A hierarquia como método: equidade na produção da música de concerto, um relato etnográfico

Hudson Cláudio Neres Lima

Resumo


A pesquisa utiliza o método etnográfico para investigar a produção das temporadas de espetáculos destinados à difusão da música de concerto e fundamentar a abertura de possíveis questões sobre suas práticas, aplicação e relação entre os músicos de orquestra, mantenedores e a plateia. A metodologia é composta por levantamento bibliográfico, que registra as práticas da música de concerto sob a perspectiva da Antropologia e da Etnomusicologia, assim como através o olhar do pesquisador nativo, que documenta o exercício das comissões artísticas e do público freqüentador dos espaços, nos quais estas manifestações são exercidas. No diário de campo o contato direto com os membros de diversas orquestras sinfônicas da cidade do Rio de Janeiro, foram observados discursos ligados ao mundo sinfônico na escuta do público ouvinte, incluindo mantenedores. Colabora como ferramentas para a investigação em campo os conceitos de "Mundos Artísticos" e "Tipos Sociais" de Howard S. Becker (1977), de “lugar” e “espaço” de Michel de Certeau (1984), e as contribuições de Pierre Bourdieu (1989) em "As Formas de Capital" e o conceito de biopoder, de Michael Focault (1970) em “História da Sexualidade vol. I. Este artigo pretende mostrar o caminho teórico e metodológico percorrido na elaboração da investigação sobre as representações da música de concerto e da difusão do trabalho através da experiência de profissionais que trabalham em instituições públicas e privadas, naquilo que esta experiência abriu de possibilidade de um diálogo entre os diversos espaços de interação, incluindo os virtuais. A trajetória profissional do pesquisador adquire relevância para um pensamento reflexivo sobre os resultados parcialmente obtidos.

Texto completo:

PDF