Welcoming in primary health care in the perception of the multidisciplinary team / Acolhimento na atenção primária a saúde na percepção da equipe multiprofissional

Main Article Content

Ricardo Otávio Maia Gusmão
http://orcid.org/0000-0001-9941-1114
Flabiane Carvalho Cordeiro Casimiro
http://orcid.org/0000-0002-0078-4576
Joanara Rozane da Fontoura Winters
http://orcid.org/0000-0002-5564-1521
Reginalda Maciel
http://orcid.org/0000-0001-9714-9351
Dayane Clock Luiz
http://orcid.org/0000-0002-6051-4084
Renê Ferreira da Silva Junior
http://orcid.org/0000-0002-3462-3930

Resumo

Objetivo: compreender o acolhimento na unidade básica de saúde na percepção da equipe multiprofissional. Métodos: estudo descritivo e qualitativo conduzido com uma equipe de Saúde da Família por meio da técnica de grupo focal. A análise dos dados foi realizada por meio Análise de Conteúdo na modalidade Análise Temática. Resultados: verificou-se que as ações concebidas pela equipe como acolhimento eram realizadas em turno e horário específicos, por uma categoria profissional, consideradas como triagem de queixas agudas que determinariam atendimento médico. Conclusão: a maioria dos profissionais possuíam pouco entendimento ou desconheciam as diretrizes da Política Nacional de Humanização e a concepção ampliada do acolhimento, gerando processos de trabalho incompatíveis com a política, resultando-se em vários desafios a serem enfrentados pela equipe.




 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
1.
Maia Gusmão RO, Cordeiro Casimiro FC, da Fontoura Winters JR, Maciel R, Luiz DC, Silva Junior RF da. Welcoming in primary health care in the perception of the multidisciplinary team / Acolhimento na atenção primária a saúde na percepção da equipe multiprofissional. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 27º de outubro de 2021 [citado 30º de junho de 2022];13:1590-1595. Disponível em: http://seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/10533
Seção
Research
Biografia do Autor

Ricardo Otávio Maia Gusmão, Universidade Estadual de Montes Claros.

Doutorando em Enfermagem pelo Programa de Pós Graduação em Enfermagem da UFMG. Mestre em Teoria Psicanalítica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro- UFRJ (2016).Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Estadual de Montes Claros, Unimontes-MG (2004). Pós graduação em Saúde Mental, Atenção Psicossocial, álcool e outras drogas pela Faculdade de Saúde Ibituruna-FASI (2010). Residência Multiprofissional em Saúde da Família pelo HUCF-Unimontes.Faz formação em psicanálise pelo Instituto de Psicanálise e Saúde Mental de Minas Gerais. Professor efetivo de educação superior na Universidade Estadual de Montes Claros- Unimontes, Departamento de Enfermagem, disciplina Saúde Mental. Coordenador,Tutor e preceptor da Residência de Saúde Mental e da Universidade Estadual de Montes Claros.Professor de Saúde Mental nas Faculdades Unidas do Norte-Funorte e Faculdade de Saúde Ibituruna- FASI, atuando nos cursos de Enfermagem, Psicologia e Medicina.Membro do Núcleo de estudos e pesquisas sobre sistematizar, cuidar e evidenciar em Enfermagem - NEPESCE - Unimontes. Possui cargo efetivo de enfermeiro em Saúde Mental na Rede de Atenção Psicossocial do município de Montes Claros-MG atuando na Atenção Primária à Saúde como Apoiador Matricial em Saúde Mental. Atua na Coordenação de Saúde Mental na gestão das ações de Apoio Matricial do município de Montes Claros-MG .Têm experiência na área de Saúde Coletiva com ênfase em Saúde Mental, atuando principalmente nos seguintes temas: Políticas de Saúde, Assistência à Saúde Mental,Cuidado Primário de Saúde Mental, Cuidado de Enfermagem e Psicanálise.

Flabiane Carvalho Cordeiro Casimiro, Faculdade de Saúde e Humanidades Ibituruna.

Graduada em Enfermagem - Faculdade de Saúde e Humanidades Ibituruna (2019).Tem experiência na área de Enfermagem, com Ênfase em Enfermagem, Atuando Principalmente nos Seguintes Temas: Maternidade e Saúde e Segurança do Trabalho.

Joanara Rozane da Fontoura Winters, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina.

Enfermeira. Doutora em Enfermagem pelo Programa de Pós Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Santa Catarina, na área de Educação e Trabalho na Saúde e Enfermagem, Mestre em Enfermagem pelo Programa de Pós Graduação da Universidade Federal de Santa Catarina, Graduada em Enfermagem pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR;1991),Especialista em Educação Profissional na Área de Saúde em Enfermagem (FIOCRUZ-UEM) e em Administração da Assistência em Enfermagem (UEM-PR) Atualmente é professora titular do curso de Graduação de Enfermagem e do curso Técnico de Enfermagem do Instituto Federal de Santa Catarina -IFSC, Campus Joinville. Membro do Grupo de Pesquisa EDEN da UFSC e Membro Efetivo do Comitê de Ética e Pesquisa do Hospital Reginal Hans Dieter Schmidt.Atua nas seguintes áreas Educação, Paciente Grave. Linha de Pesquisa: Educação, Saúde e Enfermagem.

Reginalda Maciel, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina.

Possui Mestrado em Engenharia de Produção pela UNISOCIESC, graduação em Enfermagem e Obstetrícia pela Universidade do Vale do Itajaí (1998). Especialista em enfermagem em Emergência pela PUC-PR. Atualmente é professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina. Ministrou aula de Ambiente Hospitalar, Unidades de Saúde e Serviço Complementar no Tecnólogo de Gestão Hospitalar por cinco anos. Hoje atuando diretamente no curso de técnico de enfermagem. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em EMERGÊNCIA e UTI.

Dayane Clock Luiz, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina.

Possui doutorado em Saúde e Meio Ambiente (Univille), mestrado em Engenharia da Produção (Unisociesc), especialização em Saúde Coletiva (Ielusc), especialização em Educação Profissional de Jovens e Adultos (IFSC) e graduação em Enfermagem (Ielusc). Atualmente é membro do conselho municipal de educação da Prefeitura Municipal de Joinville e prof do ensino básico técnico e tecnológico do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC). Tem experiência na área de Enfermagem, atuando principalmente nos seguintes temas: educação em saúde, biossegurança, saúde do trabalhador da saúde e resíduos de serviços de saúde.

Renê Ferreira da Silva Junior, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina.

Graduação em Enfermagem (Faculdades Unidas do Norte de Minas Gerais), bolsista de iniciação científica, especialista em Gestão e Auditoria dos serviços de Saúde (Faculdades Integradas Pitágoras), Urgência e Emergência e Terapia Intensiva (Faculdades Integradas Pitágoras), Residência em Saúde da Família (Universidade Estadual de Montes Claros), especialista em Educação Profissional e Tecnológica (Faculdade Venda Nova do Imigrante). Mestre em Ensino em Saúde (Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri), Mestre em Ciências da Saúde (Universidade Estadual de Montes Claros). Delegado de Saúde na Conferência Municipal de Saúde do Município de Montes Claros. Membro dos grupos de pesquisa Fadiga por Compaixão - Universidade Estadual de Montes Claros e Educação Popular em Saúde - UFVJM. Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico - Área Enfermagem no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina, câmpus Joinville. 

Plum Analytics

Referências

Silva PO, Silva DVA, Rodrigues CAO, Santos NHF, Barbosa SFA, Souto VD, et al. Cuidado clínico de enfermagem em saúde mental. Rev. enferm. UFPE on line. [Internet]. 2018 [acesso em 07 de março 2019];12(11). Disponível em: https://doi.org/10.5205/1981-8963-v12i11a236214p3133-3146-2018

Ministério da Saúde (BR). HumanizaSUS: Política Nacional de Humanização: a humanização como eixo norteador das práticas de atenção e gestão em todas as instâncias do SUS [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2004 [acesso em 6 de março 2019]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/humanizasus_2004.pdf

Ministério da Saúde (BR). Acolhimento à demanda espontânea [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2013 [acesso em 6 de março 2019]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/acolhimento_demanda_espontanea_cab28v1.pdf

Nobre JPS, Vieira JPA, Gadelha RRM, Carvalho MMB. A percepção dos trabalhadores de saúde sobre o acolhimento no contexto da Atenção Básica. Rev. Expr. Catól. [Internet]. 2016 [acesso em 6 de março 2019]; 1(1). Disponível em: http://publicacoesacademicas.unicatolicaquixada.edu.br/index.php/recsaude/article/view/1364

Borges JDM, Silva LAA. O acolhimento na atenção básica à saúde: saberes e práticas. Rev. enferm. UFPE on line. [Internet]. 2015 [acesso em 6 de abril 2019]; 9(5). Disponível em: https://doi.org/10.5205/reuol.6121-57155-1-ED.09052015

Lopes AS, Vilar RLA, Melo RHV, França RCS. O acolhimento na Atenção Básica em saúde: relações de reciprocidade entre trabalhadores e usuários. Saúde debate. [Internet]. 2015 [acesso em 6 de abril 2019]; 39(104). Disponível em: https://doi.org/10.1590/0103-110420151040563

Oliveira RJ, Albuquerque MCS, Brêda MZ, Barros LA, Lisbôa GLP. Concepções e práticas de acolhimento apresentadas pela Enfermagem no contexto da Atenção Básica à Saúde. Rev. enferm. UFPE on line. [Internet]. 2015 [acesso em 6 de abril 2019]; 9(10). Disponível em: https://doi.org/10.5205/reuol.8463-73861-2-SM.0910sup201522

Arantes LJ, Shimizu HE, Hamann- Merchán E. Contribuição e desafios da Estratégia Saúde da Família na Atenção Primária à Saúde no Brasil: revisão de literatura. Ciênc. Saúde Colet. [Internet]. 2016 [acesso em 6 de abril 2019]; 21(5). Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-81232015215.19602015

Perreault M, Rios E, Lisboa LV, Alencar BM, Passos S, Ferreira AF, et al. Programa de saúde da família no Brasil reflexões críticas à luz a promoção de saúde. Rev Enferm Contemp. [Internet]. 2016 [acesso em 10 de abril 2019]; 5(1). Disponível em: https://doi.org/10.17267/2317-3378rec.v5i1.897

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em Saúde. 12ªed. São Paulo: Hucitec; 2010.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria Nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). [portaria na internet]. Diário Oficial da União 22 set 2017 [acesso em 2 maio 2019]; Seção1, (183). Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2017/prt2436_22_09_2017.html.

Kitzinger J. Grupos focais com usuários e profissionais da atenção à saúde. In: Pope C, Mays N. Pesquisa qualitativa na atenção à saúde. 2ªed. Porto Alegre: Artmed; 2006.

Pope C, Ziebland S, Mays N. Analisando dados qualitativos. In: Pope C, Mays N. Pesquisa qualitativa na atenção à saúde. 2ªed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70; 2016.

Oliveira CVS. Desafios do acolhimento na estratégia saúde da família: uma revisão integrativa. Saúde Redes. [Internet] 2016 [acesso em 2 de maio 2019];2(2). Disponível em: https://doi.org/10.18310/2446-4813.2016v2n2p211-225

Barros MMAF, Mendes MLC, Frota LMA, Almeida JRS. Acolhimento em unidade de atenção primária à saúde: potencialidades e desafios. Sanare (Sobral, Online). [Internet] 2018 [acesso em 2 de maio 2019];17(2). Disponível em: https://doi.org/10.36925/sanare.v17i2.1269

Santos DS, Mishima SM, Merhy EE. Processo de trabalho na Estratégia de Saúde da Família: potencialidades da subjetividade do cuidado para reconfiguração do modelo de atenção. Ciênc. Saúde Colet. [Internet] 2018 [acesso em 5 de maio 2019]; 23(3). Disponível em: https://doi.org/10.1590/1413-81232018233.03102016

Costa PCP, Garcia APRF, Toledo VP. Acolhimento e cuidado de enfermagem: um estudo Fenomenológico. Texto & contexto enferm. [Internet] 2016 [acesso em 6 de maio 2019]; 25(1). Disponível em: https://doi.org/10.1590/0104-07072016004550014

Maciel MAS, Silva PCS, Oliveira LF. Percepção dos usuários de uma Estratégia de Saúde da Família sobre o Acolhimento. Revista Eletrônica Acervo Saúde. [Internet] 2019 [acesso em 2 de junho 2020]; 11(14). Disponível em: https://doi.org/10.25248/reas.e1095.2019

Zilly A, Calgaro M, Santos MF, Arcoverde MAM, Camargo CRM. Avaliação do acolhimento nas Unidades de Atenção Básica do Paraná. Espaç. saúde (Online). [Internet] 2016 [acesso em 2 de junho 2020]; 17(2). Disponível em: http://dx.doi.org/10.22421/1517-7130.2016v17n2p206

Filho-Silva JA, Rodrigues CKS, Moreira MRL, Araújo NR. Acolhimento na estratégia saúde da família: perspectiva do usuário. Cad Cult Cien. [Internet] 2017 [acesso em 3 de junho 2020]; 16(2). Disponível em: http://periodicos.urca.br/ojs/index.php/cadernos/article/view/1545/pdf_1

Carrapato JFL, Castanheira ERL, Placideli N. Percepções dos profissionais de saúde da atenção primária sobre qualidade no processo de trabalho. Saúde Soc. [Internet] 2018 [acesso em 4 de junho 2020]; 27(2). Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-12902018170012

Lucena LN, Rodrigues MP, Melo RHV, Andrade FB, Vilar RLA, Bosco-Filho J. Avaliação da satisfação do usuário com o acolhimento na estratégia da saúde da família no Recife (PE). Rev. Ciênc. Plur. [Internet] 2018 [acesso em 2 de junho 2020]; 4(2). Disponível em: https://periodicos.ufrn.br/rcp/article/view/16837

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)