em: http://www.ambito-juridico.com.br/site/index.php?n_link=revista_artigos_leitura&artigo_id=176. Acesso em 12 mar. 2019.

HUMAN RIGHTS WATCH. Real Dungeons: Juvenile Detention in the State of Rio de Janeiro. Suíça, 2004. Disponível em: https://www.refworld.org/docid/42c3bcec0.html. Acesso em: 31 mar. 2019.

JUSTIÇA GLOBAL; CEDECA/RJ; ANCED; CDEDICA. Recolhimento Compulsório e Segregação de crianças e adolescentes negros e pobres no Rio de Janeiro no contexto dos Jogos Olímpicos de 2016. Rio de Janeiro, 2016. Disponível em: ttp://www.global.org.br/wp-content/uploads/2016/03/CARTA-AO-COMITE_PORTUGUES.pdf. Acesso em: 23 mar. 2019.

MAURO, Mariana. Unidades do Novo Degase estão superlotadas. Jornal Destak, jul. 2018. Disponível em: https://www.destakjornal.com.br/cidades/rio-de-janeiro/detalhe/unidades-do-novo-degase-estao-superlotadas. Acesso em: 23 mar. 2019.

MELLO FILHO, José Celso de. Luta pelos direitos humanos é compromisso irrenunciável, diz Celso de Mello. Revista Consultor Jurídico, 11 dez. 2018. Disponível em: https://www.conjur.com.br/2018-dez-11/luta-pelos-direitos-humanos-irrenunciavel-celso-mello. Acesso em: 12 mar. 2019.

OLIVEIRA, Cynthia Bisinoto Evangelista; OLIVA, Olga Brigitte; ARRAES, Juliana; GALLI, Yoshii; AMORIM, Gustavo; Souza, Luana Alves. Socioeducação: origem, significado e implicações para o atendimento socioeducativo. Revista Psicologia em Estudo, v. 20, n. 4, 2015. Disponível em: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/PsicolEstud/article/view/28456. Acesso em: 12 fev. 2019.

ONUBR. O que são os direitos humanos? Brasília: ONU Brasil, 2019. Disponível em: https://nacoes unidas.org/direitoshumanos. Acesso em: 10 jan. 2019.

ONU. Convenção sobre os Direitos das Crianças. Nova Iorque, 20 nov. 1989. Disponível em: https://www.unric.org/html/portuguese/humanrights/Crianca.pdf. Acesso em: 12 fev. 2019.

PASSOS, Jacy Marques. Pedagogia social: contribuição à sua afirmação. Revista Pedagogia Social UFF, Rio de Janeiro, v. 2, 2016. Disponível em: www.revistadepedagogiasocial.uff.br/index.php/revista/article/download/38/30. Acesso em: 15 mar. 2019.

PEDERNERA, Luis. Parâmetros internacionais sobre justiça juvenil. In: Palestra na Roda de conversa da Comissão de Direitos Humanos da OAB/RJ. Rio de Janeiro: OAB, 2018.

RAMOS, André de Carvalho. Curso de direitos humanos. 4ª. ed. São Paulo: Saraiva, 2017.

RIO DE JANEIRO (Estado). Decreto nº 18.493, de 26 de janeiro de 1993. Cria, sem aumento de despesa, na estrutura básica da Secretaria de Estado de Justiça, o Departamento-Geral de Ação Sócio-Educativa – DEGASE e dá outras providências. Rio de Janeiro, 1993. Disponível em: http://www.silep.planejamento.rj.gov.br/decreto_18_493_26011993.htm. Acesso em: 20 fev. 2019.

RIO DE JANEIRO (Estado). Secretaria de Estado de Educação. Novo Degase. Quem somos. Rio de Janeiro: Secretaria de Estado de Educação, 2019. Disponível em: http://www.degase.rj.gov.br/quem_somos.asp. Acesso em: 15 jan. 2019.

RIZZINI, Irene. A institucionalização de crianças no Brasil: percurso histórico e desafios

do presente. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio; São Paulo: Loyola, 2004.

RIBEIRO, Paulo Fernando Lopes. De menor a adolescente: o papel da escola na política socioeducativa do Rio de Janeiro. 2016. 186 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Centro de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016.




Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Caderno de Direito e Políticas Públicas

Indexado em: