O Bárbaro, o Forte e a Rosa: João Gilberto, Dorival Caymmi e a Desleitura como ferramenta tática na busca por uma identidade artística

Tiago dos Santos de Souza

Resumo


Nesse artigo, de caráter musicológico, faremos uma análise comparativa utilizando duas interpretações da música, Rosa Morena: uma do seu próprio autor Dorival Caymmi (1914-2008) e outra de João Gilberto (1931-). Buscaremos possibilidades para o entendimento da abordagem musical de Gilberto a partir do conceito de desleitura, antevendo nesse tipo de atitude uma tática agindo dentro um ambiente específico. Acreditamos que poderemos apontar questões interessantes que fazem parte do processo de organização de materiais artísticos presentes nas interpretações de João Gilberto, personagem fundamental na história da música popular brasileira, além de possibilitar considerações sobre aspectos mais específicos do cenário artístico do Brasil do final de 1950 e início de 1960.

Texto completo:

PDF