A PULSÃO EM FREUD E O BARROCO EPISTEMOLÓGICO

André Fernando Gil Alcon Cabral

Resumo


A pulsão foi certamente o conceito que mais trouxe questões para Freud e a psicanálise. Os motivos são inúmeros, mas o principal é que, conforme a interpretação dada, acaba-se por determinar uma localização do discurso freudiano em um campo de saber predeterminado. Assim, rompe-se com a ambiguidade inerente ao próprio conceito, traindo a concepção freudiana que o caracteriza pelo seu caráter fronteiriço. Deste modo, recolocaremos em jogo a abordagem da pulsão pela literatura e pela ciência para em seguida demonstrar a necessidade de interpretar o conceito de pulsão segundo o barroquismo da psicanálise. Eis a necessidade de apresentarmos Freud como um Nome Próprio.


Palavras-chave


Psicanálise; Freud; Lacan: Memória; Literatura; Arte; Clínica

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9789/1679-9887.2020.v18i2.162-189

Direitos autorais 2020 Psicanálise & Barroco em Revista