FEMINILIDADE E MODERNIDADE EM FREUD: UMA LEITURA CRÍTICA

Marceli Ricardo Nolli

Resumo


Trata-se neste artigo de discutir a relação entre modernidade e feminilidade, a partir de Freud. O objetivo reside em delimitar a psicanálise como uma teoria e uma prática clínica que surgem propriamente devido às estruturas sociais da modernidade, tendo como uma de suas pedras fundantes a sexualidade feminina. Lança-se mão, para isso, de W. Benjamin, no campo da Teoria Crítica, e de Flaubert, Klimt e Baudelaire, no campo da produção estética. De cunho interpretativo-hermenêutico, busca-se estabelecer uma leitura crítica entre os textos de Freud e sua época, de modo a tentar compreender como sua teoria é produto de seu tempo, ao passo que também está à frente dele, produzindo novas formas de compreensão sobre a subjetividade moderna.


Palavras-chave


Psicanálise; Freud; Lacan: Memória; Literatura; Arte; Clínica

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.9789/1679-9887.2020.v18i2.207-235

Direitos autorais 2020 Psicanálise & Barroco em Revista