Maternal feelings in face of perinatal death / Sentimentos maternos frente ao óbito perinatal

Main Article Content

Beatriz Gonçalves Lopes
http://orcid.org/0000-0001-8993-2602
Márcia Regina Carletto
http://orcid.org/0000-0003-3442-5093
Taís Ivastcheschen
http://orcid.org/0000-0001-8496-5990
Pollyanna Kássia de Oliveira Borges
http://orcid.org/0000-0002-9390-0459

Resumo

Objetivo: compreender os sentimentos maternos frente à morte perinatal. Método: estudo qualitativo de natureza interpretativa, com 23 mulheres que vivenciariam a perda de um filho no período perinatal no ano de 2015, no município de Ponta Grossa/ Paraná. A análise dos dados se deu pela Análise de conteúdo na perspectiva de Bardin. Resultados: após a análise das informações emergiram duas categorias de contexto, “Sentimentos maternos frente à morte” e “Quem vê minha dor”. Sentimentos como raiva, medo, choque, desespero e tristeza profunda se fizeram presentes. Toda mãe demanda de um tempo para encontrar um significado a sua perda e então reestruturar a vida e o seu papel na família e na sociedade. Conclusão: é de extrema importância criar redes de apoio capacitadas para atender essas mães e ajudar nesse processo difícil.




 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
1.
Gonçalves Lopes B, Carletto MR, Ivastcheschen T, de Oliveira Borges PK. Maternal feelings in face of perinatal death / Sentimentos maternos frente ao óbito perinatal. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 27º de outubro de 2021 [citado 29º de novembro de 2021];13:1493-8. Disponível em: http://seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/10213
Seção
Research
Biografia do Autor

Beatriz Gonçalves Lopes, Universidade Estadual de Ponta Grossa.

Enfermeira. Mestre em Ciências da Saúde.

Márcia Regina Carletto, Universidade Estadual de Ponta Grossa.

Bióloga. Doutora em Educação Científica e Tecnológica.

Taís Ivastcheschen, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Enfermeira, Mestranda do Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde.

Pollyanna Kássia de Oliveira Borges, Universidade Estadual de Ponta Grossa.

Cirurgiã Dentista. Doutora em Saúde Coletiva. Professora associada.

Plum Analytics

Referências

Lopes BG, Martins AR, Carletto MR, Borges PKO. A dor de perder um filho no período perinatal: uma revisão integrativa da literatura sobre o luto materno. Rev Stricto Sensu [Internet]. 2019 [acesso em 06 de dezembro 2020]; 4(2). Disponível em: http://revistastrictosensu.com.br/ojs/index.php/rss/article/view/77/68.

Paris GF, Montigny S, Pelloso SM. Fatores associados ao estado de luto após óbito fetal: estudo comparativo entre brasileiras e canadenses. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2016 [acesso em 06 de dezembro 2020]; 50(4). Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/reeusp/v50n4/pt_0080-6234-reeusp-50-04-0546.pdf.

Hill PW, Cacciatore J, Shreffler KM, Pritchard KM. The loss of self: The effect of miscarriage, stillbirth, and child death on maternal self-esteem. Death Stud [Internet]. 2017 [cited 2020 dez 20]; 41(4). Available from: https://doi.org/10.1080/07481187.2016.1261204.

Lopes B G, Borges PKO, Grden CRB, Coradassi CE, Sales CM, Damasceno NFP. Maternal mourning: pain and coping with the loss of a baby. Rev Rene [Internet]. 2017 [cited 2020 dez 20]; 18(3). Available from: https://doi.org/10.15253/2175-6783.2017000300004.

Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70; 2016.

Aguiar HC, Zoirnig S. Luto fetal: a interrupção de uma promessa. Estilos Clín [Internet]. 2016 [acesso em 06 de dezembro 2020]; 21(2). Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/estic/v21n2/a01v21n2.pdf.

Wool C. Instrument Development: Parental Satisfaction and Quality Indicators of Perinatal Palliative Care. J Hosp Palliat Nurs [Internet]. 2015 [cited 2020 dez 20]; 17(4). Available from: https://www.liebertpub.com/doi/abs/10.1089/jpm.2015.0135.

Afonso SBC, Minayo MCS. Relationships between oncohematopediatrics, mothers and children in communicating bad news. Ciênc Saúde Colet [Internet]. 2017 [cited 2020 dez 20]; 22(1). Available from: https://doi.org/10.1590/1413-81232017221.14592016.

Almeida FA, Moraes MS, Cunha MLR. Taking care of the newborn dying and their families: Nurses’ experiences of neonatal intensive care. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2016 [cited 2020 dez 20]; 50. Available from: http://dx.doi.org/10.1590/S0080-623420160000300018.

Bezerra LM, Neves RC. De Moiras a Tânatos: considerações a respeito da morte e do morrer para os profissionais da enfermagem. IrterEspaço [Internet]. 2017 [acesso em 06 de dezembro 2020]; 3(9). Disponível em: http://dx.doi.org/10.18764/2446-6549.v3n9p27-48.

Soares LG, Kuchla E, Mazza VA, Soares LG, Ferraz MIR, Mattei AP. Mães de anjos: (re)vivenciando a morte do filho como estratégia de enfrentamento. Esc Anna Nery [Internet]. 2020 [acesso em 06 de dezembro 2020];24(1). Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ean/v24n1/pt_1414-8145-ean-24-01-e20190030.pdf

Sturrock C, Louw J. Meaning-making after neonatal death: narratives of Xhosa-speaking women in South Africa. Death Stud [Internet]. 2013 [cited 2020 dez 20]; 37(6). Available from: https://doi.org/10.1080/07481187.2012.673534.

Ryninks K, Roberts-Collins C, McKenzie-McHarg K, Horsch A. Mothers' experience of their contact with their stillborn infant: An interpretative phenomenological analysis. BMC Pregnancy Childbirth [Internet]. 2014 [cited 2020 dez 20]; 14(1). Available from: https://doi.org/10.1186/1471-2393-14-203.

Petro SJ. Drawing Close to the Brokenhearted: Pastoral Responses to Parents Grieving Stillbirth. J Pastoral Care Counsel [Internet]. 2015 [cited 2020 dez 20]; 69(1): 13-18. Available from: https://doi.org/10.1177/1542305015572961.

Castro CP, Campos GWS. Apoio Matricial como articulador das relações interprofissionais entre serviços especializados e atenção primária à saúde. Physis [Internet]. 2016 [acesso em 06 de dezembro 2020]. 2016; 26(2). Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/physis/v26n2/0103-7331-physis-26-02-00455.pdf.

Lopes BG, Borges PKO, Grden, CRB, Coradassi CE, Sales CM, Damasceno NFP. Luto materno: dor e enfrentamento da perda de um bebê. Rev Rene [Internet]. 2017 [acesso em 06 de dezembro 2020]; 18(3). Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/rene/article/view/20048.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)