O REAL EM QUESTÃO: ENTRE A TEORIA DOS DISCURSOS E A HIPÓTESE COMUNISTA

Isaias Gonçalves Ferreira

Resumo


O presente artigo pretende articular uma relação entre a psicanálise lacaniana e o marxismo de Badiou. Por um lado, buscou-se retomar os desenvolvimentos de Lacan sobre a teoria dos discursos para pensar uma saída possível da lógica capitalista (curto-circuito da mercadoria). Por outro lado, procurou-se reconstruir os argumentos que deram origem ao programa estabelecido por Badiou, denominado de Hipótese Comunista, tendo em vista, uma distinção entre o Real da política enquanto o antagonismo social da luta de classes e uma Política do real que aspira a produção do Acontecimento-Verdade como um advento criativo do real. Nesta perspectiva, se desenhou uma relação entre psicanálise e marxismo como discursos críticos do capital-parlamentarismo em seu eixo neoliberal. Com efeito, podemos pensar um ato, ao mesmo tempo analítico e político que não seja reduzido a uma forma de vida gerenciada pelo neoliberalismo.
PALAVRAS-CHAVE: Psicanálise, hipótese comunista, teoria dos discursos, acontecimento, política do real.


Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2019 Psicanálise & Barroco em Revista