UMA ANTÍGONA BRASILEIRA: A CONSTRUÇÃO DA MEMÓRIA DE EUNICE PAIVA E DA SUA ATUAÇÃO EM DEFESA DA DIGNIDADE HUMANA PARA ALÉM DA LEI.

Mariana Rodrigues Festucci Ferreira

Resumo


Este texto visa à construção da memória de Eunice Paiva dando-se ênfase a sua militância em favor da dignidade humana para além da lei. A ênfase da pesquisa é inspirada no mito de Antígona (Sófocles) onde a heroína é impedida de enterrar o irmão Polinices por determinação do rei Creonte. Eunice teve o marido extraído de seu convívio por agentes da ditadura civil militar no ano de 1971; tendo tido indicações de que ele havia sido assassinado, reivindicou o reconhecimento de sua morte e a revelação de onde o corpo estaria enterrado para que lhe pudesse prestar as honrarias fúnebres. Indo para além da dimensão pessoal da tragédia, Eunice passou a militar pelos direitos civis dos desaparecidos e familiares de todo o Brasil, e como advogada atuou contra a violência e expropriação indevidas de terras sofridas pela população indígena.

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2018 Psicanálise & Barroco em Revista