“A gente aprende além de música, a gente aprende a brincar juntos!”: Jogos de Improvisação na Educação Musical com crianças

Camila Costa Zanetta

Resumo


Este artigo apresenta os resultados da pesquisa de mestrado intitulada “Espaços para criar e conviver: processos criativos em jogos cênico-musicais na educação musical com crianças”, realizada no Programa de Pós-Graduação em Música da Universidade de São Paulo (USP) com apoio da FAPESP. O trabalho investigou as possíveis contribuições das experiências de improvisação em jogos cênico-musicais para a formação integral da criança. Estudos de educadores musicais como Hans-Joachim Koellreutter e Teca Alencar de Brito nortearam e fundamentaram a pesquisa, que também dialogou com autores do teatro, da filosofia e da pedagogia. Constituindo uma pesquisa-ação, uma Oficina de Música foi instaurada na Escola de Aplicação da Faculdade de Educação da USP, atendendo crianças entre sete e dez anos da instituição. Com vias a “recolher” e compreender o ponto de vista das crianças participantes da Oficina, intentando trabalhar com base em seus discursos e reflexões acerca das experiências de improvisação vivenciadas no decorrer dos encontros, foram articulados diferentes procedimentos de coleta de dados: entrevistas semiestruturadas com as crianças, protocolos confeccionados pelas mesmas e registros audiovisuais das aulas. Os resultados apontam para as diversas contribuições do ensino e aprendizagem da música por meio dos jogos de improvisação, ressaltando-se alguns aspectos frequentemente mencionados pelas crianças participantes da pesquisa, tais como a importância do “aprender brincando”, o gosto pela invenção/criação nas aulas de música, a valorização do jogo como espaço de convivência e de construção de novos vínculos, a conscientização de aspectos musicais e desenvolvimento de capacidades humanas, enfim: as contribuições das experiências de improvisação em jogos cênico-musicais para a formação integral da criança.

Texto completo:

PDF