A Arte da Conversação: a interação no Bill Evans Trio a partir da performance de Scott LaFaro

Bruno Repsold Torós

Resumo


O presente artigo apresenta o andamento da minha pesquisa de mestrado, cujo objetivo é investigar a conversação musical presente no trio do pianista Bill Evans no período entre 1959 e 1961, a partir da análise do estilo de performance do contrabaixista Scott LaFaro (1936 – 1961). LaFaro é tido como o primeiro contrabaixista a assumir uma postura libertada da função tradicional do contrabaixo no jazz, o usual walkin’bass, criando um estilo altamente contrapontístico dentro deste trio, em conversa constante com o piano. Parte da pesquisa é compreender a construção melódica de LaFaro a partir dos conceitos de improvisação vertical e horizontal desenvolvidos por George Russell (1923 – 2009) no livro The Lydian Chromatic Concept of Tonal Organization (2001), verificando qual destes melhor se enquadra a sua forma de pensar musicalmente. Tendo como base pesquisas abordando a improvisação no jazz, a interação entre os músicos e depoimentos acerca da vida e música de LaFaro, tentamos aprofundar o conhecimento e a importância deste músico que veio a influenciar todas as gerações de contrabaixistas a partir de 1960, e inclusive o próprio rumo do jazz a partir daí. As análises são feitas a partir do livro de transcrições de piano, baixo e bateria editado em 2003 (Hal-Leonard), o que nos proporciona visualizar ainda melhor o papel de cada instrumentista dentro do trio, e a forma como a música se desenrola.

Texto completo:

PDF