A pedagogia pianística de Antônio de Sá Pereira e a pertinência de sua adoção contemporânea para o ensino do piano

Fernando Vago Santana

Resumo


O presente trabalho sintetiza o pensamento pedagógico pianístico de Antônio de Sá Pereira e suas implicações no assentamento de bases para o ensino do piano no Brasil. Sua contribuição é ainda muito negligenciada e desconhecida na prática do ensino de piano, ainda excessivamente vinculado a uma tradição de reutilização metodológica irreflexiva. O pianista e pedagogo brasileiro, em sua obra Ensino moderno de piano, de 1933, trouxe para o território nacional as discussões mais recentes de sua época sobre as relações de ensino-aprendizagem do instrumento piano. A despeito da sua contribuição relevante, o ensino da técnica do piano tem sido ainda fundamentado em materiais anacrônicos como os livros de O. Beringer e C. L. Hanon, apenas para citar alguns. Sá Pereira aborda todos os conceitos desenvolvidos por estes autores, porém com maior senso crítico e fundamentação racional. Seu conteúdo dialoga com autores estrangeiros importantes da seara da pedagogia do piano, de modo que seus pressupostos coincidem em diversos âmbitos com o ensino de A. Cortot, G. Fontainha, J. A. Kaplan, H. Neuhaus, G. Sandor, Gieseking e Leimer, G. Kochevitsky, S. Gordon, W. Newman, M. Bruser e A. Whiteside, para citar alguns dentre os mais relevantes. O presente estudo demonstra pontos de concordância entre estes autores e a obra de Sá Pereira. Fundamentam esse trabalho, além dos livros dos autores mencionados, artigos recentes sobre o pedagogo brasileiro. A aplicação do ensino de Sá Pereira na própria experiência de estudo do autor mostrou-se efetiva para a aprendizagem da técnica e do repertório de piano, finalidade comum a todos os educadores do instrumento.

Texto completo:

PDF