Empatia na psicanálise: um enfoque na teoria de Klein e Winnicott

Autores

DOI:

https://doi.org/10.9789/1679-9887.2021.v19i1.162-183

Palavras-chave:

Psicanálise, Empatia, Melanie Klein, Winnicott, Clínica

Resumo

Pretende-se, neste artigo, discutir alguns dos aspectos centrais do conceito de empatia na psicanálise, levando em consideração, sobretudo, a sua origem e o seu uso na teoria de Melanie Klein e Donald Winnicott. Para tanto, iniciamos o texto com um breve percurso histórico, discorrendo sobre a importância de Sándor Ferenczi e suas contribuições inaugurais ao tema. Em seguida, apresentamos a compreensão de empatia por Melanie Klein, vista como um processo resultante do mecanismo de identificação projetiva. Prosseguimos, logo após, com a noção de empatia no campo clínico para Winnicott. E, por fim, tecemos possíveis aproximações (e afastamentos) entre as ideias desses autores. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Patricio de Almeida, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP)

Departamento de Psicologia Clínica da PUC-SP. Área: Psicanálise e Psicologia Clínica.

Psicanalista. Mestre (bolsa CAPES) e doutorando pelo Programa de Estudos Pós-Graduados em Psicologia Clínica da PUC-SP. Pesquisador bolsista CNPq. Professor universitário. Atende em consultório particular adultos e crianças. Autor de diversos artigos e livros sobre psicanálise.

Referências

ABRAM, J. A linguagem de Winnicott. Rio de Janeiro: Revinter, 2000.

BION, W. R. (1959). Attacks on linking. International Journal of Psychoanalysis, n. 40, pp. 308-315.

FERENCZI, S. (1928). Elasticidade da técnica psicanalítica. In Obras Completas, volume IV. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011.

FREUD, S. (1920). Psicologia das massas e análise do Eu. In Obras Completas, volume 15 (1920-1923). São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

FREUD, S. (1933). Sándor Ferenczi. In Obras Completas, volume 18 (1930-1936). São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

HINSHELWOOD, R. D. Dicionário do pensamento kleiniano. Porto Alegre: Artes Médicas, 1992.

KLEIN, M. (1946). Notas sobre alguns mecanismos esquizoides. In Inveja e gratidão e outros trabalhos (1946-1963). Rio de Janeiro: Imago, 1996.

KLEIN, M. (1957). Inveja e gratidão. In Inveja e gratidão e outros trabalhos (1946-1963). Rio de Janeiro: Imago, 1996.

KLEIN, M. (1959). Nosso mundo adulto e suas raízes na infância. In Inveja e gratidão e outros trabalhos (1946-1963). Rio de Janeiro: Imago, 1996.

SEGAL, H. As ideias de Melanie Klein. São Paulo: Cultrix (Editora da USP), 1983.

WINNICOTT, D. W. (1955 [1954]). Aspectos clínicos e metapsicológicos da regressão dentro do setting psicanalítico. In Textos selecionados: da pediatria à psicanálise. Rio de Janeiro: F. Alves, 1988.

WINNICOTT, D. W. (1955-6). Variedades clínicas da transferência. In Textos selecionados: da pediatria à psicanálise. Rio de Janeiro: F. Alves, 1988.

WINNICOTT, D. W. (1962). Os objetivos do tratamento psicanalítico. In O ambiente e os processos de maturação. Porto Alegre: Artmed, 1983.

ZIMERMAN, D. Vocabulário contemporâneo de psicanálise. Porto Alegre: Artmed, 2001.

Downloads

Publicado

2021-08-11

Como Citar

ALMEIDA, A. P. de. Empatia na psicanálise: um enfoque na teoria de Klein e Winnicott. Psicanálise & Barroco em Revista, [S. l.], v. 19, n. 1, p. 162–183, 2021. DOI: 10.9789/1679-9887.2021.v19i1.162-183. Disponível em: https://seer.unirio.br/psicanalise-barroco/article/view/10548. Acesso em: 15 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos Livres