Call for Papers: REVISTA M.: Dossiê 3 – vol. 2, nº 3, jan.-jun., 2017

RESUMO:

Neste Dossiê, buscamos dar voz a diversidade de enfoques teóricos e metodológicos encontrados sobre luto em seu processo, com abertura para práticas culturais, expressões artísticas, pesquisas históricas, visões com abrangência espiritual ou religiosa, Direito e Bioética, considerando suas raízes e frutos, temáticas já abordadas por autores contemporâneos (Morgan & Laungani, 2002; Parkes, 2009; Erdman & Kok-Mun, 2010; Barthes, 2011; Cacciatore & DeFrain, 2015, entre outros),  ressaltando o crescente interesse investigativo no presente. O dossiê abordará este tema presente no imaginário social e na experiencia das pessoas em sua vida de relação, seja na família, na comunidade próxima e comunidade estendida, com limites globais. Será ressaltado tanto o significado histórico e cultural do luto, como as formas mais recentes de manejo e condução do processo de rompimento de vínculos por ocasião da morte subjacente à experiência do luto e suas implicações. Como parte das práticas mais recentes, nos referimos aqui às novas e criativas formas de vivência do sentimento de perda por meio das redes sociais. Se consideramos inerente ao ser humano a necessidade de se vincular para garantir sua sobrevivência e da espécie e entende-se que a função da família abrange a sobrevivência da espécie e a transmissão dos valores da cultura, referências culturais e construções psíquicas estão presentes nos estudos sobre o luto. Assim, buscaremos reunir textos que sejam análises sobre significados ou visões acerca do processo de rompimento de vínculos, mais estreitamente ligados ao luto, em diferentes tipos de sociedade e cultura. Proporcionaremos um diálogo entre as diferentes disciplinas do conhecimento que abordem o tema a partir do seu olhar específico e possam nos oferecer apoio epistemológico importante para entendimento e análise do tema do luto, com o objetivo de compreender seus significados, quer sejam construídos ou atribuídos, reconhecidos ou não reconhecidos, bem como as possibilidades de vivencia-lo por meio da abertura proporcionada pelas relações espirituais e simbólicas entre os vivos e os mortos. Abordaremos temas como: a identidade familiar ou comunitária na vivencia do luto; o papel dos que assistem os enlutados; as diferentes expressões do luto político; o papel da memória histórica na construção do significado sobre o luto; as transformações socioculturais da família e seu impacto no rompimento dos vínculos; morte e luto no século XXI, em face de processos migratórios, mortes em massa, mortes violentas; luto em suas especificidades diante da morte natural e da morte derivada de conflitos ou crises. Deste modo, convidamos os colegas a nos enviar seus estudos para fazer parte deste fórum de intercâmbios científicos que nos permitem aportar reflexões e visões para nossas sociedades.

REFERENCIAS

BARTHES, R. Diário de Luto. São Paulo: Martins Fontes, 2011.

CACCIATORE, J. & Defrain, J. (orgs.). The World of Bereavement; cultural perspectives of death in the families. Londres: Springer, 2015.

ERDMAN, Ph.; MUN KOK, N., (orgs.) Attachment; Expanding the cultural connections. Nova York: Routledge, 2010

MORGAN, J.D.; LAUNGANI, P. (orgs.). Death and Bereavement around the world. Nova York: Baywood, 2002.

PARKES, C. M. Amor e Perda: as raízes do luto e suas complicações. São Paulo: Summus, 2009.