Nursing hour load applied to the patient with acute myocardial infarction / Carga horaria de enfermagem aplicada ao paciente com infarto agudo do miocárdio

Main Article Content

Nickson Scarpine Malheiros
http://orcid.org/0000-0002-8092-1031
Leonardo dos Santos Pereira
http://orcid.org/0000-0003-3543-7109
Carlos Eduardo Peres Sampaio
http://orcid.org/0000-0002-6770-7364
Márcio Tadeu Ribeiro Francisco
http://orcid.org/0000-0003-1362-7809
Cristiano Bertolossi Marta
http://orcid.org/0000-0002-0635-7970

Resumo

Objetivo: identificar a Carga Horaria de enfermagem aplicada ao Infarto agudo do Miocárdio, de acordo com a classificação de Killip. Método: pesquisa de campo com abordagem quantitativa, descritiva, exploratória, retrospectiva. Foram utilizados prontuários de pacientes que obtiveram como diagnostico inicial o Infarto Agudo do Miocárdio, e que apresentaram alterações nos marcadores bioquímicos Resultados: foram avaliados 200 prontuários. A partir dos dados obtidos conseguimos traçar uma progressão de carga horaria entre as categorias Killip, sobre as necessidades de assistência prestada. Conclusão: a carga horaria de enfermagem varia de acordo com a complexidade que o Infarto do Miocárdio pode manifestar. O paciente necessita de maior número de pessoal de enfermagem devido alta carga horaria para atender todas as intervenções necessárias.



Downloads

Não há dados estatísticos.

Article Details

Como Citar
1.
Malheiros NS, Pereira L dos S, Sampaio CEP, Francisco MTR, Marta CB. Nursing hour load applied to the patient with acute myocardial infarction / Carga horaria de enfermagem aplicada ao paciente com infarto agudo do miocárdio. R. pesq. cuid. fundam. online [Internet]. 1º de junho de 2021 [citado 24º de janeiro de 2022];13:130-5. Disponível em: http://seer.unirio.br/cuidadofundamental/article/view/7930
Seção
Research
Biografia do Autor

Nickson Scarpine Malheiros, Universidade Veiga de Almeida

Possui graduação em ENFERMAGEM pela Universidade Veiga de Almeida(2018), curso-tecnico-profissionalizante em Técnico de Enfermagem pela Destake Escola Técnica(2013) e ensino-medio-segundo-graupelo Colégio Estadual Casimiro de Abreu(2011). Atualmente é Técnico de Enfermagem da Hospital Municipal Casimiro de Abreu. Tem experiência na área de Enfermagem

Leonardo dos Santos Pereira, Universidade Veiga de Almeida

Universidade Veiga de Almeida

Carlos Eduardo Peres Sampaio, Universidade do Estado do Rio de Janeiro Universidade Veiga de Almeida

Enfermeiro. Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1997), mestrado em Bioquímica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1999) e doutorado em Bioquímica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2001). Atualmente é Professor Associado - carga horária 40 horas da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Enfermagem Médico Cirúrgica, atuando principalmente nos seguintes temas: Assistência de Enfermagem Perioperatória, Centro cirúrgico, Bioquímica, Farmacologia, Fisiologia. Pesquisas direcionadas ao Cuidado de Enfermagem ao Jejum Préoperatório, Ansiedade de Adolescentes e acompanhantes de crianças. Desenvolve Projeto de Extensão Assistência de Enfermagem no Transoperatório ao acompanhante da criança em situação cirúrgica.

Márcio Tadeu Ribeiro Francisco, Universidade do Estado do Rio de Janeiro Universidade Veiga de Almeida

Graduado em enfermagem pela Universidade do Estado da Guanabara (1973). Habilitação em Enfermagem em Saúde Pública pela Faculdade de Enfermagem da UERJ (1974) - Livre docente pela Faculdade de Enfermagem da UERJ em 1986. Doutor em Saúde Coletiva -Administração, Planejamento em Saúde - Instituto de medicina Social UERJ- 2000. Área de atuação - Chefe da Divisão de Enfermagem do Hospital Universitário Pedro Ernesto/HUPE - UERJ de 1984/87. Diretor Eleito do Centro Biomédico da UERJ-1994/99. Diretor de Prevenção e Assistência a Saúde do SEMIC - RJ de 1977- 86. Chefe do Departamento de Fundamentos de Enfermagem da UERJ. Avaliador de Curso de Graduação de Enfermagem (Inep-Mec). Consultor técnico ad hoc do departamento de DST/AIDS e hepatite virais do Ministério da Saúde. Avaliador ad hoc da Faperj. Avaliador da Capes -CNPq. Coordenador Executivo do projeto de prevenção DST/AIDS no carnaval desde 1992. Coordenador Geral do Curso de Graduação de Enfermagem e do Curso de Saúde Coletiva da Universidade Veiga de Almeida desde 2003. Professor do programa de Doutorado de Psicanálise, Saúde e Sociedade desde 2012 da Universidade Veiga de Almeida. Assessor do Reitor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro- UERJ.

Cristiano Bertolossi Marta, Universidade do Estado do Rio de Janeiro Universidade Veiga de Almeida

Enfermeiro. Pos-Doutor em Enfermagem pela Escola de Enfermagem Aurora Afonso Costa da Universidade Federal Fluminense. Doutor em Enfermagem pela Escola de Enfermagem Anna Nery da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Professor Adjunto do Departamento de Fundamentos de Enfermagem da Faculdade de Enfermagem da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Plum Analytics

Referências

Vargas RA, Riegel F, Oliveira Junior N, Siqueira DS, Crossetti MGO. Qualidade de vida de pacientes pós infarto do miocárdio. Rev Enferm UFPE on line. 2017; 11(7):2803-9. doi: 10.5205/reuol.10939-97553-1-RV.1107201721.

Oliveira CH, Oliveira HE, Moreira DM, Carvalho AAP. Fatores associados ao óbito intra-hospitalar em pacientes internados por infarto agudo do miocárdio. Arq Catarin Med [Internet]. 2016 [citado 2017 jun 19]; 45(4):28-40. Available at file:///C:/Users/Usuario/Downloads/135-281-1-PB%20(1).pdf.

Mendes AS, Reis VRSS, Santos CAST, Mussi FC. Tempos de acesso a serviços de saúde face ao infarto do miocárdio. Acta Paul Enferm. 2016; 29(4):446-53. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1982-0194201600061.

Caveião C, Santos RB, Montezeli JH, Visentin A, Brey C, Oliveira VBCA. Dor torácica: atuação do enfermeiro em um pronto atendimento de um hospital escola. R Enferm Cen. O Min. 2014; 4(1):921-8. doi: http://dx.doi.org/10.19175/recom.v0i0.427.

Mello BHG, Oliveira BGF, Ramos RF, Lopes BBC, Barros CBS, Carvalho EO, Et Al. Validação da Classificação de Killip e Kimball e Mortalidade Tardia. Arq Bras Cardiol. 2014; 103(2):107-17. doi: http://dx.doi.org/10.5935/abc.20140091.

Perão OF, Bub MBC, Rodriguez AH, Zandonadi GC. Gravidade de pacientes e carga de trabalho de enfermagem em unidade de terapia intensiva. Cogitare Enferm [Internet]. 2014 [citado 2017 jun 19]; 19(2):261-8. Available at: https://revistas.ufpr.br/cogitare/article/viewFile/33750/22732.

Araujo MT, Henriques VB, Velloso ISC, Queiroz CF, Nonato LF. Carga de trabalho e custo de uma equipe de enfermagem em terapia intensiva. Arq Ciênc Saúde [Internet]. 2016 [citado 2017 jun 19]; 23(4):21-6. Available at: file:///C:/Users/Usuario/Downloads/385-1-3807-1-10-20161221%20(3).pdf.

Silva LMS, Martins LF, Santos MCFC, Oliveira RM. Índices prognósticos na prática clínica de enfermagem em terapia intensiva: revisão integrativa. Rev Eletr Enf. 2014; 16(1):179-90. – doi: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v16i1.22830.

Silva AH, Fossà MIT. Analise do conteúdo eletrônico: Exemplo de aplicação da técnica para analise de dados qualitativos. Qualitas [Internet]. 2015 [citado 2017 jun 20]; 17(1): 47-61. Available at: http://revista.uepb.edu.br/index.php/qualitas/article/view/2113/1403.

Sampaio CEP; Gonçalves RA; e Júnior HCS. Determinação dos fatores da suspensão de cirurgia e suas contribuições para assistência de enfermagem. Care Online. 2016 jul/set; 8(3):4813-4820. DOI: http://dx.doi.

org/10.9789/2175-5361.2016.v8i3.4813-4820

Mello BHG, Oliveira GBF, Ramos RF, Lopes BBC, Barros CB, Carvalho EO, Teixeira FBP, Arruda GDS, Revelo MSC, Piegas LS. Validação da classificação de Killip e Kimball e mortalidade tardia após infarto agudo do miocárdio. Arq Bras Cardiol. 2014; 103(2): 107-117.

Chianca TCM, Guedes HM, Souza KM, Morais SS, Ercole FF. Avaliação da gravidade de pacientes internados em clínicas de um hospital. Cienc Enfermeria [Internet]. 2015 [citado 2017 set 17]; 21(3):11-21. Available at: file:///C:/Users/Usuario/Downloads/artículo_redalyc_370444955002%20(1).pdf.

Campagner AOM, Garcia PCR, Piva JP. Aplicação de escores para estimar carga de trabalho. Rev Bras Ter Intensiva. 2014; 26(1):36-43. doi: http://dx.doi.org/10.5935/0103-507X.20140006.

Guedes HM, Martins JCA, Chianca TCM. Valor de predição do Sistema de Triagem de Manchester: avaliação dos desfechos clínicos de pacientes. Rev Bras Enferm. 2015; 68(1): 45-51. doi: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167.2015680107p.

Gouzou M, Karanikola M, Lemonidou C, Papathanassoglou E, Giannakopoulou M. Avaliação da satisfação profissional e carga laboral das equipes de enfermagem nas unidades de cuidados coronarianos. Rev Esc Enferm USP. 2015; 49(Esp):15-21

Barbosa RR, Silva VR, Serpa RG, Cesar FB, Mauro VF, Bayerl MR, et al. Diferenças de gênero nos resultados da intervenção coronariana percutânea primária em pacientes com infarto do miocárdio com elevação de ST. Rev Bras Cardiol Invasiva. 2015; 23(2): 96-101. doi: https://doi.org/10.1016/j.rbci.2015.12.006.

Takagui ASM, Moreira DM, Carvalho ATG, Duarte TF, Silva RL, Fattah T. Correlação entre Fatores Clínicos e Educacionais e Atraso na Chegada ao Hospital no Infarto Agudo do Miocárdio. Int J Cardiovasc Sci. 2018; 31(2): 107-113. doi: 10.5935/2359-4802.20170093.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>