Um olhar analítico-interpretativo sobre Il Bove para Canto, Violoncelo e Piano, de Heitor Villa-Lobos e Giosué Carducci

Joana Christina Brito de Azevedo

Resumo


A obra Il Bove escrita para Canto, Violoncelo e Piano de Heitor Villa-Lobos (1887 -1959), com versos do poeta Giosuè Carducci (1835-1907) será, nesse artigo, objeto de observação e análise. Trata-se de uma formação camerística pouco explorada pelos compositores brasileiros, sendo alvo de investigação no projeto de doutorado desta pesquisadora-intérprete, o qual apresenta um estudo sobre a inserção da voz de mezzo-soprano na formação para música de câmara. O olhar analítico-interpretativo que se propõe lançar sobre Il Bove, se dará à luz de informações bibliográficas e dados históricos que orientarão o leitor a se inteirar da linguagem utilizada pelo compositor na época em que a concebeu, correções de edição na partitura, questões de idiomatismo relacionado à escrita villalobiana para esse trio e ainda, reflexões sobre cada um dos instrumentos e do conjunto, com discussões fundamentadas no conceito de persona. Pretende-se com esse estudo recolher subsídios que possam contribuir para a construção de uma concepção interpretativa dessa obra, que é pouco conhecida e raramente executada. Como resultado das discussões levantadas, conclui-se que alguns aspectos, como equilíbrio sonoro e andamento são essenciais como ponto de partida para definir a concepção da obra.

Texto completo:

PDF