Epidemiological profile of the clientele that seeks assistance in integrative and complementary practices / Perfil epidemiológico da clientela que busca atendimento em práticas integrativas e complementares

Main Article Content

Isabel Cristina Ribeiro Regazzi
Kamile Santos Siqueira
Virginia Maria Knupp
https://orcid.org/0000-0001-5512-2863
Giúlia Kamille de Medeiros Padilha
https://orcid.org/0000-0002-9537-5731
Elida Borges Lopes
Walesca Carvalho Amaral Batista
https://orcid.org/0000-0003-3494-7481

Resumo

Objetivo: descrever o perfil epidemiológico da clientela que busca atendimento em Práticas Integrativas e Complementares. Método: pesquisa descritiva, tipo corte transversal e abordagem quantitativa, realizado com 104 indivíduos que buscaram atendimento em Práticas Integrativas e Complementares na Universidade Federal Fluminense. Resultados: houve predomínio de jovens de 19 a 30 anos com alta escolaridade. Apesar de 57 (76%) ingerem regularmente a água e 14 (79%) praticam atividade física três ou mais vezes/semana, 14 (18,9%) eram etilistas, sete (9,3%) tabagistas, três (4,2%) consumiam drogas ilícitas e 27 (39,6%) dedicavam-se “nada” ou “muito pouco” ao lazer. Apenas 29 (37,1%) possuíam boa disposição geral, nove (11,8%) bom humor e 10 (9,3%) sentiam-se tranquilos a maior parte do tempo. Apetite e sede normal foram relatados em 43 (56,5%) e 38 (49,3%) respectivamente e 59 (90,7%) exibiram problemas com o sono. Conclusão: o atendimento tem sido buscado pela população que manifesta certo grau de sofrimento mental.




 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
1.
Regazzi ICR, Siqueira KS, Knupp VM, Padilha GK de M, Lopes EB, Batista WCA. Epidemiological profile of the clientele that seeks assistance in integrative and complementary practices / Perfil epidemiológico da clientela que busca atendimento em práticas integrativas e complementares. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 12º de agosto de 2022 [citado 20º de agosto de 2022];14:e-10097. Disponível em: http://seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/10097
Seção
Research
Biografia do Autor

Isabel Cristina Ribeiro Regazzi, Universidade Federal Fluminense

Enfermeira e Médica. Doutora pela UNIRIO. Professora adjunta da UFF - Rio das Ostras - Rio de Janeiro - Brasil.

Kamile Santos Siqueira, Universidade Federal Fluminense

Nutricionista. Doutora pela IMS-UERJ. Professora associada da UFF - Rio das Ostras - Rio de Janeiro - Brasil.

Virginia Maria Knupp, Universidade Federal Fluminense

Enfermeira. Doutora pela UNIRIO. Professora adjunta da UFF - Rio das Ostras - Rio de Janeiro - Brasil.

Giúlia Kamille de Medeiros Padilha, Universidade Federal Fluminense

Acadêmica de Enfermagem da UFF - Rio das Ostras - Rio de Janeiro - Brasil.

Elida Borges Lopes, Universidade Federal Fluminense

Bacharel em Enfermagem pela Universidade Federal Fluminense (UFF), Campus de Rio das Ostras. Pós-graduanda em Saúde da Família pela Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa(UFF) e Imunologia e Microbiologia pela Faculdade Única.

Walesca Carvalho Amaral Batista, Prefeitura Municipal de Araruama

Bacharel em Enfermagem. Pós-graduanda em Enfermagem do Trabalho, Auditoria em Enfermagem e Enfermagem Obstétrica.

Plum Analytics

Referências

Fischborn AF, Machado J, Fagundes NC, Pereira NM. A política das práticas integrativas e complementares do sus: o relato de experiência sobre a implementação em uma unidade de ensino e serviço de saúde. Cinergis. 2016; 17(4 Suppl1):358-363. http://dx.doi.org/10.17058/cinergis.v17i0.8149

Lemos CS, Rodrigues AGL, Queiroz ACCM, Galdino Júnior H, Malaquias SG. Práticas integrativas e complementares em saúde no tratamento de feridas crônicas: revisão integrativa da literatura. Aquichan. 2018; 18(3):327-342. http://dx.doi.org/10.5294/aqui.2018.18.3.7

Gohara RIFM, Portella, CFS. Práticas integrativas e complementares: a contribuição do naturólogo como integrante de equipes de saúde no SUS. Cad.Naturol.Terap. Complem. 2017; 6(11):11-19. http://dx.doi.org/10.19177/cntc.v6e11201711-19

Mendes DS, Moraes FS, Lima GO, Silva PR, Cunha TA, Crossetti MGO, et al. Benefícios das práticas integrativas e complementares no cuidado de enfermagem. Journal Health NPEPS. 2019; 4(1):302-318. http://dx.doi.org/10.30681/252610103452

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política nacional de práticas integrativas e complementares no SUS: atitude de ampliação de acesso. 2 ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2015. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_praticas_integrativas_complementares_2ed.pdf

Climaco LCC, Almeida JS, Ferraz IS, Aragão SA, Duarte ACS, Boery RNSO. Conhecendo as práticas integrativas e complementares em saúde: oficina educativa. Rev enferm UFPE online. 2019; 13(4):1167-1172. https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/237410/31862

Calado RSF, Silva AAOB, Oliveira DAL, Silva GAM, Silva JCB, Silva LC, et al. Ensino das práticas integrativas e complementares na formação em enfermagem. Rev enferm UFPE on line. 2019; 13(1):261-267. https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/view/237094

The R Foundation [homepagena internet]. The R Project for StatisticalComputing [acesso em 15 nov 2019]. Disponível em: https://www.r-project.org/

Carneiro VSM,Adjuto RNP, Alves KAP. Saúde do homem: identificação e análise dos fatores relacionados à procura, ou não, dos serviços de atenção primária. Arq. Ciênc. Saúde UNIPAR. 2019; 23(1):35-40. https://doi.org/10.25110/arqsaude.v23i1.2019.6521

Galvão A, Pinheiro M, Gomes MJ, Ala S. Ansiedade, stress e depressão relacionados com perturbações do sono6vigília e consumo de álcool em alunos do ensino superior. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental. 2017; (5):8-12. http://dx.doi.org/10.19131/rpesm.0160

Ruas ECM, Ribeiro APG. Campanhas educativas de controle do tabagismo: do vício moral ao estilo de vida saudável. RECIIS. 2019; 13(4):935-951. https://www.reciis.icict.fiocruz.br/index.php/reciis/article/view/1629

Amorim TA, Lucchese R, Silva Neta EM, Santos JS, Vera I, Paula NI, et al. Determinantes de saúde mental e abuso de substâncias psicoativas associadas ao tabagismo. Estudo de caso controle. Ciênc. saúde coletiva. 2019; 24(11):4141-4152. http://dx.doi.org/10.1590/1413-812320182411.02752018

Masento NA, Golightly M, Field DT, Butler LT,Reekum CMV. Effects of hydration status on cognitive performance and mood. British Journal of Nutrition. 2014; 111(1028):1841-1852. https://doi.org/10.1017/S0007114513004455

Pedersen BK, Saltin B. Exercise as medicine–evidence for prescribing exercise as therapyin 26 different chronic diseases. Scand J Med Sci Sports.2015; 25(3):1-72. https://doi.org/10.1111/sms.12581

An KY. Physical activity level in Korean adults: the Korea National Health and Nutrition Examination Survey 2017. Epidemiol Health. 2019; 41:1-10. https://doi.org/10.4178/epih.e2019047

Galvão A. “Coaching” de saúde e bem-estar na promoção da saúde mental. Revista Portuguesa de Enfermagem de Saúde Mental. 2019; (22):5-8. http://dx.doi.org/10.19131/rpesm.0257

Rodrigues MES, Silveira TB, Jansen K, Cruzeiro ALS, Ores L, Pinheiro RT, et al. Risco de suicídio em jovens com transtornos de ansiedade: estudo de base populacional. Psico-USF. 2012; 17(1):53-62. https://doi.org/10.1590/S1413-82712012000100007

Jagannath A, Taylor L, Wakaf Z, Vasudevan SR, Foster RG. The genetics of circadian rhythms, sleep and health. Human Molecular Genetics: 2017; 26,(R2):128-138. https://doi.org/10.1093/hmg/ddx240

Garcia AS, Louro TQ, Santiago LC, Silva RCL, Barbosa MTS, Silva VRF, et al. Avaliação da qualidade do sono de pós-graduandos de enfermagem. Rev enferm UFPE online. 2019; 13(5):1444-1453. https://doi.org/10.5205/1981-8963-v13i05a239167p1444-1453-2019

Lopes HS, Meier DAP, Rodrigues R. Qualidade do sono entre estudantes de enfermagem e fatores associados. Semina: Ciências Biológicas e da Saúde. 2018; 39(2):129-136. http://dx.doi.org/10.5433/1679-0367.2018v39n2p129

Fortes LS, Cipriani FM, Paes ST, Coelho FD, Ferreira MEC. Relação entre o estado de humor e os comportamentos alimentares de risco para os transtornos alimentares em adolescentes. J. bras. psiquiatr. 2016; 65(2):155-160. https://doi.org/10.1590/0047-2085000000117

Pinheiro RC, Uchida RR, Mathias LAST, Perez MV, Cordeiro Q. Prevalência de sintomas depressivos e ansiosos em pacientes com dor crônica. J. bras. psiquiatr.2014; 63(3):213-219. https://doi.org/10.1590/0047-2085000000028

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)