Políticas Editoriais

Foco e Escopo

Nos últimos anos, o incremento das investigações e reflexões acadêmicas sobre o tema da morte vem possibilitando a multiplicação das análises sobre as atitudes e concepções acerca da morte e do morrer nas diferentes áreas do conhecimento, em investigações levadas a cabo em universidades e centros de pesquisa de diversos países da Europa e das Américas. Exemplo disso são os vários eventos realizados com o foco específico sobre a temática, os quais vêm crescendo, inclusive, no Brasil, a exemplo dos encontros da Associação Brasileira de Estudos Cemiteriais (ABEC), desde 2004, e dos simpósios temáticos propostos pelo Grupo de Pesquisas Imagens da Morte, nos encontros regionais e nacionais da Associação Nacional de História (ANPUH), desde 2011. No âmbito ibero-americano, o já consolidado Congresso Latinoamericano de Ciências Sociais e Humanidades: Imagens da Morteque, desde 2014, passou a se chamar Congresso Internacional Imagens da Morte (CIM), representa, desde 2004, um fórum bianual de encontro de investigadores latino-americanos reunidos ininterruptamente para debater de forma interdisciplinar temáticas tanatológicas, possibilitando uma interlocução muito maior de pesquisadores.

Tais eventos têm sido mantidos pela ação dos grupos que estão por trás deles: a ABEC e o Imagens da Morte: a morte e o morrer no mundo Ibero-Americano. O primeiro, criado em 2004, como uma entidade sem fins lucrativos, com sede em Curitiba/PR, que congrega pesquisadores cuja temática de estudos envolve as mais diversas manifestações acerca da morte e do morrer no Brasil (http://estudoscemiteriais.com.br/index.php/a-abec/). O segundo, criado em 2011, como grupo de pesquisa do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), possui perspectiva acadêmica, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Reúne um grupo de pesquisadores e alunos que buscam analisar, discutir e intercambiar pontos de vista sobre a morte, o morrer e o além-túmulo no mundo Ibero-Americano, ao longo do tempo, na perspectiva interdisciplinar.

Efetivamente, os eventos organizados por tais grupos vêm conseguindo agregar estudiosos de diferentes cidades e países, constituindo-se em significativos espaços de interlocução e troca de experiências de investigadores dedicados ao tema da morte. Com o passar do tempo, tais discussões evidenciaram a necessidade de se criar um periódico temático que canalizasse a produção acadêmica sobre o tema que vem se multiplicando e acumulando nos últimos anos, mas que se encontra dispersa em revistas que nem sempre possuem escopo identificado com o campo de estudos tanatológicos.

Excluindo os artigos pontuais em revistas de diferentes naturezas do Brasil e do exterior, podemos afirmar que, comparativamente aos eventos, os periódicos acadêmicos disponibilizados nas Américas e na Europa, voltados para a temática da morte, existem em menor quantidade, a exemplo de Death Studies e OMEGA-Journal of Death and Dying, dos Estados Unidos; Vita Brevis, do México; Mortality e Bereavement Care, do Reino Unido; e as italianas Rivista Zeta-ricerche e documenti sulla morte sul morire e sul luttoThanatological Studies. Além de não serem muitas, estas revistas possuem majoritariamente o sistema de assinaturas pagas, cobrando igualmente pelo acesso a artigos individuais.

No Brasil, com exceção de algumas publicações da área médica, não temos conhecimento, até o momento, da existência de periódico acadêmico de caráter interdisciplinar voltado especificamente para divulgar estudos tanatológicos. É no sentido de preencher esta lacuna que a Revista M. Estudos sobre a Morte, os Mortos e o Morrerfoi idealizada, tendo como missão divulgar on-line e com amplo acesso a produção científica nacional e internacional sobre a temática da morte, tornando-se um periódico de referência para os interessados nas diferentes formas de conhecimento produzido sobre o assunto. Uma revista com enfoques e perspectivas os mais variados possíveis, abordando diferentes sujeitos em torno do morrer, assim como a diversidade das práticas e concepções ligadas à morte humana nas mais diferentes ambientações, culturas e épocas.

Após obter financiamento inicial da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) para viabilizar a hospedagem do site, criação da identidade visual e do seu projeto gráfico, a Revista M. tem sido produzida por pesquisadores vinculados a instituições de ensino e pesquisa do Brasil e da Argentina, a grupos de pesquisa e a uma associação civil, a saber: Programas de Pós-graduação em História da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (PPGH-UNIRIO) e da Universidade Federal de Uberlândia (PPGHIS-UFU); Instituto de Investigaciones en Ciencias Sociales y Humanidades, del Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas de Argentina y de la Universidad Nacional de Salta (ICSOH CONICET-UNSa)/Argentina e Instituto de Estudos em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IESC-UFRJ); Associação Brasileira de Estudos Cemiteriais (ABEC); e os Grupos de Pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Brasil (CNPq): Imagens da morte: a morte, os mortos e o morrer no mundo Ibero-americano (PPGH-UNIRIO), Lugares de memória e consciência (FAU-USP) e Centro de Estudos em Biodireito – CEBID (PUC-MG).

 

Políticas de Seção

Editorial

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Dossiê

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Artigo Livre

Política padrão de seção

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Em campo

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares

Resenha

Verificado Submissões abertas Verificado Indexado Verificado Avaliado pelos pares
 

Processo de Avaliação pelos Pares

Assim que é recebida uma submissão de Artigos, Em Campo ou Resenhas, o Conselho Editorial avaliará se o texto se enquadra na proposta temática da revista e se segue as Normas de Publicação. Caso não siga as regras, o mesmo será devolvido ao autor para que faça os ajustes necessários. As contribuições para as seções Em Campo Resenhas serão avaliadas no mérito pelos respectivos editores e pelo Editor-chefe, podendo ser aprovadas ou recusadas nesta instância.

No caso de Artigos, uma vez adequado às normas da Revista M., será retirada a identificação de sua autoria e o mesmo será encaminhado a dois pareceristas ad hoc (que sejam doutores e especialistas na temática abordada), indicados pelo Conselho Editorial, de modo a garantir o sistema de avaliação de “duplo cego” por pares. Na sua análise, os pareceristas serão guiados pelo Formulário de Avaliação disponibilizado pela Revista para que realizem o exame dos méritos do trabalho, levando em consideração a abordagem da temática, seu tratamento e a clareza da redação, podendo recomendar ou recusar a publicação. Caso um dos pareceristas recuse a proposta, um terceiro será designado.

recomendação poderá ocorrer sob duas formas:

  1. Com ou sem sugestões pontuais de alteração (às quais o autor poderá acatar ou não);
  2. Com sugestões de reformulação de parte do texto, que deverá ser reenviado ao(s) respectivo(s) parecerista(s), após a realização das alterações por parte do autor, para  acatamento da nova versão;

recusa ocorrerá:

  1. Caso os dois pareceristas rejeitem a proposta;
  2. No caso de um parecerista rejeitar e o outro aceitar com sugestões de reformulação do texto;
  3. No caso de os dois pareceristas sugerirem reformulação e a segunda versão do texto enviada pelo autor ser reprovada por um deles ou por ambos;
  4. No caso de o terceiro parecerista recusar o texto ou aceitá-lo mediante reformulações.

A aceitação final do trabalho submetido, portanto, dependerá da recomendação dos pareceristas, da efetivação das alterações necessárias pelo autor e da aprovação final pelo Conselho Editorial.

 

Periodicidade

Com periodicidade semestral (junho e dezembro).

 

Política de Acesso Livre

Revista M. é uma publicação eletrônica de acesso livre e gratuito que mantém todos os números publicados on-line. Oferecendo acesso imediato ao seu conteúdo, a Revista segue o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento.

Revista M. adota a licença do Creative Commons CC-BY, em consonância com as diretrizes políticas dos principais periódicos de acesso aberto. Esta licença permite que a reprodução dos textos seja feita de variadas formas, desde que se faça citação à autoria e à publicação original. Indicamos a página do Creative Commons: http://creativecommons.org/ para o caso de dúvidas.

 

Arquivamento

Revista M. é produzida por meio da plataforma Open Journal System (OJS), que é um software livre, desenvolvido pelo o Public Knowledge Project (PKP) da British Columbia University do Canadá, para produção e gestão de periódicos eletrônicos. Este sistema foi traduzido e customizado, no Brasil, pelo IBICT (Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia) e, desde 2003, promove o uso do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER) para a produção de revistas eletrônicas, a exemplo da Revista M..

O Open Journal Systems é compatível com o sistema LOCKSS (“Lots of Copies Keep Stuff Safe”; ou seja, “Muitas Cópias Mantém as Coisas Seguras”) para garantir a preservação segura e permanente de sua revista. LOCKSS é um software livre desenvolvido pela Biblioteca da Universidade de Stanford, que permite preservar revistas online escolhidas ao sondar as páginas das mesmas por conteúdo recém-publicado e arquivando-o. Cada arquivo é continuamente validado contra cópias de outras bibliotecas. Caso o conteúdo esteja corrompido ou perdido, as cópias são usadas para restauração.

 

Fontes de indexação

Revista M. se encontra indexada nas seguintes bases de dados de artigos científicos nacionais e internacionais:

 

 

Pareceristas Ad Hoc 2016 (Vol. 1, números 1 e 2)

Volume 1, 2016, números 1 e 2

Adalgisa Campos - Departamento de História e Programa de Pós-graduação em História. Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Belo Horizonte, Brasil

Adriane Piovezan - Curso de História. Faculdades Integradas Espírita (FIES). Curitiba, Paraná, Brasil

Agustina Rodriguez Romero - Investigadora Asistente del CONICET. Centro de Investigación sobre Arte, Materia y Cultura. UNIVERSIDAD NACIONAL TRES DE FEBRERO (UNTREF). Ciudad Autónoma de Buenos Aires, Argentina

Alejandro Herrera Villagra - Escuela Profesional de Antropología. Facultad de Derecho y Ciencias Sociales. Universidad Nacional de San Antonio Abad del Cuzco (UNSAAC). Cuzco, Perú

Ana Carolina Brochado Teixeira - Curso de Direito. Centro Universitário UNA. Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Ana Raquel Portugal - Departamento de História e Programa de Pós-graduação em História. Universidade Estadual Paulista - (UNESP/Franca). Franca, São Paulo, Brasil

Andrea Barbosa Marzano - Departamento de História e Programa de Pós-graduação em História. Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Carolina Junqueira Santos - Departamento de Antropologia. Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, São Paulo, Brasil

Diogo Luna Moureira - Curso de graduação em Direito da Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira (FUNCESI). Itabira, Minas Gerais, Brasil

Douglas Attila Marcelino - Departamento de História e Programa de Pós-graduação em História. Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Edlaine Campos Gomes - Programa de Pós-Graduação em Memória Social. Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Eliane Cristina Deckmann Fleck - Curso de Graduação em História e Programa de Pós-Graduação em História. Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS). São Leopoldo, Rio Grande do Sul, Brasil

Fabio Henrique Lopes - Instituto de Ciências Humanas e Sociais. Departamento de História e Programa de Pós-Graduação em História. Universidade Federal Rural do Estado do Rio de Janeiro (UFRRJ). Seropédica, Rio de Janeiro, Brasil

Francisco Hernandez Astete - Departamento Académico de Humanidades. Pontificia Universidad Católica del Perú. Lima, Perú

Gabriela Ramos - Faculty of History. University of Cambridge. Cambridge, United Kingdom

Iara Antunes de Souza - Departamento de Direito. Universidade Federal de Outro Preto (UFOP). Ouro Preto, Minas Gerais, Brasil

João Carlos Gama Martins Macedo - Escola Superior de Enfermagem da Universidade do Minho. Braga, Portugal

José Carlos Rodrigues - Programa de Pós-graduação em Comunicação social. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ). Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Katia Lerner - Programa de Pós-Graduação em Informação e Comunicação em Saúde. Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ) – Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Lourival Andrade Junior - Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Centro Regional de Ensino Superior do Seridó. Campus Caicó, Caicó, Rio Grande do Norte, Brasil

Luciana Pessanha Fagundes - Fundação Casa de Rui Barbosa (FCRB). Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Mara Genecy Nogueira - Departamento de História e do Mestrado em Estudos Literários. Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Porto Velho, Rondônia, Brasil

Marcelina das Graças Almeida - Cursos de graduação e Pós-graduação da Escola de Design. Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil

Marcelo Santos de Abreu - Departamento de História e Programa de Pós-Graduação em História. Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). Mariana, Minas Gerais, Brasil

Maria Alba Bovísio - Facultad de Filosofía y Letras. Universidad de Buenos Aires. Buenos Aires, Argentina

Maria Aparecida Barros Rocha - Curso de História. Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT). Cáceres, Mato Grosso, Brasil

Maria Elizia Borges - Programa de Pós-graduação de História. Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil

Maria Helena Pereira Franco - Faculdade de Ciências Humanas e da Saúde e Programa de Estudos Pós-Graduação em Psicologia Clínica. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). São Paulo, São Paulo, Brasil

Maria Júlia Kovacs - Instituto de Psicologia. Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, São Paulo, Brasil

Maria Luiza Heilborn - Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva do Instituto de Medicina Social. Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IMS/UERJ). Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Maristela Carneiro - Secretaria de Educação do Estado do Paraná (SEED/PR). Paraná, Brasil

Mauro Dillmann - Mestrado Profissional em História. Universidade Federal do Rio Grande (FURG). São Lourenço do Sul, Rio Grande do Sul, Brasil

Michelangelo Giampaoli - Dipartimento di Filosofia, Scienze Sociali, Umane e della Formazione. Universitá degli Studi di Perugia. Perugia, Itália

Montse Moncarte - Departamento de Diseño e Imagen de la Facultad de Bellas Artes. Universitat de Barcelona. Barcelona, España

Pedro Caldas - Departamento de História e Programa de Pós-graduação em História. Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

Renata de Rezende Ribeiro - Curso de Comunicação Social e Programa de Pós-Graduação em Mídia e Cotidiano. Universidade Federal Fluminense (UFF). Niterói, Rio de Janeiro, Brasil

Renato Franco - Departamento de História e Programa de Pós-graduação em História. Universidade Federal Fluminense (UFF). Niterói, Rio de Janeiro, Brasil

Roberto Guedes Ferreira - Instituto de Ciências Humanas e Sociais. Instituo Multidisciplinar de Nova Iguaçu. Universidade Federal Rural do Estado do Rio de Janeiro (UFRRJ). Nova Iguaçu, Rio de Janeiro, Brasil

Sandra Gayol - Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas (CONICET). Universidad Nacional de General Sarmiento (UNGS). Provincia de Buenos Aires, Argentina

Verónica Seldes - Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas (CONICET). Argentina

Vinícius Carvalho Pereira - Instituto de Linguagens. Pós-Graduação em Estudos da Linguagem. Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Cuiabá, Mato Grosso, Brasil

Waleska Aureliano - Departamento de Antropologia. Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil

 

Pareceristas Ad Hoc 2017 (Vol. 2, números 3 e 4)

Volume 2, 2017, Números 3 e 4

Airan dos Santos Borges – Centro Regional de Ensino Superior do Seridó. Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).  Campus Caicó. Caicó, Rio Grande do Norte, Brasil. 

Airton Brazil Pollini – Núcleo de Estudos Estratégicos (NEE). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).  Campinas, São Paulo, Brasil.

Alberto Gawryszewski – Centro de Letras e Ciências Humanas. Departamento de História. Universidade Estadual de Londrina (UEL). Londrina, Paraná, Brasil.

Alexandre Santos de Moraes - Centro de Estudos Gerais. Instituto de Ciências Humanas e Filosofia. Programa de Pós-graduação em História. Universidade Federal Fluminense (UFF). Niterói, Rio de Janeiro, Brasil.

Antônio Motta – Departamento de Antropologia e Museologia. Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Recife, Pernambuco, Brasil.

Carolina Junqueira Santos – Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas. Departamento de Antropologia. Universidade de São Paulo (FFLCH/USP). São Paulo, São Paulo, Brasil.

Célia Aparecida Borges - Instituto de Ciências Humanas. 
Departamento de História. Programa de Pós-Graduação em História. Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Juiz de Fora, Minas Gerais, Brasil. 

Cícero Joaquim dos Santos – Departamento de História. Mestrado Profissional em Ensino de História. Universidade Regional do Cariri (URCA). Crato, Ceará, Brasil.

Cintia Alfieri Gama Rolland –Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU). Campus Centro de Pós-Graduação. São Paulo, São Paulo, Brasil. Laboratório de Egiptologia do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (SESHAT/UFRJ). Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. 

Ciro Augusto Floriani – Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ). Instituto Oswaldo Cruz de Seguridade Social (FIOSAÚDE). Campus Manguinhos, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Claudia Beltrão da Rosa - Centro de Ciências Humanas. Departamento de História. Programa de Pós-graduação em História. Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Edlaine Campos Gomes - Programa de Pós-Graduação em Memória Social. Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Érica Cristhyane Morais da Silva – Centro de Ciências Humanas e Naturais. Laboratório de Estudos sobre o Império Romano (LEIR). Departamento de História. Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Campus Goiabeiras, Vitória, Espírito Santo, Brasil.

Fabio Henrique Lopes - Instituto de Ciências Humanas e Sociais. Departamento de História. Programa de Pós-Graduação em História. Universidade Federal Rural do Estado do Rio de Janeiro (UFRRJ). Seropédica, Rio de Janeiro, Brasil. 

Fátima Cristina Melo Geovanini –Curso de Medicina. Universidade Estácio de Sá (UNESA). Grupo de pesquisa Humanidades, Medicina e Arte da UNESA. Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Francirosy Campos Barbosa - Faculdade de Filosofia Ciências e Letras (FFCLRP). Departamento de Psicologia e Educação. Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, São Paulo, Brasil. 

Gabriela Caselatto Brown Ferreira Santos – 4 Estações Instituto de Psicologia. São Paulo, São Paulo, Brasil.

Gilvan Ventura da Silva - Centro de Ciências Humanas e Naturais. Laboratório de Estudos sobre o Império Romano (LEIR). Departamento de História.  Programa de Pós-Graduação em História. Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Campus Goiabeiras, Vitória, Espírito Santo, Brasil.

Gisele Fonseca Chagas – Centro de Estudos Gerais, Instituto de Ciências Humanas e Filosofia. Departamento de Antropologia. Programa de Pós-Graduação em Antropologia. Universidade Federal Fluminense (UFF). Niterói, Rio de Janeiro, Brasil. 

Guilherme Amaral Luz – Instituto de História. Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Uberlândia, Minas Gerais, Brasil. 

Helena Amália Papa - Departamento de História. Programa de Pós-graduação em História. Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES). Montes Claros, Minas Gerais, Brasil. 

Heloísa Gesteira – Museu de Astronomia e Ciências Afins (MAST). Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. Programa de Pós-graduação em História. Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Keidy Narelly Costa Matias - Centro de Ciências Humanas Letras e Artes. Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Natal, Rio Grande do Norte, Brasil.

Icleia Thiesen – Programa de Pós-Graduação em História. Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO).  Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Ivania Jann Luna – Departamento de Psicologia. Mestrado Profissional em Saúde Mental e Atenção Psicossocial. Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Janaína de Almeida Teles – Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Departamento de História. Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, São Paulo, Brasil. 

Joseli Maria Silva – Departamento de Geociências. Programa de Pós-graduação em Geografia. Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Ponta Grossa, Paraná, Brasil.

Leonildo Silveira Campos - Centro de Filosofia, Educação e Teologia (CEFT).  Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião. Universidade Presbiteriana Mackenzie. São Paulo, São Paulo, Brasil.

Ligia Auxiliadora de Oliveira Py – Instituto de Psicologia. Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

Lourival Andrade Junior - Centro Regional de Ensino Superior do Seridó. Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).  Caicó, Rio Grande do Norte, Brasil.

Luciane Munhoz de Omena - Faculdade de História. Programa de Pós-Graduação em História. Universidade Federal de Goiás (UFG). Goiânia, Goiás, Brasil.

Ludmila Gilda Verónica da Silva Catela – Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas (CONICET). Museo de Antropología. Universidad Nacional de Córdoba. Córdoba, Argentina. 

Mara Genecy Nogueira - Departamento de História. Programa de Pós-graduação em Estudos Literários. Universidade Federal de Rondônia (UNIR). Porto Velho, Rondônia, Brasil. 

Marcelina das Graças Almeida - Cursos de graduação e pós-graduação da Escola de Design. Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG). Centro Universitário Estácio de Belo Horizonte. Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. 

Margarida Maria de Carvalho – Faculdade de Ciências Humanas e Sociais. Departamento de História. Programa de Pós-graduação em História.  Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Franca, São Paulo, Brasil. 

Mauro Guilherme Pinheiro Koury – Centro de Ciências Humanas Letras e Artes. Departamento de Ciências Sociais. Programa de Pós-Graduação em Antropologia. Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Joao Pessoa, Paraíba, Brasil. 

Mauro Dillmann Tavares - Departamento de História.  Instituto de Ciências Humanas (ICH).  Universidade Federal de Pelotas (UFPEL). Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil. Programa de Pós-Graduação em História (Mestrado Profissional). Universidade Federal do Rio Grande (FURG). Rio Grande, Rio Grande do Sul, Brasil. 

Milena Carvalho Bezerra Freire de Oliveira-Cruz – Faculdade de Comunicação Social (FACOS). Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil.

Natália Luxardo – Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas (CONICET). Universidad de Buenos Aires (UBA). Buenos Aires, Argentina.

Rachel Aisengart Menezes – Instituto de Estudos em Saúde Coletiva (IESC). Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva. Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. 

Ramiro Tau – Facultad de Psicología. Universidad Nacional de La Plata. Buenos Aires, Argentina. 

Renan Frighetto – Setor de Ciências Humanas Letras e Artes (SCH). Departamento de História. Programa de Pós-Graduação em História. Universidade Federal do Paraná (UFPR). Curitiba, Paraná, Brasil e Programa de Pós-Graduação em História. Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. 

Renata Senna Garraffoni – Departamento de História.  Programa de Pós-graduação em História. Universidade Federal do Paraná (UFPR). Curitiba, Paraná, Brasil. 

Renato Pinto – Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Departamento de História. Programa de Pós-graduação em História. Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Recife, Pernambuco, Brasil. 

Sandra Rodrigues de Oliveira – Instituto Priorit. Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil e Curso de Psicologia. Educação Continuada, Cursos de Especialização e Extensão, Palestras e Eventos (CCE). Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. 

Semíramis Corsi Silva – Departamento de História. Programa de Pós-graduação em História. Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Santa Maria, Rio Grande do Sul, Brasil. 

Sílvia Maria Brügger – Departamento de Ciências Sociais (DECIS). Programa de Pós-Graduação em História (PPGHIS).  Universidade Federal de São João Del-Rei (UFSJ). São João Del Rei, Minas Gerais, Brasil.

Sílvia Márcia Alves Siqueira – Centro de Humanidades. Curso de História. Mestrado Acadêmico em História (MAHIS). Universidade Estadual do Ceará (UECE). Fortaleza, Ceará, Brasil. 

Titus Benedikt Riedl – Departamento de História. Centro de Humanidades (CH). Programa de Mestrado profissional em PROFHistória. Universidade Regional do Cariri (URCA). Crato, Ceará, Brasil. 

Willian de Souza Martins – Instituto de História (IH). Programa de Pós-graduação em História (PPGHIS). Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil.

 

Pareceristas Ad Hoc 2018 (Vol. 3, números 5 e 6)

Pareceristas “Ad Hoc”: Volume 3, 2018, Números 5 e 6

 

Adriene Baron Tacla - Programa de Pós-Graduação em História. Universidade Federal Fluminense. Campus do Gragoatá. Niterói, Rio de Janeiro, Brasil. adrienebt@yahoo.com.br

Álvaro Allegrette -. Faculdade de Ciências Sociais da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC-SP. São Paulo, Brasil - allegrette@yahoo.com

Andersen Liryo da Silva - Departamento de Antropologia do Museu Nacional/Universidade Federal do Rio de Janeiro/ UFRJ. Rio de Janeiro, Brasil. liryo@hotmail.com

Anne Rapp Py-Daniel -  Instituto de Ciências da Sociedade. Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA). Pará, Brasil - annerpd@gmail.com

Cairo Mohamad Ibrahim Katrib - Instituto de História. Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Uberlândia, Minas Gerais, Brasil - cairomohamad@gmail.com

Camila Diogo de Souza. Centro de Antropologia e Arqueologia Forense (CAAF) - Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). São Paulo, Brasil -  caumilasouza@yahoo.com

Carolina Kesser Barcellos Dias - Programa de Pós-Graduação em História, da Universidade Federal de Pelotas (PPGH-UFPel). Rio Grande do Sul, Brasil - carol.kesser@gmail.com

Cássio de Araújo Duarte - Museu de Arqueologia e Etnologia (MAE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, Brasil - menkassio1@hotmail.com

Cícero Joaquim dos Santos – Departamento de História. Mestrado Profissional em Ensino de História. Universidade Regional do Cariri (URCA). Ceará, Brasil -  cjoaquims@yahoo.com.br

Cintia Alfieri Gama Rolland –Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU). Campus Centro de Pós-Graduação. São Paulo, São Paulo, Brasil. Laboratório de Egiptologia do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (SESHAT/UFRJ). Rio de Janeiro, Brasil - gamacintia@uol.com.br

Fábio Vergara Cerqueira - Programa de Pós-graduação em História. Universidade Federal de Pelotas (UFPel). Pelotas, Rio Grande do Sul, Brasil - fabiovergara@uol.com.br

Flávia Medeiros Santos - Departamento de Segurança Pública. Universidade Federal Fluminense. Rio de Janeiro, Brasil - flaviamedeirosss@gmail.com

Gabriel Kessler - Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas (CONICET). Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación. Universidad Nacional de La Plata. Buenos Aires, Argentina - gabokessler@gmail.com

Gabriela Ortiz - Facultad de Humanidades y Ciencias Sociales. Universidad Nacional de Jujuy (UNJu). Jujuy, Argentina - yolatordo@hotmail.com

Glaydson José da Silva - Departamento de História. Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Guarulhos, São Paulo, Brasil - sglaydson@hotmail.com

Hugo César Moreno Hernández - Instituto de Ciencias Sociales y Humanidades. Benemérita Universidad Autónoma de Puebla México. Puebla, México - hcmor@hotmail.com

Icleia Thiesen – Programa de Pós-Graduação em História. Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). Rio de Janeiro, Brasil - icleiathiesen@gmail.com

Keidy Narelly Costa Matias – Cátedra UNESCO-Archai, da Universidade de Brasília (Distrito Federal, Brasil) e MAAT – Núcleo de Estudo de História Antiga da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Natal, Rio Grande do Norte, Brasil -  keidymatias@ufrn.edu.br

Liliana M. Brezzo - Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas de la República Argentina (CONICET). Argentina - lilianabrezzo@arnet.com.ar

Lorena Soler - Consejo Nacional de Ciencia y Técnica (CONICET). Facultad de Ciencias Sociales. Universidad de Buenos Aires (UBA). Buenos Aires, Argentina -  lorenamarinasoler@gmail.com

Luciane Munhoz de Omena - Faculdade de História. Programa de Pós-Graduação em História. Universidade Federal de Goiás (UFG). Goiânia, Goiás, Brasil. lucianemunhoz34@gmail.com

Marcelina das Graças Almeida - Cursos de graduação e pós-graduação da Escola de Design. Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG). Centro Universitário Estácio de Belo Horizonte. Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. marcelinaalmeida@yahoo.com.br

María Asunción Bordach de Mendonca - Departamento de Ciencias Naturales. Universidad Nacional de Río Cuarto. Córdoba, Argentina - mbordach@exa.unrc.edu.ar

Maria Elizia Borges - Programa de Pós-graduação de História. Universidade Federal de Goiás (UFG). Goiânia, Goiás, Brasil - maelizia@terra.com.br

María José Sarrabayrouse Oliveira -  Antropología Política y Jurídica. Facultad de Filosofía y Letras. Universidad de Buenos Aires (UBA). Buenos Aires, Argentina - mariajose_sarra@yahoo.com.ar

Maria Luiza Heilborn - Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva do Instituto de Medicina Social. Universidade do Estado do Rio de Janeiro (IMS/UERJ). Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil - marialuiza.heilborn@gmail.com

Maristela Carneiro - Secretaria de Educação do Estado do Paraná (SEED/PR). Paraná, Brasil - maristelacarneiro86@gmail.com

Maria Regina Candido - Pós-Graduação da História. Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Rio de Janeiro, Brasil - medeiacandido@gmail.com

Mariela Rubinzal - Facultad de Ciencias Jurídicas y Sociales. Universidad Nacional del Litoral. Santa Fe, Argentina -  mariela.rubinzal@gmail.com

Mercedes Calzado – Facultad de Ciencias Sociales. Instituto de Investigaciones Gino Germani. Universidad de Buenos Aires. Buenos Aires, Argentina - calzadom@gmail.com 

Naara Luna – Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, Brasil - naaraluna2015@gmail.com

Paulo Antonio Dantas de Blasis – Museu de Arqueologia e Etnologia. Universidade de São Paulo (MAE-USP) - deblasis@usp.br

Pieter Dennis Van Dalen Luna – Departamento Académico de Arqueología. Universidad Nacional Mayor de San Marcos. Lima, Perú. pvandalen2@hotmail.com

Sabrina Calandron – Departamento de Sociología en la cátedra Teoría Política. Universidad Nacional de La Plata. Buenos Aires, Argentina -  sabrinacalandron@gmail.com

Sandra Gayol - Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas (CONICET). Universidad Nacional de General Sarmiento (UNGS). Provincia de Buenos Aires, Argentina. sandra.gayol@gmail.com

Santiago Galar - Consejo Nacional de Investigaciones Científicas y Técnicas (CONICET). Instituto de Investigaciones en Humanidades y Ciencias Sociales. Universidad Nacional de La Plata (IdIHCS UNLP). Buenos Aires, Argentina - santiago_galar@hotmail.com 

Sergio Francisco S. Monteiro da Silva – Departamento de Arqueologia do Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Universidade Federal de Pernambuco. Recife, Pernambuco, Brasil - sergiomonteiroarq@yahoo.com.br

Syntia Pereira Alves – Núcleo de Estudos em Arte, Mídia e Política. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (NEAMP-PUC-SP) e IPLURES - Grupo de Pesquisa em Identidades Plurais e Representações Simbólicas da Universidade Federal do ABC (UFABC) - syntia.alves@gmail.com