A Pragmática da construção do gosto musical

Andréa Orrigo Lima

Resumo


O presente artigo é um recorte da investigação em andamento produzida no campo da Educação Musical intitulada “Jovens violinistas e a pragmática do gosto: A construção do gosto pela música” e traz o debate teórico que localiza o objetivo da pesquisa: compreender a construção do gosto pela música no dia a dia de convívio dos jovens violinistas e violistas com a música, instrumentos e tantos outros mediadores. Para a interpretação dos dados, apoiei toda a investigação na teoria do gosto do sociólogo da música Antoine Hennion, professor e diretor do CSI - Centre de Sociologie de I’Innovation de I’École de Mines Paris Tech, traçando uma linha de compreensão entre a mediação, reflexividade e a performance musical. Para tanto, recorri a procedimentos etnográficos como observação participante, diários de campo, entrevistas semiestruturadas, observações das práticas musicais desses jovens e registros audiovisuais. De outubro de 2014 a junho de 2015 interagi com dez jovens (nove violinistas e um violista) entre 11 e 24 anos, estudantes da EMESP Tom Jobim e instrumentista da OJESP – Orquestra Jovem do Estado de São Paulo nas atividades desenvolvidas por eles como: aulas individuais, aulas de música de câmara, “grupos coletivos” de instrumentos, ensaios da OJESP, nos concertos e recitais dos jovens participantes da pesquisa. Por meio das reflexões do referencial teórico com a interpretação de dados obtidos no trabalho de campo, como análise das “playlists”, das observações e entrevistas destaco nas considerações alguns aspectos como a experiência da escuta musical e seu papel na construção do gosto pela música.

Texto completo:

PDF