Entoação em instrumentos não temperados: análise de execuções da Suíte n.1 para violoncelo (BWV 1007) de J. S. Bach

Cesar Augusto Pereira da Silva

Resumo


O trabalho investiga como se dá a entoação em violoncelos, instrumentos musicais de afinação não fixa, mediante uma análise pautada na utilização de recursos computacionais: os programas Tarsos e Temperament. É apresentado uma breve contextualização a respeito dos conceitos afinação e entoação, e também uma introdução aos principais sistemas de temperamento. O foco da investigação é um estudo de caso, onde são aplicadas as referidas ferramentas computacionais para analisar a execução do Prelúdio da Suíte No. 1 para violoncelo solo, BWV 1007, de J. S. Bach, por violoncelistas profissionais. Adotando-se o referencial dos temperamentos padronizados como base, verifica-se que os maiores desvios ocorrem a partir do temperamento justo, invalidando a afirmativa do senso-comum de que esse seria inerentemente melhor. Os dados indicam que, embora exista uma grande variabilidade de entoação entre os artistas examinados, todos transitam em uma faixa média situada ao redor do temperamento pitagórico e temperamento igual.

Texto completo:

PDF