A morte da criança hospitalizada: estratégias defensivas e de enfrentamento da equipe de enfermagem

Silviamar Camponogara, Jeanini Dalcol Miorin, Gisele Loise Dias, Isis de Lima Rodrigues, Luísa Schirmann Vasconcelos, Ana Lúcia Uberti Pinheiro

Resumo


Este artigo busca identificar estratégias defensivas e de enfrentamento utilizadas pela equipe de enfermagem frente ao processo de morte da criança hospitalizada. É um estudo descritivo-exploratório de abordagem qualitativa. A coleta de dados deu-se através de entrevista semiestruturada com profissionais da equipe de enfermagem de unidade de Internação Pediátrica de hospital universitário no Sul do Brasil. As estratégias defensivas utilizadas para reduzir o sofrimento foram: não se envolver, mudança de foco, tentativa de separação do trabalho de atividades pessoais e diálogo da equipe. A estratégia de enfrentamento foi o apoio espiritual. Conclui-se que os trabalhadores necessitam de apoio psicológico para enfrentarem situações adversas presentes no trabalho. Com isso, ocorre o enfrentamento de situações de sofrimento e redução de efeitos desestabilizadoras no ambiente de trabalho.


Palavras-chave


Adaptação psicológica – Criança Hospitalizada - Enfermagem pediátrica - Saúde do Trabalhador - Condições de trabalho.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Diário Oficial da União. Brasília, nº 12, 13 jun. 2013. Seção 1, p. 59.

DAL PAI, Daiane; LAUTERT, Liana. Estratégias de enfrentamento do adoecimento: um estudo sobre o trabalho da enfermagem. Acta Paulista de Enfermagem. São Paulo, v. 22, n. 1, p. 60-65, fev. 2009. Disponível em: . Acesso em: 25 maio 2019

DEJOURS, Christophe. A banalização da injustiça social. Rio de Janeiro, RJ: Fundação Getúlio Vargas, 2006. 160 p.

DEJOURS, Christophe; ABDOUCHELI, Elisabeth; JAYET, Christian. Psicodinâmica do trabalho: contribuições da escola dejouriana à análise da relação prazer, sofrimento e trabalho. São Paulo: Atlas, 1994. 145 p.

LAMB, Fabricio Alberto et al. Estratégias defensivas de trabalhadoras de enfermagem em pronto-socorro pediátrico. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste. Fortaleza, v. 18, n. 4, p. 453-460, jul./ago. 2017. Disponível em: . Acesso em 21 jul. 2019

LANCMAN, Selma; SZNELWAR, Laerte Idal (orgs.). Christophe Dejours: da psicopatologia à psicodinâmica do trabalho. 3º ed. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2011. 345 p.

MARTINS, Marize; LIMA, Patricia Valle de Albuquerque. Contribuições da Gestalt-terapia no enfrentamento das perdas e da morte. IGT rede. Rio de Janeiro, v. 11, n. 20, p. 01-39, 2014. Disponível em:

sci_arttext&pid=S1807-25262014000100002&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 16 jun. 2020.

MARQUES, Camilla Dellavalentina Cavalini et al. Significados atribuídos pela equipe de enfermagem em unidade de terapia intensiva pediátrica ao processo de morte e morrer. REME: Revista Mineira de Enfermagem. Belo Horizonte, v. 17, n. 4, p. 823-830, 2013. Disponível em: . Acesso em: 05 jul. 2019.

MENIN, Gisele Elise; PETTENON, Marianez Koller. Terminalidade da vida infantil: percepções e sentimentos de enfermeiros. Revista Bioética. Brasília, v. 23, n. 3, p. 608-614, set./dez. 2015. Disponível em: . Acesso em: 18 jul. 2019

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Amostragem e saturação em pesquisa qualitativa: consensos e controvérsias. Revista Pesquisa Qualitativa. São Paulo, v. 5, n.7, p. 1-12, abr. 2017. Disponível em: . Acesso em: 13 jun. 2020.

MIORIN, Jeanini Dalcol et al. Estratégias de defesa utilizadas por trabalhadores de enfermagem atuantes em pronto-socorro. Enfermagem em foco. On-line, v. 7, n. 2, p. 57-61, 2016. Disponível em: . Acesso em: 16 jul. 2019.

MONTEIRO, Janine Kieling et al. Adoecimento psíquico de trabalhadores de unidades de terapia intensiva/Enfermamiento psíquico de trabajadores de unidades de terapia intensiva. Psicologia: Ciência e Profissão. On-line, v. 33, n. 2, p. 366-379, 2013. Disponível em: . Acesso em: 27 jul. 2019

MOTA, Marina Soares et al. Reações e sentimentos de profissionais da enfermagem frente à morte dos pacientes sob seus cuidados. Revista Gaúcha de Enfermagem. Porto Alegre, v. 32, n. 1, p. 129-135, 2011. Disponível em: . Acesso em: 20 set. 2019

MUTTI, Cintia Flores; PADOIN, Stela Maris de Mello; PAULA, Cristiane Cardoso de. Espacialidade do ser-profissional-de- enfermagem no mundo do cuidado à criança que tem câncer. Escola Anna Nery. Rio de Janeiro, v. 16, n. 3, p. 493-499, set. 2012. Disponível em: . Acesso em: 10 jun. 2019.

PRAXEDES, Antônia Marília; ARAÚJO, Janieiry Lima de; NASCIMENTO, Ellany Gurgel Cosme do. A morte e o morrer no processo de formação do enfermeiro. Psicologia, Saúde & Doenças. Lisboa, v. 19, n. 2, p. 369-376, 2018. Disponível em: . Acesso em: 19 jul. 2019

SILVA, Adão Ademir et al. O Cuidado de si entre Profissionais de Enfermagem: Revisão das Dissertações e Teses Brasileiras. Revista Brasileira de Ciências da Saúde. João Pessoa, v. 18, n. 4, p. 345-352, 2014. Disponível em: . Acesso em: 27 jul. 2019

SILVA, Adriana Ferreira da et al. Cuidados paliativos em oncologia pediátrica: percepções, saberes e práticas na perspectiva da equipe multiprofissional. Revista Gaúcha de Enfermagem. Porto Alegre, v. 36, n. 2, p. 56-62, abr./jun. 2015. Disponível em: . Acesso em: 30 jun. 2019

COELHO, Alexa Pupiara Flores et al. Risco de adoecimento relacionado ao trabalho e estratégias defensivas de mulheres catadoras de materiais recicláveis. Escola Anna Nery. Rio de Janeiro, v. 20, n. 3, e20160075, 2016. Disponível em: . Acesso em: 17 jul. 2019.

SILVA, Jorge Luiz Lima da; DIAS, André Campos; TEIXEIRA, Liliane Reis. Discussão sobre as causas da Síndrome de Burnout e suas implicações à saúde do profissional de enfermagem. Aquichán. Bogotá, v. 12, n. 2, p. 144-159, 2012. Disponível em: . Acesso em: 26 jul. 2019

SOUSA, Caissa Veloso e; COSTA, Patrícia Bruna. Prazer e sofrimento no trabalho: Um estudo de caso com profissionais da enfermagem de um hospital privado de Belo Horizonte. Revista de Administração do Unifatea. Lorena, v. 14, n. 14, p. 52-76, jan./jun. 2017. Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2019

VASCONCELOS, Luisa Schirmann et al. Prazer e sofrimento no trabalho de Enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica. REME: Revista Mineira de Enfermagem. Belo Horizonte, v. 23, e-1165, 2019. Disponível em: . Acesso em: 26 ago. 2019

VERAS, Lana; SOARES, Jorge Coelho. Aqui se jaz, aqui se paga: a mercantilização da morte. Psicologia & Sociedade. Belo Horizonte, v. 28, n. 2, p. 226-236, 2016. Disponível em: . Acesso em: 24 jul. 2019




DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2525-3050.2020.v5i9.161-172

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Creative Commons License Todo o conteúdo do periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons