Vera Janacopulos – A arte da interpretação

Anne Meyer

Resumo


O presente trabalho tem por escopo apresentar as conclusões parciais da pesquisa em andamento denominada Vera Janacopulos e a música do século XX, no tocante às práticas de interpretação da cantora para a música vocal deste século. Destaca-se como objetivo a intenção de desvelar o modus interpretandi desta personagem, reconhecida por seus pares contemporâneos pelo seu grau de excelência na execução desse tipo de repertório, de forma a subsidiar cantores em sua performance de concerto. Para tanto, este artigo utiliza como fonte de pesquisa material inédito do Acervo Vera Janacopulos, sob a guarda da Biblioteca Central da UNIRIO. Desde a doação desta documentação a esta Universidade, o material, de grande valor histórico, ainda não foi catalogado e permanece na obscuridade. Para subsídio teórico nos apoiaremos no manual de canto de Lilli Lehmann (cantora reconhecida na sua época, que também foi professora de canto de Vera, e a quem ela credita toda a sua técnica vocal), no tratado A arte do canto, de Manuel Garcia (um dos primeiros estudiosos de fisiologia vocal e da arte do canto) e em Richard Miller (reconhecido teórico em técnica vocal da atualidade). Serão abordadas as seguintes questões: voz, importância da palavra, articulação e pronúncia, acentuação fonética e melódica, expressão, medo de público e o bis. Traremos notícia também do guignol chantant, criado pela cantora como subsídio para sua prática docente. Desta forma, pretendemos trazer à luz um pouco da biografia da cantora, o seu diferencial artístico qualitativo, assim como apresentar a pesquisadores a riqueza do seu acervo.

Texto completo:

PDF