“Lições sobre a Morte”: o discurso médico na obra de Pedro Nava

Maria Alice Ribeiro Gabriel

Resumo


O propósito deste artigo é examinar os tópicos da morte e da doença na obra do memorialista brasileiro Pedro da Silva Nava (1903-1984), sob perspectiva interdisciplinar. O objetivo é discutir essas temáticas, conforme mencionadas em entrevistas e excertos das Memórias, inclusive escritos históricos e biográficos do autor, por meio da análise dos possíveis discursos que estruturam suas concepções de morte e doença. O argumento central do estudo é que Pedro Nava se refere à morte e à doença no âmbito dos temas prioritários, segundo um modelo médico humanista. O arcabouço teórico deste estudo se baseia em obras que versam sobre os principais discursos contemporâneos relativos à doença e à morte. A análise sugere que Pedro Nava explorou as noções de morte e doença com enfoque humanista e sócio-histórico, utilizando seu conhecimento médico como modelo referencial para criar relatos vívidos e retratos biográficos.


Palavras-chave


História da Medicina – Discurso Médico – Doença como metáfora – Memórias de Pedro Nava – Narrativas sobre doença e morte

Texto completo:

PDF

Referências


ALLIEVI, Stefano. L’uomo e la morte in Occidente: verso um nuovo paradigma interpretativo. In: VIAFORA, Corrado; MARIN, Francesca (orgs.). Morire altrove: La buona morte in um contexto interculturale. Milano: Franco Angeli, 2014. p. 49-71.

ARIÈS, Phillippe. História da Morte no Ocidente: Da Idade Média aos nossos dias. Tradução Priscila Viana de Siqueira. Rio de Janeiro: Ediouro: 2003. 312 p.

BALINT, Michael. O médico, seu paciente e a doença. São Paulo: Livraria Atheneu, 1988. 331 p.

BODEI, Remo. L’epoca dell’antidestino. In: BODEI, Remo; MONTI, Daniela (eds.). Che cosa vuol dire morire: sei grandi filosofi di fronte all’ultima domanda. Torino: Einaudi, 2010. p. 53-78.

BYRNE, Joseph Patrick. Societal Factors in Health and Medicine. In: ENGS, Ruth Clifford (ed.). Health and Medicine through History: From Ancient Practices to 21st-Century Innovations. Santa Barbara: Greenwood, 2019. p. 199-204.

CAMINHA, Edmílson. Palavra de Escritor. Brasília: Thesaurus Editora, 1995. 238 p.

CANDIDO, Antonio. Poesia e ficção na autobiografia. In: CANDIDO, Antonio. A educação pela noite & outros ensaios. São Paulo: Editora Ática, 1989. p. 51-69.

CARRARA, Sérgio. A difícil medicalização do mal: castigos, doenças e troféus. In: CARRARA, Sérgio. Tributo à Vênus: a luta contra a sífilis no Brasil, da passagem do século aos anos 40. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 1996. p. 133-164.

DOLLIMORE, Jonathan. Death, Desire and Lost in Western Culture. Londres: Routledge, 1998. 284 p.

ELDER, Andrew. Moments of Change. In: SPILLIUS, Elizabet Bott. Michael Balint: Object Relations Pure and Applied. Londres: Routledge, 1996. p. 111-129.

EM TEMPO de Pedro Nava. Direção: Fernando Sabino e David Neves. Rio de Janeiro: Bem-te-vi Filmes, 1974. Curta-metragem, cor, 16 e 35 mm (10 min.). Disponível em: . Acesso: 26 dez. 2019.

GAMA, Geraldo Nogueira da. Pedro Nava, o Médico. In: NAVA, Pedro. Território de Epidauro: Crônicas e Histórias da História da Medicina. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2003. p. 17-45.

GARCIA, Celina Fontenele. A escrita Frankenstein de Pedro Nava. Fortaleza: UFC Edições, 1997, 222 p.

GUIMARÃES, Raquel Beatriz Junqueira. Pedro Nava, leitor de Drummond: a memória, os retratos, a leitura. Em Tese. Belo Horizonte, v. 4, p. 29-37, dez. 2000. Disponível em . Acesso: 26 dez. 2019.

HAYASIDA, Nazaré Maria de Albuquerque; ASSAYAG, Raquel Helena; FIGUEIRA, Isa; MATOS, Margarida Gaspar. Morte e luto: competência dos profissionais. Revista Brasileira de Terapias Cognitivas. Rio de Janeiro, v. 10, n. 2, p. 112-121, dez. 2014. Disponível em: . Acesso em: 26 dez. 2019.

LAFONTAINE, Céline. La société postmortelle: la mort, l’individu et le lien social à l’ére des technosciences. Paris: Seuil, 2008. 125 p.

LAFONTAINE, Céline. The Postmortal Condition: From the Biomedical Deconstruction of Death to the Extension of Longevity. Science as Culture. Londres, v. 18, n. 3, p. 297-312, nov. 2009. Disponível em: . Acesso em: 26 dez. 2019.

LIMA, Nísia Trindade. Petrópolis como ponto de encontro e inspiração. Anais da ANM. Rio de Janeiro, v. 190, n. 2, 2019. Disponível em: . Acesso: 26 dez. 2019.

NAVA, Pedro. Baú de Ossos. 3ª ed. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1974. 392 p.

NAVA, Pedro. Chão de Ferro. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1976. 408 p.

NAVA, Pedro. Beira-Mar. 2ª ed. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1979. 408 p.

NAVA, Pedro. “Quando vamos pescar uma coisa nesse oceano sem fundo que é a memória, o anzol já vai molhado do presente”. [Entrevista cedida a] Lourenço Dantas Motta. O Estado de São Paulo. São Paulo, ano 1, n. 36, 15 fev. 1981. Caderno Cultura, p. 9.

NAVA, Pedro. O Círio Perfeito. 5ª ed. São Paulo: Ateliê Editorial, 1983. 576 p.

NAVA, Pedro. Revivescências. In: NAVA, Pedro. Território de Epidauro: Crônicas e Histórias da História da Medicina. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2003. p. 47-54.

NAVA, Pedro. A Medicina de Os Lusíadas e outros textos. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2004. 101 p.

NEUBARTH, Fernando. Importa a Memória. In: NAVA, Pedro. Território de Epidauro: Crônicas e Histórias da História da Medicina. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2003. p. 11-13.

PANICHI, Edina Regina P. A morte como protagonista. Soletras. Rio de Janeiro, ano 7, n. 14, p. 46-54, jul./dez. 2007. Disponível em: . Acesso: 26 dez. 2019.

PANICHI, Edina. Cem anos cravados na memória? Folha de Londrina. 04 de junho de 2003. Disponível em: https://www.folhadelondrina.com.br/folha-2/cem-anos-cravados-na-memoria-449186.html. Acesso em: 23 mai. 2020.

PANICHI, Edina; CONTANI, Miguel L. Pedro Nava e a construção do texto. Londrina: Eduel, 2003. 166 p.

PENIDO, Paulo (org.). O Bicho Urucutum. São Paulo: Ateliê Editorial, 1998. 240 p.

PENIDO, Paulo. Apresentação. In: NAVA, Pedro. A Medicina de Os Lusíadas e outros textos. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2004. p. 9-11.

PENIDO, Paulo. Os cadernos de meu tio. In: NAVA, Pedro. Viagem ao Egito, Jordânia e Israel. 2ª ed. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2004, 72 p, p. 7-11.

POE, Edgar Allan. A filosofia da composição. In: POE, Edgar Allan. Allan Poe: Poesia e Prosa. Tradução de Oscar Mendes e Milton Amado. São Paulo: Ediouro, 2000. p. 407-414.

SCLIAR, Moacyr. Do Mágico ao Social: Trajetória da Saúde Pública. São Paulo: Editora Senac, 2002. 160 p.

SEALE, Clive. Heroic Death. Sociology. Londres, v. 29, n. 4, p. 597-613, nov. 1995. Disponível em: . Acesso em: 26 dez. 2019.

SONTAG, Susan. Doença como Metáfora/ Aids e suas Metáforas. São Paulo: Companhia de Bolso, 2007. 168 p.

SOUZA, Eneida Maria. Pedro Nava se desenha. In: SOUZA, Eneida Maria; MIRANDA, Wander Mello (Orgs.). Arquivos Literários. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003.

VALE, Vanda Arantes. A obra de Pedro Nava como contribuição ao estudo da história da medicina brasileira (1890-1940). In: ENCONTRO REGIONAL DE HISTÓRIA, 13. 2002, Belo Horizonte. Anais [...]. Juiz de Fora: Clio Edições Eletrônicas, 2002a. p. 103-121. Disponível em: . Acesso: 26 dez. 2019.

VALE, Vanda Arantes. A organização da medicina científica em Juiz de Fora – Baú de Ossos. In: ENCONTRO REGIONAL DE HISTÓRIA, 13. 2002, Belo Horizonte. Anais [...]. Juiz de Fora: Clio Edições Eletrônicas, 2002b. p. 99-105. Disponível em: . Acesso: 26 dez. 2019.

VALE, Vanda Arantes. A Doença nos Escritos de Pedro Nava. In: NASCIMENTO, Dilene Raimundo; CARVALHO, Diana Maul; MARQUES, Rita de Cássia (orgs.). Uma História Brasileira das Doenças. Volume II. Rio de Janeiro: Mauad X, 2006. p. 92-115.

VASCONCELLOS, Eliane. De bissexto a contumaz. In: VASCONCELLOS, Eliane (org.). Inventário do Arquivo Pedro Nava. Rio de Janeiro: Edições Casa de Rui Barbosa, 2001. p. 9-32.

VERNANT, Jean-Pierre, ZEITLYN, Froma (ed.). Mortals and Immortals: Jean-Pierre Vernant Collected Essays Princeton: Princeton University Press, 1991. 341 p.

WALTER, Tony. The Revival of Death. Londres: Routledge, 1994. 240 p.

WALTER, Tony. What death means now: Thinking critically about dying and grieving. Bristol: Police Press, 2017. 146 p.




DOI: http://dx.doi.org/10.9789/2525-3050.2020.v5i9.84-108

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Creative Commons License Todo o conteúdo do periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons