Ponteio nº1 para violão de Adelaide Pereira da Silva: uma análise estética

Mayara Amaral

Resumo


A presença das mulheres na composição nacional é notavelmente inferior à de homens, e essa desigualdade de gêneros possui fatores demasiadamente complexos, que vem sendo estudados, nos últimos anos para uma melhor compreensão deste contexto e para a ressignificação de estereótipos sobre a imagem do compositor erudito. O presente artigo tem como objetivo levantar aspectos da escrita da obra Ponteio n. 1, da compositora paulista Adelaide Pereira da Silva, através de análise estética, comprometendo-se a demonstrar que se trata de uma obra de vertente específica do nacionalismo da música brasileira. Desse modo, utilizamo-nos de embasamento que contribua para relacionar tal obra com o nacionalismo defendido por Mario de Andrade e posto em prática por Camargo Guarnieri, e propomos uma reflexão sobre este tipo de abordagem composicional ao violão, comentando os aspectos idiomáticos encontrados na obra, na realização de nossa análise. Sendo esta uma estética pouco visitada no âmbito da composição nacional violonística, acreditamos contribuir, com este escrito, para ampliar a discussão sobre este tipo de estética composicional, que tanto representa a música brasileira em seu período pós Villa-Lobos e que faz parte de um conjunto de obras reconhecidas em todo o mundo como representativos de nossa arte. Além disso, vemos ser pouco citado o nome de Adelaide, o que nos motiva a elaborar esse estudo para melhor visualização e compreensão da presença da mulher na composição erudita brasileira, associando a isso o violão, que também é representativo de identidade nacional.

Texto completo:

PDF