Call for Papers: REVISTA M. – Dossiê 16: v. 8, n. 16, jul./dez. 2023

TEMA: PATRIMÔNIO E MORTE

PRAZO PARA SUBMISSÃO DE ARTIGOS: 30 de junho de 2022 

DIRETRIZES PARA AUTORES EM: http://seer.unirio.br/index.php/revistam/about/submissions#authorGuidelines 

ORGANIZAÇÃO:

Fabiana Comerlato – Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (BA)

Fernanda Kieling Pedrazzi – Universidade Federal de Santa Maria (RS)

CHAMADA:

Nas sociedades ocidentais, o patrimônio e a morte estão relacionados, principalmente, por meio da cultura material e da noção de monumento. A vivência humana no espaço físico em cada tempo produz registros e vestígios caracterizados por uma série de elementos: a escrita, a arte, as edificações, a fotografia, a paisagem entre outros. Os cemitérios, locais de sepulturas e memória dos mortos podem ser analisados pela perspectiva patrimonial, como herança individual e coletiva das sociedades. A Arqueologia e a Arquivologia, por exemplo, trazem uma importante contribuição às questões voltadas ao patrimônio cemiterial e funerário quando, ao estudar os arquivos do solo e as fontes arquivísticas, registram informações intrínsecas e extrínsecas dos bens culturais voltados à morte e ao morrer. 

Esta edição da “Revista M” busca motivar autores das diversas áreas de conhecimento que tenham interesses convergentes para as questões de patrimônio articuladas com a temática da morte, considerando teoria e prática nas Ciências Humanas e Sociais, conectando questões de memória, identidade e cultura. No campo do patrimônio cemiterial, serão bem-vindas contribuições que versem sobre a documentação, gestão e preservação desses espaços, além das questões acerca da tutela dos órgãos patrimoniais e das apropriações culturais por parte das comunidades.

 

Referências Bibliográficas

 

CASTRO, Elisiana Trilha. O patrimônio cultural funerário catarinense. Florianópolis: FCC, 2017.

CATROGA, Fernando. O céu da memória: cemitério romântico e culto cívico dos mortos em Portugal (1756-1911). Coimbra, Portugal: Livraria Minerva, 1999. 

COMUNALE, Viviane. Patrimônio funerário: os cemitérios históricos do Vale do Paraíba (1820-1890). Tese (doutorado) - Instituto de Artes, Universidade Estadual Paulista, São Paulo, 2020.

GODELIER, Maurice (org). Sobre morte: inventariantes culturais e práticas sociais. São Paulo: Edições SESC São Paulo, 2017.

GUTIÉRREZ VIÑUALES, Rodrigo. El patrimonio funerario en Latinoamérica. Una valoración desde la historia del arte contemporáneo. Apuntes, vol. 18, núms. 1-2: 70-89, 2006.

MIRANDA, Fernando; ZANOTTO, Gizele. A morte não é o fim: culturas e identidades no cemitério Vera Cruz. Passo Fundo, RS: Projeto Passo Fundo, 2018.

NOGUEIRA, Renata. Quando um cemitério é patrimônio cultural. 2013, 128 f. Rio de Janeiro: Dissertação (Mestrado em Memória Social), Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, 2013.

PEDRAZZI, Fernanda Kieling. O discurso sobre a morte em arquivos institucionais do final do século XIX. 2015, 420 f; Santa Maria, RS: Tese (Doutorado em Letras), Universidade Federal de Santa Maria, 2015.

RIBEIRO, Marily Simões. Arqueologia das práticas mortuárias: uma abordagem historiográfica. São Paulo: Alameda, 2007.

RODRIGUES, Claudia. Nas fronteiras do além: a secularização da morte no Rio de Janeiro (séculos XVIII e XIX). Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005.