O PAPEL DA ENFERMAGEM NO ATENDIMENTO ÀS VÍTIMAS DE QUEIMADURAS

Marja Oliveira, Daniela Souza da Silva, Viviane Brasil Amaral dos Santos Coropes

Resumo


Autores:

Marja Ribeiro da Silva dos Santos Oliveira

Daniela Souza da Silva

Viviane Brasil Amaral dos Santos Coropes

Professora Orientadora:

Denise Sória

 

Descritores: Frostbite, parestesia e sunburn

 

INTRODUÇÃO

 Queimaduras são lesões tissulares resultantes de uma transferência de energia de uma fonte de calor para o corpo, através de condução direta ou radiação eletromagnética. A maioria das queimaduras ocorrem nas residências e é de pequena gravidade, e menos de 5% dos casos são graves. Há muitos fatores a serem considerados quando se avalia a sua gravidade e a melhor forma de tratá-la, sendo necessária a determinação de sua causa, profundidade, localização anatômica, extensão e análise de algumas particularidades do paciente.

OBJETIVOS

 Traçamos como objetivo deste estudo, descrever o protocolo de atendimento  às vítimas de queimaduras descrito na literatura e discutir  a conduta de enfermagem no atendimento emergencial às vítimas de queimaduras, ou seja, após a entrada do paciente no hospital, visto a grande importância da agilidade e iniciativa do enfermeiro nestes atendimentos, onde o tempo pode figurar como um dos principais inimigos, já que é essencial para o sucesso na recuperação total da vítima.

METODOLOGIA

O estudo é do tipo qualitativo e descritivo.

RESULTADOS

Permitir ao enfermeiro orientar o paciente, a pensar positivamente a cerca de si mesmo, promovendo a capacidade de redirecionar a atenção dos outros ao corpo cicatrizado para o que existe dentro do indivíduo, procurando também demonstrar e explicar os procedimentos dos cuidados das feridas a serem continuados após a alta.

CONCLUSÕES

O papel do enfermeiro é fundamental na educação em saúde, pois esta, encontra-se intimamente relacionada à reabilitação do queimado quando se prepara para retomar um lugar produtivo na sociedade, uma vez que esta ajuda o paciente na transição da dependência em relação à equipe de enfermagem para a independência, ajudando-o a elaborar métodos para comunicar aos outros suas necessidades e capacidades funcionais.  

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 

1-       PIRES, Marco Túlio Baccarini. Erazo: Manual de Urgências em Pronto Socorro; 4. ed; Rio de Janeiro: Editora Médica e Científica Ltda; 1993.

 

2-       GOMES, Dino R.; SERRA, Maria Cristina; PELLON, Marco A.. Queimaduras; 1. ed; Rio de Janeiro: Editora Revinter; 1995.

 

 

3-       FORTES, Júlia Ikeda; Enfermagem Em Emergências; 2. ed. São Paulo: Editora Pedagógica e Universitária; 1986.

 

4-       WARNER, Carmem Germaine; R. N.; R. H. N.. Enfermagem em Emergências; 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Interamericana Ltda; 1980.

 

 

5-       SUDAITH, Doris Smith; Prática de Enfermagem; 5. ed. Vol. 2. Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan S. A.; 1994.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2175-5361.2010.v0i0.%25p 

Article Metrics

Metrics Loading ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2019 Revista de Pesquisa: Cuidado é Fundamental Online

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

SCImago Institutions Rankings

 

  

 

Novas regras para submissão de artigos na RPCFO a partir de 01/07/2018. Clique aqui.