Sobre a Revista

Foco e Escopo

Psicanálise & Barroco em revista é um periódico eletrônico editado semestralmente desde 2010  pela linha de pesquisa Memória Subjetividade e Criação do Programa de Pós-Graduação em Memória Social da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e que teve seu início em 2003  como publicação do Núcleo de Estudos e Pesquisa em Subjetividade e Cultura da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Define-se como uma revista que contempla vários saberes, valorizando a interlocução da psicanálise com a arte, a cultura, a filosofia, a literatura e a memória social.

Processo de Avaliação pelos Pares

Os textos recebidos são avaliados pelo corpo editorial da revista quanto à sua adequação  às normas da Revista, seus aspectos formais e às politicas editoriais adotadas. Em seguida são encaminhados  a um parecerista e devolvidos ao(s) autor(es), caso a avaliação  indique a necessidade de correções ou mudanças. No caso de aceitação sem modificações o texto segue para edição e no caso de recusa, se o conselho editorial julgar necessário, o texto será encaminhado para um segundo parecerista de modo a confirmar ou não a recusa.

O Conselho Editorial reserva-se ainda o direito de fazer pequenas alterações ou cortes no trabalho necessários à uniformização e padronização da revista. Reserva-se ainda o direito de decidir sobre casos especiais de modo a manter a qualidade e periodicidade da publicação. 

CRONOGRAMA EDITORIAL

O processo editorial só terá início se o encaminhamento do manuscrito obedecer às orientações estabelecidas neste documento. Caso contrário, será devolvido para adequação às diretrizes da revista.

Os artigos submetidos entre os meses de JANEIRO a JULHO, caso sejam aprovados ,serão publicados na edição de dezembro do mesmo ano e os que forem submetidos entre o meses de JULHO a DEZEMBRO, caso sejam aprovados, serão publicados na edição de julho do ano seguinte. 

Os artigos aceitos serão publicados de acordo com o calendário estabelecido pelos editores, observando o número de artigos publicados em cada edição. 

Periodicidade

A revista será publicada semestralmente. Edições especiais poderão ser lançadas periodicamente no intervalo entre as edições.

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Psicanálise & Barroco em revista

Psicanálise & Barroco em revista é um periódico eletrônico, editado semestralmente desde 2002, sustentado por uma perspectiva transdisciplinar que privilegia a interlocução da psicanálise com os mais diversos campos da cultura.
 
Vinculada originariamente, ao Núcleo de Estudos e Pesquisa em Subjetividade e Cultura sediado na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF/MG), veio a constituir-se, a partir de 2009 como periódico do Programa de Pós-Graduação em Memória Social da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO/RJ), ligado a linha de pesquisa Memória, Subjetividade e Criação, acompanhando a redistribuição de sua editora, Denise Maurano.
Assim, recebemos e convidamos autores para publicação de artigos, ensaios, estudos de casos, entrevistas, resenhas, de diversas áreas, tomando como fio condutor o compromisso ético  da psicanálise de buscar ampliar nosso entendimento da condição humana, da clínica e da cultura, a partir de múltiplas interfaces que nos apontam para uma abordagem do saber, que cresce na parcialidade e não se atemoriza com a insuficiência, mas pelo contrário, estimula-se com ela. Por isso mesmo o rigor ético é nosso leme.

Pretendemos sempre ampliar e agilizar nossas possibilidades de interlocução, por isso, sejam todos bem-vindos, tanto para desfrutar, quanto para contribuir com nosso trabalho. 

Denise Maurano – Diretora Geral

Joana Souza – Gerente de Edição

Sponsors

Fontes de Apoio

Histórico do periódico

Psicanálise & Barroco em revista é um periódico eletrônico, editado semestralmente desde 2002, sustentado por uma perspectiva transdisciplinar que privilegia a interlocução da psicanálise com os mais diversos campos da cultura.
 
Vinculada originariamente, ao Núcleo de Estudos e Pesquisa em Subjetividade e Cultura sediado na Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF/MG), veio a constituir-se, a partir de 2009 como periódico do Programa de Pós-Graduação em Memória Social da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO/RJ), ligado a linha de pesquisa Memória, Subjetividade e Criação, acompanhando a redistribuição de sua editora, Denise Maurano.
 
A inspiração primeira para a proposta da revista foi contribuir para a ampliação de canais de interlocução da psicanálise, mais precisamente de sua ética própria, com os mais diversos campos da cultura, como as artes, a filosofia, a literatura, a educação,  dentre outros, e o destaque dado ao barroco adveio de uma pesquisa que averiguando as afinidades entre a psicanálise e o barroco, tomou este último como uma alavanca metodológica que bem se alinha aos reviramentos e torções necessários para a sustentação de uma produção dinâmica que favorece a flexibilidade do pensamento, sem perder o rigor de sua construção.
 
Intencionamos com esse veículo promover efetivamente, nossa intervenção na cultura. Embora valorizemos o espaço favorecido pela academia para essa realização, entendemos que para além e para aquém do que o saber acadêmico pode trazer como ganho, este não abarca a imensidão da experiência que busca produzir muitos modos de entendimento, as vezes tão, ou mais válidos de que o acadêmico. Daí o espaço que reservamos também para ensaios, para arte e para literatura.
 
A questão “O que devo fazer para ser feliz? " está no centro de toda reflexão ética. A referência à ética diz respeito à maneira de se pensar a relação do sujeito com sua ação. No que se refere à psicanálise, vale tanto compreender qual é o sentido da intervenção de um psicanalista, tanto quando intervém na clínica, quanto quando interfere na cultura. Em ambos os sentidos o que encontramos é uma concepção da condição humana perpassada pelos impasses e conflitos inerentes à própria humanidade. Nesse sentido a psicanálise não trabalha nem com visões ideias de sujeitos, nem com idealizações do mundo. E dessa forma, nos interessa dialogar com todas as concepções de outros campos do saber que se orientem por perspectivas éticas afins a essa.
 
A arte barroca parece ser a expressão plástica e literária do sujeito tal como abordado pela ética psicanalítica, trazendo subsídios de visibilidade para a difícil transmissão dessa ética, que foi, e ainda é, tantas vezes confundida com éticas psicológicas e filosóficas diversas. A partir de então, acabam dando ensejo à lamentáveis distorções da ética freudiana.
 
Com isso, a aliança psicanálise & barroco nos serviu à múltiplas finalidades. E, desde que fomos acolhidos no PPGMS/UNIRIO, por um destino natural desse feliz encontro com esse programa que é multidisciplinar, intensificamos nossa interlocução com o campo da memória social, do direito, das ciências sociais, da política, seguindo o fluxo do que nos aflige em cada momento específico. Buscamos com a revista, promover sobremaneira um lugar de convergência de artigos, de ensaios, enfim de intervenções que primem pela socialização do saber, pela ampliação de trocas, e pela valorização da ousadia que implica um pensar efetivo e comprometido com o mundo que o cerca.
 
Assim, recebemos e convidamos autores para publicação de artigos, ensaios, estudos de casos, entrevistas, resenhas,  de diversas áreas, tomando como fio condutor o compromisso ético  da psicanálise de buscar ampliar nosso entendimento da condição humana, da clínica e da cultura, a partir de múltiplas interfaces que nos apontam para uma abordagem do saber, que cresce na parcialidade e não se atemoriza com a insuficiência, mas pelo contrário, estimula-se com ela. Por isso mesmo o rigor ético é nosso leme.
 
Embora não trabalhemos, de praxe, com números temáticos, isso não impede que os temas conspirem e confluam privilegiadamente em determinados números, como vocês podem observar. Pretendemos sempre ampliar e agilizar nossas possibilidades de interlocução, por isso, sejam todos bem-vindos, tanto para desfrutar, quanto para contribuir com nosso trabalho.
 
Denise Maurano - Diretora Geral
Joana Souza - Gerente de Edição