Eu vim da Bahia: considerações acerca da realização rítmica na performance de Jaques Morelenbaum e Cello Samba Trio

Raquel Rohr

Resumo


O presente trabalho discute aspectos de realização rítmica, acentuação e métrica na obra Eu vim da Bahia, interpretada por Jaques Morelenbaum e pelo grupo Cello Samba Trio (MORELENBAUM, 2010). A metodologia empregada inclui a transcrição da performance de Morelenbaum, seguida pela análise comparativa com a lead sheet de Eu vim da Bahia (GIL) e com o fonograma da mesma obra realizado por João Gilberto (GILBERTO, 1973). O fonograma de João Gilberto foi escolhido como referencial para a análise comparativa com a performance do violoncelista por se tratar de referência declarada por Jaques Morelenbaum em entrevista. São utilizados como referencial os conceitos de acentuação e métrica propostos por Lerdahl e Jackendoff (1985), bem como Menezes (2010), que aborda a realização rítmica na performance de João Gilberto. Os dados da análise apontam para uma estreita relação entre as performances de João Gilberto e Jaques Morelenbaum, sendo possível perceber escolhas deliberadas do violoncelista e adaptações técnicas que este realiza a fim de aproximar a sonoridade do violoncelo com a voz cantada, além de apresentar uma clara influência do estilo de João Gilberto em seu estilo de performance. Este trabalho é uma parcial da pesquisa realizada junto ao Programa de Pós-Graduação em Música da UFMG que visa a investigar aspectos da performance do violoncelo na música popular brasileira a partir do estudo de performances selecionadas do violoncelista Jaques Morelenbaum.

Texto completo:

PDF