Suicídio por contágio e o papel das mídias de comunicação em massa

Maria Júlia Kovács, Esther Hwang

Resumo


Este artigo tem como objetivo (i) explorar, em termos gerais, a temática do suicídio por contágio e o papel dos meios de comunicação em massa nesse fenômeno; (ii) investigar, em termos mais específicos, a possibilidade de suicídios por contágio em conexão com (a) suicídios de celebridades e (b) suicídios em espaços públicos em que são registrados altos índices de morte voluntária; e (iii) propor reflexões sobre a prevenção do suicídio no que diz respeito à atuação das mídias de comunicação em massa. Para tanto, utilizamos o método da revisão bibliográfica e uma pesquisa de campo. Observa-se que a simples exposição do tema do suicídio na mídia não causa diretamente suicídios subsequentes, embora possa ser um fator de influência, dependendo da abordagem. O suicídio por contágio está associado ao processo de identificação e imitação, à influência sócio-histórica-cultural dos locais, dos métodos e do próprio ato suicida influenciador, sendo imprescindível refletir sobre os meandros da relação pessoa-ambiente para a elaboração de medidas preventivas.

Palavras-chave


Suicídio por contágio; Mídia; Prevenção do suicídio; Comunicação; Celebridades; Espaços públicos

Texto completo:

PDF

Referências


ABRUTYN, Seth & MUELLER, Anna. Are suicidal behaviors contagious in adolescence? Using longitudinal data to examine suicide suggestion. American Sociological Review. Washington DC, v. 79, n. 2, p. 211–227, 2014.

ALVAREZ, Alfred. O Deus selvagem: um estudo do suicídio. São Paulo: Companhia das Letras, 1999. 299p.

AYERS John. W., ALTHOUSE Benjamin M., LEAS Eric C. et al. Internet searches for suicide following the release of 13 Reasons Why. JAMA Internal Medicine. Chicago, v. 10, n. 177, p. 1527-1529, 2017.

BANDO, Daniel Hideki e BARROZO, Lígia Vizeu. O suicídio na cidade de São Paulo: uma análise sob a perspectiva da Geografia da Saúde. São Paulo: Humanitas, 2010. 150p.

BATISTA, Érika Patrícia. Interdisciplinaridade como mediadora da veracidade: o diálogo sobre jornalismo, história e antropologia. Revista de Estudos da Comunicação. Curitiba, v. 10, n. 21, p. 69-74, 2009.

BAUDRILLARD, Jean. A sociedade de consumo. Rio de Janeiro: Elfos, 1995, 213p.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. Rio de Janeiro: Zahar, 2001. 280p.

BAUMAN, Zygmunt. Comunidade: a busca por segurança no mundo atual. Rio de Janeiro: Zahar, 2003. 141p.

BAUMAN, Zygmunt. Identidade: entrevista a Benedetto Vecchi/Zygmunt. Bauman. Rio de Janeiro: Zahar, 2005. 120p.

BERGER, Peter & LUCKMANN, Thomas. A construção social da realidade: tratado de sociologia do conhecimento. Petrópolis, RJ: Vozes, 1973. 240p.

BERMAN, Marshall. Tudo que é sólido desmancha no ar. São Paulo: Companhia das Letras, 1988. 360p.

BOFF, Leonardo. Saber cuidar: ética do humano – compaixão pela terra. Rio de Janeiro: Vozes, 2014. 199p.

CANTOR, Christopher H & BAUME, Pierre J. Access to methods of suicide: what impact? Australian & New Zealand Journal of Psychiatry. Sydney, v. 32, n, 1, p. 8-14, 1998.

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA. Suicídio e os desafios para a Psicologia. Brasília DF, 2013. 152p.

COLEMAN, Loren. The copycat effect. New York: Paraview, 2004. 324p.

COLT, George Howe. November of the Soul: the enigma of suicide. New York: Scribner, 1991.

CÔRTE, Beltrina; KHOURY, Hilma Tereza Tôrres e MUSSI, Luciana Helena. Suicídio de idosos e mídia: o que dizem as notícias? Psicologia USP. São Paulo, v. 25, n. 3, p. 253-261, 2014.

DA MATTA, Roberto. A casa e a rua: espaço, cidadania, mulher e morte no Brasil. Rio de Janeiro: Rocco, 1997. 164p.

DAPIEVE, Arthur Henrique Motta. Suicídio por contágio: A maneira pela qual a imprensa trata a morte voluntária. Dissertação (Mestrado em Comunicação Social). Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social, Pontifícia Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2006. 172p.

DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo: comentários sobre a sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997. 240p.

Doenças nervosas e intervenção do psicólogo. Psicologia: Ciência e Profissão. Brasília, v. 10, n. 1, p. 8-9, 1990.

FENSTERSEIFER, Lisa e WERLANG, Blanca Susana Guevara. Comportamentos autodestrutivos: subprodutos da modernidade. Psicologia Argumento. Curitiba, v. 24, n. 47, p. 35-41, 2006.

FONTENELLE, Paula. Suicídio, o futuro interrompido: guia para sobreviventes. São Paulo: Geração Editorial, 2008. 260p.

FREUD, Sigmund. Psicologia das massas e análise do eu e outros textos. São Paulo: Companhia das Letras, 2011. 352p.

GOETHE, Johann Wolfgang von Goethe. Os sofrimentos do jovem Werther. Porto Alegre: LP&M, 2012, 208p.

GOULD, Madelyn; JAMIESON, Patrick & ROMER, Daniel. Media contagion and suicide among the young. The American Behavioral Scientist. New York, v. 46, n. 9, p. 1269-1284, 2003.

GOULD Madelyn & LAKE, Alison. The contagion of suicidal behavior. In: Forum on Global Violence Prevention: board on global health. Institute of medicine: National Research Council. Contagion of violence: workshop summary. National Academies Press, 2013.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2011. 64p.

HARVEY, David. A condição pós-moderna. São Paulo: Loyola, 2014, 352p.

HILLMAN, James. Suicídio e alma. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2011. 223p.

HWANG, Esther. Suicídio por contágio e a comunicação midiática. Dissertação (Mestrado em Psicologia). Programa de Pós-Graduação em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018. 175p.

INSEL, Beverly & GOULD, Madelyn, S. Impact of modeling on adolescent suicidal behavior. Psychiatric Clinics of North America. On-line, v. 2, n. 31, p. 293–316, 2008.

JAMISON, Key Redfield. Quando a noite cai: entendendo a depressão e o suicídio. Rio de Janeiro: Gryphus, 2010. 294p.

JOBES, David, et al. The Kurt Cobain suicide crisis: perspectives from research, public health, and the news media. Suicide and Life-Threatening Behavior. Washington DC, v. 26, n.3, p. 260-269; 1996.

KOVÁCS, Maria Júlia. Morte e desenvolvimento humano. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1992. 253p.

KOVÁCS, Maria Júlia. Educação para a morte. Psicologia: ciência e profissão. Brasília, v. 25, n. 3, p. 484-497, 2005.

KOVÁCS, Maria Júlia. Revisão crítica sobre conflitos éticos envolvidos na situação de suicídio. Revista Psicologia: Teoria e Prática. São Paulo, v. 15, n. 3, p. 69-82, dez./2013.

KOVÁCS, Maria Júlia. Resenha “Suicídio e Luto: histórias de filhos sobreviventes”. Revista Brasileira de Psicologia. Salvador, v. 2, n. 2, p. 116-118, 2015.

KOVÁCS, Maria Júlia. Suicídios – tantos porquês. Jornal da USP. São Paulo, 09 maio 2017. Disponível em: .

KUCZYNSKI, Evelyn. Suicídio na infância e adolescência. Psicologia USP, v, 25, n. 3, p. 246-252, 2014.

LE BON, Gustave. Psicologia das multidões. São Paulo: Martins Fontes, 2008. 224p.

LIPOVESKY, Gilles e SERROY, Jean. A estetização do mundo: viver na era do capitalismo artista. São Paulo: Companhia das Letras, 2015. 472p.

LOUREIRO, Paulo, R. A; MOREIRA, Tito Belchior e SACHSIDA, Adolfo. Os efeitos da mídia sobre o suicídio: uma análise empírica para os estados brasileiros. Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, 2013. 34p.

MAGNANI, José Guilherme Cantor. Antropologia Urbana: desafios e perspectivas. Revista de Antropologia. São Paulo, v. 59, n. 3, p. 174-203, 2016.

MAIA, Aline Silva Correa. Telenovela: projeção, identidade e identificação na modernidade líquida. Revista E-Compós. Brasília, v. 9, n. 2, p. 2-24, 2007.

MARQUETTI, Fernanda Cristina e MILEK, Glenda. Percurso suicida: observação e análise de alterações no cotidiano do indivíduo com tentativas de suicídio. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo. São Paulo, v. 25, n. 1, p. 18-26, 2014.

MARQUETTI, Fernanda Cristina. O suicídio no espetáculo da metrópole: cenas, cenários e espectadores. São Paulo: FAP-UNIFESP, 2012. 248p.

MARQUETTI, Fernanda Cristina. Subjetividade na cultura contemporânea: suicídio, comunicação e contágio. Discussão sobre a série “Os treze por quês”. Palestra proferida na Semana de Prevenção ao Suicídio: O comportamento suicida na perspectiva da sociedade contemporânea. Universidade Federal de São Paulo, UNIFESP, São Paulo, em 13 de setembro de 2017.

MARQUETTI, Fernanda Cristina. Apresentação. In: _______ (Org.). Suicídios – escutas do silêncio. São Paulo: Fap-Unifesp, p. 15-21, 2018.

MARTIN Graham & KOO, Lisa. Celebrity suicide: Did the death of Kurt Cobain influence young suicides in Australia? Archives of Suicide Research. New York, v. 3, n. 3, p. 187–198, 1997.

MENNINGER, Karl. Eros e Thanatos. O homem contra si próprio. São Paulo: Ibrasa, 1970. 411p.

MERCY, James et al. Is suicide contagious? A study of the relation between exposure to the suicidal behavior of others and nearly lethal suicide attempts. American Journal of Epidemiology. Baltimore, MD, v. 154, n. 2, p. 120-127, jul./2001.

MINOIS, Georges. História do suicídio: a sociedade ocidental diante da morte voluntária. São Paulo: UNESP, 2018. 426p.

MORETTO, Maria Lívia Tourinho et al. O suicídio e a morte do narrador. Psicologia USP. São Paulo, v. 28, n. 2, p. 159-164, 2017.

NIEDERKROTENTHALER, Thomas et al. Changes in suicide rates following media reports on celebrity suicide: a meta-analysis. Journal of Epidemiology and Community Health. London, v. 66, n. 11, p. 1037-1042, 2012.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (OMS). Prevenção do suicídio: um manual para profissionais da mídia. Genebra: Departamento de Saúde Mental, 2000. 10p.

PARK, Robert Ezra. A cidade: sugestões para a investigação do comportamento humano no meio urbano. In: VELHO, Otavio. G. (org.). O fenômeno urbano. Rio de Janeiro: Zahar, p. 29-72, 1976.

PHILLIPS, David. The Influence of Suggestion on Suicide: Substantive and Theoretical Implications of the Werther Effect. American Sociological Review. Washington DC, v. 39, n. 3, p. 340-354, 1974.

PONTES, Felipe Marangoni. Ansiedade, estresse, depressão e qualidade de vida: um estudo com pós-graduandos da Universidade de São Paulo. Dissertação (Mestrado em Psicologia). Programa de Pós-Graduação em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018. 207p.

RIBEIRO, José Mendes e MOREIRA, Marcelo Rasga. Uma abordagem sobre o suicídio de adolescentes e jovens no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva. Rio de Janeiro, v. 23, n. 9, p. 2821-2834, 2018.

RODRIGUES, José Carlos. Tabu da morte. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2006. 260p.

SANTOS, Ana Beatriz Brandão. Impacto do suicídio – ataque ao ser: pacientes, familiares e equipe de cuidados. In: KOVÁCS, Maria Júlia (Org.). Morte e existência humana: caminhos de cuidados e possibilidades de intervenção. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, p. 112-124, 2008.

SANTOS, Emelynne Gabrielly de Oliveira et al. Análise espaço-temporal da mortalidade por suicídio em idosos no Brasil. Revista Brasileira de Geriatria e Gerontologia. Rio de Janeiro, v. 20, n. 6, p. 854-865, 2017.

SCHMIDTKE, Armin; HAFNER, Heinz. The Werther effect after television films: New evidence for an old hypothesis. Psychological Medicine. Cambridge, v. 18, n. 3, p. 665-676, 1988.

SHNEIDMAN, Edwin S. Deaths of man. New York: Quadrangle, 1973, 238p.

SHNEIDMAN, Edwin S. Suicide thoughts and reflections, 1960-1980. New York: Human Sciences Press, 1981. 364p.

SHNEIDMAN, Edwin S. Suicide as psychache: a clinical approach to self-destructive behavior. London: Jason Aronson Inc., 1993.

SHNEIDMAN, Edwin S. The suicidal mind. Londres: Oxford University Press, 1996. 187p.

SILVA, Marcimedes. Suicídio trama da comunicação. São Paulo: Scortecci, 2008. 116p.

STACK, Steven. Media coverage as a risk factor in suicide. Journal of Epidemiology and Community Health. London, v. 57, n. 4, p. 238-240, 2003.

STACK, Steven. Crisis Phones – Suicide Prevention Versus Suggestion/Contagion Effects. Crisis. Boston, v. 36, n. 3, p. 220-224, 2015.

TARDE, Gabriel. A opinião e as massas. São Paulo: Martins Fontes, 1962. 209p.

TARDE, Gabriel. The laws of imitation. New York: H. Holt and Company, 2005. 582p.

THE BRIDGE. Director and Producer: Eric Steel. USA/UK: IFC Films. 94 min. 2006.

VELHO, Gilberto. Um antropólogo na cidade: ensaios de antropologia urbana. Rio de Janeiro: Zahar, 2013. 198p.

WIRTH, Louis. O urbanismo como modo de vida. In: VELHO, Otávio G. (Org.). O fenômeno urbano. Rio de Janeiro: Zahar, p. 97-122, 1976.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License Todo o conteúdo do periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons