Diálogos entre autores em busca da linguagem composicional villalobiana

Marcelo Rauta

Resumo


Este artigo apresenta algumas influências encontradas na linguagem composicional de Heitor Villa-Lobos, bem como a explanação de procedimentos composicionais utilizados em parte de suas obras por meio de exemplos musicais e revisão bibliográfica com base em autores que já pesquisaram a respeito de suas obras. Dentre as influências encontradas, destacam-se diálogos entre os compositores: Bach, Bartók, Debussy, D’Indy, Franck, Milhaud, Schmitt, Stravinsky, Varèse e Wagner. Com relação aos procedimentos composicionais villalobianos, cita-se os seguintes usos: simultaneidades melódicas e harmônicas diferentes, clusters, pedais harmônicos e melódicos, polifonias, superposição textural, paralelismos, ampliação e/ou redução rítmico-melódica, acentos e alternâncias de compassos, além de elementos da música africana, ameríndia e francesa do final do século XIX e início do século XX. Conclui-se que as técnicas e os procedimentos composicionais eram compartilhados por compositores contemporâneos a Villa-Lobos na mesma época e o mesmo sofreu influências de traços estilísticos próprios deste meio musical, complementando tecnicamente a sua genialidade criadora e demonstrando autonomia em sua criação.

Texto completo:

PDF